Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Com o amigo na republica

Foi há muito tempo, era estudante e morava em republica. Um dos rapazes, o mais bonito e gostoso era meu companheiro de quarto e aos poucos começamos a brincar, a principio, eu pegava no pau dele, tocava punheta, ele gozava rápido. Depois meu pedido de segredo, o que ele sempre atendeu. Aos poucos fui avançando até que comecei a chupá-lo Um pau delicioso, médio, grosso, uma porra docinha...

Isso aconteceu por muito tempo, mas nada de sexo anal. Eu tinha medo.

Éramos melhores amigos e os outros colegas da republica não sabiam de nada.

Era muito bom, normalmente quando íamos dormir, eu ia até a cama dele e me ajoelhava ao lado, apalpando seu cacete sempre duro e em seguida o chupava. Ele gemia baixinho, e eu sentia quando estava para gozar, seu pau estufava, a respiração acelerava e ele explodia em gozo na minha boca. Eu engolia todo o esperma, como disse antes, doce.

Passou o tempo, continuamos na brincadeira, mas eu louco de vontade de dar para ele. Tinha medo da dor, eu era cabaço, nunca tinha dado antes.

Um dia, quando os outros colegas viajara, ficamos eu e ele na casa. As chupadas aconteciam, nós nos deliciávamos. Eu chupando e ele gozando na minha boca. Até que falei se ele não queria me comer... Na hora ele ficou quieto, pensativo, mas o seu cacete já dava sinal que a ideia era boa. Nos preparamos, eu de quatro sobre a cama, ele lambuzou meu cuzinho com cuspe, passou também no pau e se posicionou. Encostou na portinha e começou a forçar. Não entrava, teve que investir várias vezes, até que a cabeça entrou. Vi estrelas, pedi para parar e ele me atendeu mas sem tirar a pica do meu cu. Aos poucos fui me acostumando e dei-lhe sinal verde ao que ele atendeu, passando a me penetrar. A principio, devagar mas depois acelerando. Doía mas eu me segurava, gemendo muito, ele depois disse que o que deu mais tesão a ele foi ouvir meus gemidos. Ficou nessa foda até o gozo, que veio farto, eu sentindo o calor da sua porra dentro de mim. Arriamos sobre a cama, ele ainda com o cacete dentro de mim, até amolecer e escapar sozinho...

Essa foi a primeira de muitas fodas que demos. Continuei chupando o seu cacete todas as noites, mas quando surgia oportunidade ele comia o meu cuzinho.

Essa estória é verídica. Pena que depois de formados nos distanciamos e nunca mais nos vimos. Mas guardo o melhor sentimento por ele até hoje.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/madurogordo



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente