Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Depois das encoxadas múltiplas

- Alo... Quem fala?

- Quer falar com quem?

- Com o Flavio, por favor.

- Aqui é o Flávio, quem é?

- Oii Flavio, aqui é o Oscar, como vai?

- Tudo bem, de onde?

- Flavio, aqui é Oscar, não lembra? Do Metro, semana passado.

- Nossa! Claro que me lembro. Desculpe é que no cartão só tem meu fone profissional, e normalmente não recebo telefonemas particulares nele.

- Pois é cara, você disse para ligar e estou ligando.

- Sim, fez bem, mas nesse fone não vou poder falar abertamente.

- Olha, vi no seu cartão que trabalhamos na mesma avenida, separados por apenas um prédio. Que tal um papo ao vivo.

- Sim, boa ideia. Você conhece o restaurante por quilo? Podemos almoçar lá e papear a vontade.

- É uma boa, vamos então hoje as 14 horas, essa hora vai estar mais vazio.

- Te encontro lá.

Na hora combinada fui e lá estava ele, um rapaz bonito, novo ainda, uma bunda gostosinha, que eu já tinha encoxado no Metro.

Nos cumprimentamos, entramos e fomos para uma mesa num canto mais vazio. Nos servimos e ai o papo começou.

- E então, quantos anos você tem?

- Eu tenho 23 anos, e você?

- Eu vou fazer 33 mês que vem, dez a mais que você.

- Legal, mas nem sempre fui passivo.

- E então, como foi lá com o Armando, era esse o nome dele né?

- Sim, foi muito bom, ele sabe dar prazer para um passivo. Eu adorei, mas na verdade queria você lá.

- Sei, mas eu não podia ir, hoje podemos marcar algo e ai poderemos desfrutar um do outro.

- Que legal, vamos sim.

- Mas me conte, como começou a ser passivo?

- Ah... Começou quando vim concorrer à uma vaga do programa "Jovem Aprendiz", tinha 18 anos, nessa firma que trabalho até hoje.

- É? E o que ouve?

- Bem, o cara que estava me entrevistando disse: "olhe, se você me fizer um favor a vaga é sua, mas é coisa pessoal". Sem saber do que se tratava mas precisando demais da vaga disse que tudo bem.

- E ele?

- Ai ele disse que ia me levar para fazer o exame médico e depois me falaria o que era, "tudo bem" pensei. E fomos. No caminho de volta ele me perguntou "já transou com homem?".

- Você já tinha transado?

- Nunca, quer dizer, tinha feito troca troca quando era garoto, mas só duas vezes e com o mesmo amigo de pinto pequeno.

- Mas disse isso à ele?

- Não, disse que nunca, mas que tinha curiosidade.

- Ele queria te comer ou dar para você?

- Ele não falava, só que me levou para um Motel e lá como eu era menor ele deu uma desculpa qualquer e uma nota de $50,00 e entramos.

- Humm...

- Sim, chegando lá ele me abraçou e me beijou. Eu nunca tinha feito isso na vida.

- Gostou?

- Na primeira vez não, mas ele foi tirando minha roupa e a dele também, quando baixou a cueca vi que ele estava de pinto duro.

- Era grande? Comprido? Grosso?

- Não era um pinto normal, uns 16 cm e grossinho, nada exagerado.

- E ai? Que você fez.

- Nada, fiquei ali parado, assustado, sem saber o que fazer, pensei em não deixar, mas eu precisava demais do emprego, ai pensei, que seja, vai ser uma vez só.

- E ai ele te comeu.

- Sim, não preciso entrar em detalhes né? Me fez chupar e depois me pôs de quatro, colocou a camisinha e me penetrou, devagar e até o fim.

- Nossa, e você gostou?

- Não, mas também não posso dizer que desgostei, foi estranho.

- E te deu o emprego? Claro né, você está lá até hoje.

- Sim, me deu, mas o que pensei que seria uma vez só se transformou numa foda toda semana. Toda sexta ele me chamava na sala dele no final do expediente e me comia de novo, foi assim uns três meses, eu já tinha até acostumado e me conformado, só não podia perder o emprego.

- Já tinha aprendido a gostar?

- Acho que já, sempre que chegava na sexta feira eu ficava ansioso.

- Tinha virado viadinho.

- Não, ainda não. Depois de uns três meses ele me propôs um aumento no salário. vibrei com aquilo, eu precisava mesmo. Mas ai ele me disse que eu teria que fazer algo em troca.

- O que ele queria?

- Me disse que queria fazer sem a camisinha, se eu topasse ele me dava 12% de aumento e talvez me transferia de seção.

- E que respondeu para ele?

- Olhe, eu não queria, sempre li sobre os riscos, mas a proposta era tentadora. Disse à ele que tudo bem, eu deixava sem.

- Uau! Você nem pensou muito né?

- Não, a necessidade me fez aceitar, e afinal era só comigo e com a esposa que ele metia, e sabia que ela não deixava ele por no cu dela, ele devia ser confiável

- Bem pensado, mas o risco sempre existe.

- É... mas ele me fudeu sem e eu senti uma sensação diferente quando ele gozou, um calor me invadindo, foi meio que gostoso. A partir dai sempre foi sem camisinha.

- Hummm safadinho, rsrsrs...

- É, acho que foi por essa época que senti que já gostava pois ele saiu de férias e eu ficava carente toda sexta feira.

- E por que não procurou outro?

- Medo. Já pensou se ele descobre? Me mandava embora da firma.

- Sim, mas um dia você começou a dar para outro, ou outros, né?

- Claro, a foda da gente acabou ficando meio burocrática, nem me excitava mais, e ele , acho, já tinha arrumado outro garoto, então depois de quase ano e meio nós paramos, e um tempo depois eu arrisquei com um amigo da faculdade e ele topou. Foi maravilhoso.

- É? Me conta.

- Olhe, bem que eu gostaria, mas tenho que voltar ao trabalho. Vamos marcar uma foda e lá no hotel eu te conto tudinho que você quiser saber.

- Tá, pode ser hoje mesmo no final do expediente. Essa conversa toda me deixou excitado demais.

- Sim, hoje a gente se encontra aqui na frente, tem um hotelzinho que dá para ir a pé.

- Certo, mas é discreto? E você vai querer com ou sem camisinha?

- Sim, é discreto, a gente entra pelo estacionamento e ninguém vê que vamos no hotel. Olhe, como é nossa primeira vez, é melhor com né?

- Sim, claro.

Bem, resumindo, fomos, e foi uma foda maravilhosa, ele sabe satisfazer um macho, aliás, foram duas nesse dia, eu estava muito excitado mesmo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/coroapassiv



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente