Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Cobrador gozou na minha calcinha

Eu morava perto da garagem do ônibus que eu pegava para voltar do trabalho. Para facilitar minha vida, peguei amizade com um dos cobradores da linha (na maioria das vezes era sempre esse mesmo cobrador) para que eu pudesse ir até a garagem dentro do ônibus, ao invés de descer no ponto final.

O cobrador era um cara de uns 40 anos, mulato, corpo normal, meio barrigudinho, bastante simpático com todos os passageiros. Sempre vínhamos conversando sobre algum assunto aleatório.

Certo dia, eu muito cansado do trabalho, pedi pra ele me acordar quando chegássemos na garagem. Nesse dia, como em muitos outros, fui trabalhar de calcinha. Era uma calcinha vermelha, com as laterais bem finas, mas não era uma fio dental, era mais uma calcinha de menina não tão comportada rs.

Peguei no sono e fui acordado pelo cobrador. Nós já tínhamos passado do ponto final e estávamos a caminho da garagem. De passageiro, claro, só havia eu no ônibus. Agradeci por ter me acordado e comecei a me ajeitar no banco. O cobrador ficou olhando pra mim (eu estava sentado no banco logo ao lado dele após a catraca) e isso me deixou um pouco sem graça. Ele nunca tinha feito isso, de ficar me olhando, com um sorrisinho meio tímido. Parecia que estava flertando comigo. Disfarcei e fiquei olhando lá fora pela janela.

Quando o ônibus parou num sinal ele me disse bem baixinho pro motorista não ouvir: "Posso te falar uma coisa?". Eu disse "Claro". Ele continuou: "Você tem que tomar cuidado. Você pegou no sono e sua calcinha ficou aparecendo na lateral. Sua sorte é que não havia ninguém do seu lado e nem no banco ao lado."

Imediatamente coloquei a mão na calça e realmente um pedaço da calcinha estava aparecendo. Fiquei extremamente envergonhado. Pedi desculpas pra ele e, como ele já era uma pessoa bem conhecida, acabei levando tudo um pouco mais na brincadeira. Disse: "Poxa, desculpa. Não queria que você visse isso. Que feio né? Eu mostrando meus segredos assim, sem nem avisar. Rs"

Ele deu risada e me respondeu: "Não se preocupa. Tenho certeza que só eu vi. O problema é que... fiquei com vontade de ver o resto. Será que posso?"

Pensei rapidamente comigo mesmo: já estou na enrascada, ele já me viu de calcinha, é um cara que já conheço há um bom tempo, cara bem legal, vou deixar rolar. Respondi pra ele: "Hmmm tudo bem. Se tiver algum lugar lá na garagem pra eu te mostrar".

Chegando na garagem ele disse ao motorista (que também me conhecia há bastante tempo) que ia me mostrar o banheiro. A garagem estava um pouco vazia, vi só alguns funcionários andando por lá mas não próximos a nós. O cobrador me levou ao banheiro, entrou comigo em uma das cabines e me disse: "Deixa eu ver, amor". Me virei de costas pra ele, abaixei minha calça e revelei toda minha calcinha e meu rabinho. Ele prontamente apalpou minha bunda com as duas mãos e disse: "Nunca ia imaginar que você fosse tão gostosa e que gostava de se vestir em segredo como menina". Dei uma risadinha e disse que tem coisas que a gente demora pra revelar.

Ele continuou me apalpando, me pegou pela cintura e começou a esfregar o pau na minha bunda. Sentir aquela rola dura, mesmo por baixo da calça, me deixou com tesão. Ele disse que não ia poder demorar e perguntou se não podia bater uma punheta me olhando. Respondi que ele podia fazer o que quisesse.

Ele tirou o pau de dentro da calça e começou a bater uma punheta. Eu me apoiei na privada e comecei a rebolar devagarinho pra ele. Ele estava adorando me ver daquele jeito. O pau dele já estava todo melado de tesão enquanto ele se masturbava forte.

Ele começou a gemer um pouquinho e disse que ia gozar, me pediu pra sair da privada pra ele gozar lá dentro. Eu disse: "Não, não. Pode gozar na minha bunda. Vou embora com o rabinho melado de sua porra hoje".

Mal deu tempo de eu falar isso e senti o primeiro jato acertar minha calcinha. Quentinho. Seguido de alguns outros igualmente gostosos, que acertaram minha bunda todinha. Uma delícia de gozada. Ele terminou limpando o pau na minha bunda e me chamando de gostosa.

Levantei a calça, me arrumei e saímos do banheiro. Fui embora sentindo a porra dele molhando toda minha calça. Sensação muito gostosa.

No dia seguinte, e muitos outros depois, voltando pra casa, peguei o ônibus e ele era o cobrador. Agimos normalmente como se nada tivesse acontecido. Embora, quando ele tinha a oportunidade, me perguntava se eu estava de calcinha.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/http://disponivel.uol.com.br/Bipassivobotafogorj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

18/09/2016 02:20:22 - Ai que delicia eu tambem ja fui muita veis de calcinha da minha esposa pro serviso pena que nunca rolou nada mais tenho esperança

18/09/2016 02:19:13 - Ai que delicia eu tambem ja fui muita veis de calcinha da minha esposa pro serviso pena que nunca rolou nada mais tenho esperança

18/09/2016 02:18:32 - Ai que delicia eu tambem ja fui muita veis de calcinha da minha esposa pro serviso pena que nunca rolou nada mais tenho esperança

18/09/2016 02:17:09 - Ai que delicia eu tambem ja fui muita veis de calcinha da minha esposa pro serviso pena que nunca rolou nada mais tenho esperança

19/08/2016 18:02:23 - "Cada qual com seu cada qual". Não curto usar roupas femininas, porém, adoro levar no cu, sou bem discreto e não afeminado. Confesso que está difícil conseguir um macho pra me enrabar.

13/08/2016 18:16:00 - Legal, em caras que são tarados por calçinhas, eu não curto uar, mas pra quem gosta, vale a pena né? abraços. .....

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente