Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Jovem amigo do meu primo

Estava sozinho no meu quarto, revivendo meu passado, lembrei do Wagner, amigo do meu primo, que foi minha primeira transa.

Certa vez, todos já estavam dormindo, quando levantei para dar uma mijada, e tropecei no Wagner, ( dormíamos todos num colchão no chão, como se fosse acampamento ), ele acordou e veio atrás de mim, dei minha mijada, ele também deu a dele, ficou olhando eu mijar e balançar meu pau, voltamos para o quarto, estávamos em quatro, eu meu primo e dois amigos.

Deite-me de lado, e percebi que Wagner se encostou, estávamos sem camisa e só de cueca, fingi dormir, senti um prazer enorme ao percebe-lo encostado, senti seu pau na minha bunda, aos poucos percebi também que ele estava duro, me acomodei ( me encostei ainda mais ), ele percebeu que eu estava gostando e passou o dedo no meu cu por dentro da cueca, afastando a cueca com as mãos, nossa essa sensação foi incrível, me estremeci de prazer.

Começou a bater punheta, continue sem me mexer, até que senti novamente ele afastar a cueca e encostou o pau na entrada do meu cu, e começou a forçar, estava seco, não conseguia entrar penetrar.

Me fez virar de barriga para baixo, e começou a me lamber, enfiou a língua e o dedo no meu cu, deitou em cima de mim, senti seu peso, me espremendo contra o colchão, me fez abrir as pernas e deitou por dentro.

O próprio peso do seu corpo facilitou a penetração, estava molhado de saliva, já havia preparado com o dedo, alargando meu anel, senti entrar a cada centímetro, foi um prazer que nunca vou esquecer, rasgando, atolando, dilacerando minhas pregas, abria o quando podia minhas pernas e empinava meu cu para cima, queria facilitar a penetração, até que senti seu saco encostar na minha bunda, seus pelos me faziam cócegas, me arrepiava.

Ficou parado, sentia meu cu alargando para acomodar seu pau, começou bombar até que soltou seu gozo intenso dentro, senti o calor do seu gozo invadindo minhas entranhas.

Parou de novo até que amoleceu, saiu de cima, se acomodou e dormiu, sem uma única palavra.

Fiquei parado, imóvel por um bom tempo, meu corpo todo tremia, meu cu ardia, coloquei o dedo e senti que estava aberto, alargado e muito úmido da porra que ele deixou.

Aos poucos voltei a dormir, no dia seguinte não tocamos no assunto, nos olhávamos com uma certa vergonha, e não voltamos mais a nos encontrar.

Ficou a lembrança, e gosto por transar, hoje sou bissexual, casado e com filhos, porém, continuo curtindo uma transa gay, ativo ou passivo, me faz a cabeça e me relaxa, é algo que aprendi a gostar.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/sim



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente