Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Comecei novinho

Quando eu era garoto ainda e era cheio de tesão, como todo garoto naquela idade.

Já tinha feito troca-troca três vezes com amigos da escola, mas eu ainda não havia decidido do que gostava mais, se era dar ou se era comer, me inclinava mais a dar, menos trabalhoso, rsrsrs...

Um dia voltávamos em turma da escola e pelo caminho foram ficando um e outro até que ficou só eu e um vizinho que estudava na minha classe.

Quando ficamos sozinhos eu perguntei porque ele tinha faltado os dois dias anteriores.

- Xi cara, nem te conto.

- Claro que vai contar, agora me deixou curioso.

- Eu estava com um problema no intestino e minha mãe me levou ao Posto de Saúde para resolver.

- Sei, mas o que era?

- Eu estava com o intestino travado. Aí me enfiaram um negócio no rabo para fazer uma lavagem.

- Nossa! E você?

- Na hora que vi aquilo tentei fugir, mas estava com a calça abaixada e além disso me seguraram. Não deu para fugir.

- E aí? Doeu?

- Até que não, só assusta antes, depois é tranquilo.

- Ah safado, deve ter gostado.

- Gostar de verdade não, mas não foi ruim.

Naquela hora pensei, esse vou poder chamar para fazer um troca-troca, então o convidei para brincar em casa depois do almoço, ele topou.

Almocei, fiz a lição e fiquei esperando. Logo ele chegou e fomos para o quintal, lá tinha um porão seguro para fazer o que tinha em mente, ninguém ia ver a gente.

Começamos a brincar e logo eu o chamei para o porão e já fui perguntando:

- Vamos fazer troca-troca?

- Não, eu nunca fiz.

- Qual é? Não tem segredo, um come o outro e tudo bem.

- Isso eu sei, não sei se vou gostar.

- Cara, você acabou de fazer lavagem no cu e não achou ruim, vai ser melhor ainda.

- Tá, tudo bem, vamos fazer, quem começa?

- Vamos no par ou impar, quem ganhar começa.

Jogamos e eu perdi, abaixei a calça e ele também. Nossa, o pau dele era bem pequeno, mas ficou duro e ele veio me comer, fez bem pouco e tirou. Aí foi minha vez, cuspi no pinto e enfiei, ele deu uma gemida mas não falou nada, fiquei ali metendo sem pressa, uma hora ele disse que não estava mais doendo e que estava até gostando. Pouco depois parei e tirei. Nos limpamos, vestimos as calças e saímos do porão. Eu adorei a bundinha dele, era meio gordinha, bem gostosa.

Dia seguinte voltando da escola ele perguntou se podia ir brincar lá em casa de novo. Claro que disse sim.

De novo fomos ao porão e baixamos as calças, então ele disse que não precisava de par ou impar, que eu podia começar. Não perdi tempo, cuspi no pinto e enfiei tudo, ele deu uma gemida gostosa. Meti sem pressa nenhuma, ele disse que estava bom, que eu fazia gostoso. " hum, será que ele é viadinho?" pensei.

Dito e feito, depois que tirei o pinto de dentro do seu cu ele perguntou se não me importava se ele não me comesse. Claro que não me importava, acho que naquela hora me defini como ativo para o resto da vida.

Quase todo dia ele perguntava se podia ir lá em casa, no início eu aceitava, mas logo combinamos que seria melhor espaçar um pouco mais para não chamar a atenção e a curiosidade da minha mãe e nem dos outros amigos, eles iam desconfiar porque só brincávamos nós dois, logo iriam imaginar o que fazíamos. Tudo combinado ficamos uns meses assim e eu estava adorando, tinha um cuzinho exclusivo para mim sempre que queria.

Um tempo depois comecei a namorar e deixei nossos encontros mais espaçados ainda. Ele, no início não falou nada, mas depois de um tempo começou a reclamar, que eu estava trocando ele por ela. Expliquei que não, que ela não dava para mim, não sei se adiantou. Foi ai que perto do meio do ano estava no banheiro da escola mijando quando um outro garoto puxou papo e comentou que tinha reparado que meu pinto estava duro. Perguntei se tinha gostado do que tinha visto e ele respondeu que sim, aí entrei num box e o chamei, ele sem cerimônia entrou e já pegou e acariciou meu pinto. Como era arriscado ali falei para ele ir em casa, ele concordou e foi. Lá o levei ao porão e mandei ver, comi seu cu bem lentamente, nem acreditava, tinha achado outro viadinho.

Eu achava muito legal comer o cu de outro garoto, eles sempre se entregavam, gemiam gostoso e eu ali dominando, mandando eles fazerem isso ou aquilo, ficarem de quatro, de frango ou as vezes em pé, e eles ali me obedecendo, era um tesão.

Cresci, namorei várias meninas, comi algumas, mas nunca foi tão gostoso como comer um outro garoto. Acho que tinha viciado naquilo. Casei, tivemos filhos, mas ela não gostava de me dar o cu, algumas vezes deixou mas sempre reclamando que doía, que era ruim, eu não gostava, parecia uma coisa feita forçada.

Depois de nosso segundo filho resolvi voltar a comer um cuzinho de homem. Mas como fazer? Não conhecia ninguém que desse.

Um dia, já era quase 40tão, numa viagem pela empresa fiquei a noite no bar do hotel e notei um cara que me olhava, me aproximei e perguntei se a gente já se conhecia de algum lugar. Ele disse que não tinha certeza, mas que também tinha a impressão de que nos conhecíamos, isso foi ótimo pois demos inicio à um papo, até chegarmos a conclusão que não nos conhecíamos. Ele tinha a mania de tocar na minha perna enquanto conversávamos, suspeitei que ele podia ser um viadinho, então falei:

- Bom, agora nos conhecemos, vamos subir e comemorar essa nova amizade.

Ele respondeu perguntando:

- No meu quarto ou no seu?

Subimos e o levei para meu quarto, lá eu dominaria a situação.

Entramos, dei uma cerveja à ele e fui tomar uma chuveirada rápida, sai nu me enxugando, para sentir a reação dele. Ele ficou ali parado me olhando sem dizer palavra, aí arrisque e tirei a toalha da frente para enxugar o cabelo e deixei meu pinto à mostra, já meia bomba, ele levantou e veio devagar em minha direção, parou, se abaixou e colocou meu pinto em sua boca. Pronto, estava definido, eu seria o macho e ele a fêmea, fez questão de uma chuveirada e entrei com ele, o ensaboei todo e me abracei, ele também me abraçou e me beijou, eu nunca havia beijado outro homem, mas deixei, ele beijava bem, me deu mais tesão ainda. Saímos e o levei direto para a cama, nem nos enxugamos, foi um rala e rola delicioso, aí o coloquei de quatro e meti, como sempre sem pressa nenhuma, ele gemia que era uma delícia. Aos poucos ele foi abaixando e ficou de bruços, adorei. Quando gozei não tirei, deixei lá dentro e ele começou a me morder o pinto com o cu. Uma delícia.

Ficamos ali conversando, fiquei sabendo que ele também era casado, que também tinha dois filhos e que gostava de dar mas não tinha muita oportunidade e que quando me viu no bar imaginou que eu fosse ativo pois notou que por duas vezes eu tinha alisado o pinto. Depois de um tempo ele perguntou se podíamos dormir juntos pois iria embora no dia seguinte. Concordei, é claro.

Ficamos ali nus vendo TV e namorando, muitos beijos, eu estava adorando beijar, muitas caricias, muito bom. Às tantas desligamos a TV para dormir, ele deitou na minha frente e eu o abracei e me encaixei todo nele. O pinto num instante ficou duro, aí não deu para aguentar, logo estava metendo de novo, e ele gemendo bem gostoso. Depois que gozei nos lavamos e fomos dormir bem juntinhos.

Quando acordei ele ainda dormia, sem coberta, fiquei observando e reparei como era lisinho, como sua bunda lembrava a daquele menino que eu comia, fofinha e arrebitadinha. Nisso ele acordou e me viu o admirando, logo virou de bruços e abriu uma das pernas ficando numa posição bem provocativa, meu pau endureceu num instante e fui para cima dele, fodemos por um bom tempo até eu encher seu de porra. Ah! Como ele gemia gostoso.

Depois do café da manhã trocamos cartões e combinamos de nos encontrar pelo menos uma vez por semana, nem sempre isso foi possível, mas nunca passou de um mês, ficamos por ano e pouco, até que ele disse que estava pensando em largar a esposa e queria que eu fosse morar com ele.

- Não!! Olhe, eu gosto muito de você, mas jamais vou deixar minha família, nunca vou assumir que gosto de homem.

Ele reclamou e acabamos discutindo, foi embora e disse que não ia mais me procurar e que eu não o procurasse mais. Tudo bem, não o procurei mais. Imagina eu casar com um homem, por mais que ele fosse atencioso, carinhoso e me satisfizesse sexualmente muito bem.

Estou na caça atualmente, sei que vou achar, tem muito viadinho gostoso e doido para dar por aí. Tenho certeza que não vai demorar.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/coroapassiv



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente