Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Foda gostosa com Paulinho

Nesses tempos de eleição me vêm à memória alguns lances ocorridos nas muitas viagens que já fiz, numa época em atuava mais. Houve uma época em que era frequente passar dias viajando e claro, fazia contato com todo o tipo de pessoas. Uma ocasião conheci um rapaz que tinha um trabalho social muito interessante e se engajou na campanha do meu candidato. Como eu fazia parte da coordenação e ele era da mesma região que eu, acabamos tendo muito contato.
Paulinho (nome fictício), era assumidamente gay e além disso, afeminado. Mas altamente respeitador e discreto. Um dia, precisamos os reunir para acertar os detalhes de uma reunião e como eu estaria em sua cidade, marcamos a reunião em sua casa. Quando cheguei havia mais ou menos umas 10 pessoas, fizemos a reunião, ajustamos os detalhes e depois ele nos ofereceu uns comes e bebes. Entretanto, muitos foram embora. Já tarde da noite, disse a ele que precisava encontrar um hotel para passar a noite e ele me ofereceu o quarto de hóspedes.
Não me fiz de rogado com a oferta, mas sinceramente, foi sem maiores interesses, até porque eu sabia que ele tinha um companheiro. Fui ao carro, peguei minha e me instalei no confortável quarto oferecido, do lado de fora da casa, à beira da piscina, com um excelente banheiro com hidromassagem e tudo. Muito confortável! Combinamos que então eu tomaria um banho e tomaríamos uma cerveja, logo após.
Já era mais ou menos umas 22 horas quando terminei meu banho, coloquei uma roupa confortável e atravessei o gramado em direção à casa principal. Fiquei no pequeno jardim do lado de trás, onde havia uma espécie de espaço gourmet, com televisão, aguardando o meu anfitrião. E ele não demorou a aparecer. Já havia percebido que ele tinha unhas grandes, bem femininas, e agora usava um salto alto e roupas femininas, porém discretas. Pediu que eu não ligasse, porque em casa ele gostava de vestir daquela maneira. Respondi que não havia problema algum. Ele me serviu um vinho, nos sentamos e ficamos conversando.
Foi impossível não perceber o jeito sensual de Paola... sim, pediu que eu o tratasse dessa maneira, quando estivéssemos sozinhos. E de fato ele tinha feições bem femininas. claro que apesar de uma conversa amena, eu fiquei excitado. Paola usava uma calça leg bem coladinha ao corpo, que ia até um pouco abaixo dos joelhos, toda socadinha naquela bunda de 105 cm, pés e mãos muito bem feitos, pintados na mesma cor e uma sandália com salto alto, que fazia uma composição perfeita com seu corpo afeminado e completamente liso.
Aquilo foi me deixando com um tesão imenso. Em certo momento Paulinho, ou Paola, tocou em meu braço e pude sentir suas mãos suaves. Meu pau deu um salto. Eu estava usando uma bermuda cargo bem larga e confortável. E ficou visível o tesão que eu sentia e minha excitação por baixo da bermuda e da cueca confortáveis. Resolvi provocar. Me levantei e deixei que visse melhor o volume dos meus 19 cm que pulsavam dentro da roupa. Sem falar nada, ele tocou levemente, segurando com delicadeza meus pau, mas quando sentiu o volume grosso, deu um sorriso e apertou.
- Nossa, posso ver?
Abri o botão da bermuda e o zíper lentamente e coloquei pra fora. Vi seus olhos brilharem. Suas mãos eram quentes. Ele tocou como se fosse punhetar, tirou um pentelho preso na cabeça do pau e sem falar nada aproximou o rosto, sentiu o cheiro e caiu de boca, engolindo tudo de uma só vez. Fui na lua e voltei. A bermuda desceu completamente e ele(a) terminou de baixar a cueca. Engolindo meu cacete por inteiro, foi acariciando minhas pernas peludas e com as unhas fez um carinho no meu saco. Enfiei as duas mãos no decote de sua blusinha de seda e apertei os mamilos. Ele gemeu como uma fêmea.
Ato contínuo, segurei Paola pela nuca e soquei meu pau em sua boca o mais fundo que pude. Sua garganta era profunda, perfeita e ela ainda forçou mais um pouco, quase engolindo as bolas, também. Seus cabelos lisos e naturais estavam presos em um rabo de cavalo e isso facilitou minhas manobras, segurando com força, empurrando pra frente e pra trás. Estava sentindo muito tesão, mas não queria que terminasse ali.
Ergui Paola e nos beijamos ardentemente. Em cima do salto de 12cm, acredito, ela ficava mais alta que eu, com apenas 1,70. Quando ela ficou de pé, forcei sua calça leg para baixo e percebi que estava usando uma calcinha fio dental, o que me deu mais tesão ainda. Fui descendo sua calça e acariciando e beijando suas pernas, sentindo seu cheiro e sua pele macia.
Ela forçava um pouco para que as pernas ficassem fechadas. Virei-a a costas. Acariciei, beijei, lambi e mordi sua bunda volumosa e durinha, com a calcinha socada. Empurrei-a contra um pequeno sofá, retirei a calça e fiz com que ficasse de quatro. Coloquei o pequeno fio dental de lado e vi seu cu piscando. Nisso percebi o binguelo de mais ou menos 25cm, não muito duro. Acariciei ele levemente, dei um beijo na cabeça e caí de língua no seu cu. Ela gemeu como uma fêmea no cio...
(CONTINUA)

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/http://disponivel.uol.com.br/Zini40ativo



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

25/11/2016 06:30:08 - This is just the peefrct answer for all of us

04/11/2016 17:26:26 - continue por favor, a historia estava demais

04/11/2016 16:40:25 - gostoso de mais

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente