Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Provocações

Esse fato que vou relatar aconteceu há alguns anos atrás quando tive de mudar cidade á trabalho. Fui morar no interior do estado, não conhecia ninguém. Tudo novo. Foi difícil no início, mas logo acabei me enturmando. Nos finais de semana voltava para a São Paulo. No domingo a tarde retornava.

Com o tempo fui fazendo amigos. Inclusive dentro da empresa em que trabalhava, mas como exercia um cargo de confiança, não deixava claro minha orientação sexual. Mas é claro que a maioria sabia, afinal um cara com quase 40 anos, solteiro, morando sozinho... sempre tem aquele que desconfia ou ficava maldando a respeito.

Sempre que tinha que ir até o chão da fabrica era observado pelos funcionários. Era o cara novo, da capital, isso despertava curiosidade. Mas no fundo sabia que era o fato da desconfiança ou quase certeza que era viado. O tempo foi passando, minhas voltas para à capital não ocorriam mais todos os finais de semana. Então aproveitava e conhecia a cidade. Me divertindo com amigos.

Tinha um cara, que vamos chamar de Tiago, ele trabalhava na fabrica e sempre que passava por mim fazia questão de cumprimentar sorrindo, eu devolvia o cumprimento com um sorriso. Acabamos ficando amigos. Na hora do almoço tínhamos um grupo que ficava jogando conversa fora. Ele sempre fazia questão de falar sobre sexo, falando de suas aventuras com garotas. Tive que trabalhar em um sábado, encontrei com ele no refeitório... o papo rolou e eu disse que iria reunir uns amigos em casa à noite, ele de pronto se colocou a disposição para ir...

Perguntei sobre a namorada e ele disse que tinha brigado com ela... então estava livre. Passei o endereço para ele. À noite alguns amigos estava no apto quando tocou a campainha, era ele. Entrou e o apresentei aos meus amigos. Detalhe: Meus amigos eram todos gays. Entre eles tinha um garoto que eu já havia transado, que o conhecia. Eles se cumprimentaram e esse meu amigo me puxou para a cozinha querendo saber se eu já tinha transado com o cara. Falei que não e que ele trabalhava comigo, e praticamente tinha se convidado para aquele encontro.

A noite foi passando, bebemos comemos... e o pessoal acabou indo embora. Ficamos eu, esse meu amigo e o Tiago. Estávamos meio bêbados... e começamos a falar sobre sexo. O papo rolou solto e ele perguntou se eu era gay, respondi que sim, perguntando se isso o incomodava. Respondeu que não, que não tinha nenhum problema a respeito. Mas deixou claro que nunca tinha transando com homens e que não sentia vontade.

O papo continuou e ele falando de suas aventuras. Querendo provocá-lo perguntei sobre sua performance sexual.... do que ele gostava e tal. Disse que nunca ninguém reclamou... tinha um bom dote. E que gozava bastante e permanecia duro bastante tempo. Meu amigo querendo provocá-lo ainda mais disse que não acreditava. Entrei na brincadeira e falei para ele que achava que ele tinha pau pequeno, pois não tinha volume nas calças. Ele revidou dizendo que não, e entrou na brincadeira também mexendo no pau.

Querendo zoar ainda mais, falei para ele que ele devia gozar logo, e que não aguentaria muito tempo com um boquete. Ele ficava cada vez mais incomodado... não no sentido agressivo.... mas curioso. Meu amigo provocou ainda mais e disse que tinha certeza que ele não era tudo aquilo... O cara ficou nervoso... e pediu uma bebida... eu servi e ele virou o copo.... pediu outra.... servi.Percebi que um volume formava sobre as calças.

Pedi para meu amigo sair um pouco da sala e dar um tempo. Ele entendeu e disse que ia buscar cigarros. Ele saiu dizendo que voltaria depois de um tempo. Eu disse tudo bem. Enquanto isso Tiago foi ao banheiro e voltava arrumando as calças. Me aproximei dele, agarrei seu pau por cima das calças perguntando se estava tudo bem. Ele olhou bem dentro dos meus olhos dizendo, sim... tudo.

Fiquei alisando seu pau... e com a outra mão abri sua camisa, alisando seu peito. Percebi que ele tremia. Chupei seus mamilos. Subi pelo pescoço me aproximando de sua boca. Beijei... ele não colocou resistência, foi um beijo de tirar o fôlego. Aos poucos fui abrindo suas calças, o volume era grande, duro.

Quando tirei a rola prá fora, me surpreendi... 20cms grosso, cheio de veias, cabeça roxa. Uma verdadeira delícia. Abocanhei. Mamava aquela rola com avidez, com fome, com sede. Ele gemia. As vezes socando minha garganta, outra só recebendo minha língua que escorregava sobre o cacete e suas bolas. Ficamos nisso durante uns vinte minutos... quando ele disse que não aguentava mais e encheu minha boca de porra quente.

Sorvi aquele creme como se fosse um sorvete. Engolindo cada gota, deixando o pau limpo. Peguei mais uma dose e dei uma para ele... tomamos calados... olhando um para o outro. Silêncio. Nisso meu amigo chega, entra e vê Tiago com as calças abaixadas e o pau meio mole. Ele riu e perguntou... o que foi que eu perdi? Tiago respondeu, não perdeu nada... mas pode achar.

Rimos. Meu amigo se aproximou de Tiago e pegou em seu pau... Me aproximei e dei um beijo em Tiago, meu amigo se aproximou e demos um beijo a três. Tiago disse que aquilo era uma loucura. Respondi que loucura ia ser o que íamos fazer. Tiramos nossas roupas.

Meu amigo tem rola muito boa, também é grande e grossa. Era meu dia de sorte. Tinha dois caras tesudos, gostosos, novinhos como eu gosto, roludos e ativos. Ia fazer a festa. Comecei a chupar meu amigo, Tiago me dá para mamar também. Duas rolas na boca. Dois caras gemendo, provocados pela minha boca. Minha língua. Os dois se beijavam e eu os mamava. Aquela gostosura levou mais ou menos meia hora. Quando levei mais uma dupla gozada na boca, enchendo minha garganta. Estava com o tesão a mil, falei para eles que queria tomar no cu.

Tiago não se intimidou, começou a passar a língua no meu cu, me deixando alucinado. Pegou uma camisinha, colocou no pau e meteu cu adentro. Dei um pulo. Doeu. Mas ele me puxou e sem tirar o cacete começou a bombar. Enquanto isso meu amigo fodia minha boca. Um pau na boca... um cacete no cu.

Os dois socavam. Eu não podia nem gemer... soltava grunhidos. Dei de quatro. De frango assado. Tiago socava e gemia. Gozou. Sentou no sofá desfalecido. Meu amigo mudou de lado, e começou a foder meu cu. Já laceado pela rola do Tiago, o cacete entrava e saia, as bolas batendo em minha bunda. Não demorou e ele gozou, enchendo a camisinha.

Bati uma bronha alucinada e gozei. Acabamos dormindo no chão, sobre o tapete. Acordamos na manhã seguinte. Mas aí já é outra história.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente