Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Dois ursos

Boa tarde! Ontem eu tive que sair mais cedo do trabalho para ir até o Centro comprar algumas peças, como tudo já estava planejado, foi tudo rápido, havia combinado com um amigo que gosta de usar calcinha também e fui logo ao seu encontro, parei no beco da fortuna e acabei comprando duas peças bem sexy para levar ao seu encontro, já que não posso levar de casa, no caminho, entrei num shopping bem ao lado do apartamento dele e fui colocar uma das calcinhas e fazer esta surpresa, toquei a campainha, toquei, liguei pra ele e nada, depois de 15 minutos, desisti bem frustrado e retornei pro Centro, mas, para aproveitar a viagem fui ao calçadão tomar a tradicional água de coco.

Estava apreciando a praia quando sou abordado por um amigo do meu pai, seu Caneco, apelido carinhoso, um verdadeiro ursão, que nunca tinha me chamado a atenção, mas com todo tesão que estava acumulado, não parei de notar seu volume na bermuda, a ponto de perguntar se o zíper estava aberto, sem graça respondi que não e disse que estava meio aéreo, perguntei o que estava fazendo por ali e disse que agora estava morando com o irmão, eu nem sabia que tinha um, seu Caneco deve ter 190cm de altura e uns 120Kg, bem peludo pelo corpo, acabei de beber a água de coco e me levantei para jogar no lixo, ele falou que foi muito bom me encontrar e que se eu quisesse um dia podia vir ficar com a família no seu apartamento, que poderia deixar o carro no estacionamento do prédio que ele tinha duas vagas e só um carro, fomos caminhando e quando entramos na sua rua seu irmão que era foto cópia dele estaca chegando de carro, feitas as apresentações ele me convidou para entrar e tomar um café, fazer né!

Chegamos primeiro que seu irmão pois ele estava estacionando, fomos direto para a cozinha e ficamos conversando, falando só besteiras, como, quando meu pai me pegou comendo a Aninha e depois o Marquinhos, rimos e sem perceber, o irmão chegou, entrou, foi tomar banho e veio pra cozinha peladão, peladão mesmo, com tudo de fora, acho que pra eles isso é normal, eu não pude parar de olhar pro seu mastro, gordo e adormecido sobre um saco gigantesco, seu Caneco percebeu meu olhar e perguntou se eu estava mudando de time, dei uma risada e disse que não sabia, falei que não estava acostumado a ver um pau de macho assim tão de perto e grande deste modo, eles riram e ele pediu para eu mostrar o meu, sem vergonha eu abri a calça e fui abaixar a cueca que não era cueca, eles ficaram atônitos, Caneco não falou nada, mas seu irmão, soltou um palavrão e apertou minha bunda.

O seu irmão falou na hora, que agora além de mudar de time eu seria putinha de dois ursos, ele me puxou de costas e ficou esfregando seu mastro gordo e mole na minha bunda, a surpresa que seria para outro homem se tornou a de dois ursos, foi uma sensação estranha, ao mesmo tempo em que ele me apertava eu sentia seu volume crescer e invadir meu rego, eu gradativamente abria as pernas para ele entrar e se agasalhar, não sei se era o suor, mas o seu mastro deslizou gostoso no meu rego, o seu Caneco, ficou beijando meu pescoço e aos poucos direcionando meu rosto para baixo, precisamente na direção do seu pau, que já estava duro e pra fora da bermuda, o cheiro estava forte e não consegui colocar a boca, então ele falou para irmos juntos tomar banho, entramos no banheiro comigo na frente para ir rebolando pra ele. Fez questão de tirar minha calcinha e entrar no chuveiro, foi um banho delicioso, sua mão também era grande, seu pau maior que do seu irmão, quando estávamos nos enxaguando o Pepe entrou também no chuveiro, e ficamos na mesma posição que estávamos na cozinha, com o Pepe me sarrando e eu mamando o Caneco, era um pau volumoso, só consegui colocar a ponta da cabeça na boca, e a pontinha da língua no buraco do seu pinto, lambi ele todo, o sacão, que devia pesar uns dois quilos, e cada lambida eu escutava seus gemido e sua fala baixinho dizendo, que gostosa, sua putinha, volta e meia eu sentia a cabeça do mastro do Pepe tocar no meu anel e dar uma forçadinha, travei as coxas e ele bombou seu mastro como se estivesse me fudendo por completo o cu, suspirando e dizendo que iria gozar.

Seu Caneco disse que não queria fazer tudo ali, e fomo para a sala, pediu para eu deitar no sofá de barriga pra cima e colocar a cabeça no braço do sofá, o Pepe já tinha entendido e veio ficar com seu pau duro esperando eu colocar a cabeça, inclinei o pescoço e abri a boca, ele foi tentando meter na minha goela, ele tocava uma punheta e colocava na minha boca seu caralho, a cabeça era um pouco mais fina que a do Caneco, mas de calibre grosso como a do irmão, mas a cabeça eu conseguia colocar na boca e ficar sugando, ele delirava, com a cabeça do pau toda enterrada na minha boca ele tocava uma punheta alucinante e seu Caneco, ficou lambendo meu rabo, com a língua enterrada no meu cu ele tirava e dizia que eu já tinha tomado muito no rabo, perguntei se era experiente nisso e ele provocou dizendo, olha só, colocou uma camisinha manga longa e lambuzou meu cu de KY, ficou segurando a rola e esfregando o KY no pau e na minha bunda junto, misturando e forçando, doía e relaxava, o Pepe disse que iria encher minha boca d leite e quando falou já veio logo um jato quente direto na minha garganta, relaxei para tentar sentir seu pau entrar mais um pouco e o que entrou foi o pau do caneco, que tirou um gemido sufocado de mim. Parou com a cabeça dentro e foi falando e empurrando bem devagar, sabe aquele conto de que se a cabeça entrar o corpo todo entra, sente só, dizia ele, e aos poucos fui sentindo meu cu ser arregaçado por aquele pedaço de músculo duro e latejante, não sabia onde me concentrar, se na boca com todo aquele pau despejando leite sem parar ou com o cu preenchido com uma tora grossa, pesada e que parecia ter vida própria, ele fazia alguma coisa com o pau que ele tinha fluxos de onda pelo seu membro, coloquei a mão e senti seu pau enterrado e o peso do seu saco encostando na minha bunda, ele ficou parado só com o pau latejando no meu rabo e dizendo que estava gozando muito, puxou um pouco para fora e enterrou novamente, fez isso umas cinco vezes e tirou de vez, a camisinha ficou pendurada no meu rabo, desci do sofá e fiquei de quatro para repor a postura, foi quando ele disse que parecia um bezerro com rabinho e tudo, fiquei parado e sentindo todo seu leite sair pela camisinha e escorrer pelas pernas.

Fiquei parado esperando as forças retornarem e fui até o banheiro tomar um banho com eles novamente, quando cheguei, só o Pepe estava no banho, entrei e mamei novamente seu pau, que estava duro, mamei e deixei mais duro ainda, ele falou que iria gozar então eu sai do chuveiro peguei uma camisinha no armário e encapuzei seu pau, fiquei de quatro segurando na porta blindex e ele foi enterrando seu caralho devagar e apertando minha bunda, o seu Caneco chegou e já com o pau duro e melado, colocou na minha boca, dizendo que não tinha como entrar no chuveiro para se lavar então eu teria de limpar seu pau todo, chupei a cabecinha e toquei uma punheta para ele até encher minha boca de leite, como tinha leite este velhos, desta vez sai do banheiro com a bunda vermelha de tanto apertão e estocadas do Pepe. Acabamos tomando banho juntos, um ensaboando o outro e fomos tomar o café, nos despedimos e sai de la com a promessa de que teria sempre um pau pronto para me satisfazer!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/decalcinharj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente