Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Trabaho extra

Boas! Um grande amigo me ofereceu um bico de manutenção para o sindicato dos funcionários de limpeza do shopping na Barra da Tijuca, pois ele não teria condições de dar este suporte por estar viajando em missão, perguntou se eu poderia ir, como era um convite deste amigo em questão, minha mulher nem falou nada, ainda me deu uma carona até próximo, como já tinha ligado para a secretária e marcado a visita, fui e cheguei bem antes do determinado, a Paula muito atraente e simpática foi me mostrando todos os locais de monitoramento, quando retornamos, fomos até o gerente que já havia chegado para me receber, sou um cara de sorte mesmo, um senhor de 68 anos, magro elegante, cabelos branquinhos, olhos cor de mel, um bigode grosso e dono de um belo sorriso, com uma voz de trovão, a Paula nos deixou e fomos direto ao serviço, falou o que precisava e foi me mostrar as áreas que já tinha conhecido, então ele retornou para a sala, disse para a Paula que estaria no quarto de monitoramento, abriu um compartimento por entre a estante e entramos num quarto mesmo, com cama, frigobar e os monitores na parede monitorando tudo, perguntei por tudo inclusive a cama, onde ele falou que após o almoço gostava de ficar ali para tirar uma soneca ou fazer um outro tipo de reunião de serviço, falando isso deu um sorriso de canto de boca, como estava ligado nos movimentos das câmeras não dei muita importância ao que tinha dito, falou que poderia ficar a vontade e que ele estaria no escritório, mostro o botão para abrir a porta e saiu. Esqueci de dizer que tinha um banheiro também, quando levantei para dar uma mijada, notei um collant, tipo body, pendurado no box, a minha imaginação foi a mil, depois de ver aquela peça, não parava de ficar imaginando como seria vestir aquilo e até em comprar uma para minha mulher.

O gerente retornou a saleta e perguntou se estava tudo bem e se eu estava precisando de algo, passei uma pequena relação de peças e equipamentos feito a caneta mesmo e falei que enviaria por e-mail o relatório completo, disse ainda que isso poderia ser feito naquele dia mesmo se tivesse as peças nas mãos, ele gritou pela Paula e fez o pedido para o boy buscar rapidinho, enquanto estava esperando fiquei no pátio pegando um Sol e relaxando a cabeça, quando olhei para a janela, notei que o gerente estava falando com outro coroa e me observando, meio sem graça eles se viraram e continuei minha caminhada relaxante, só que hora em hora eu passava a mão no pau e apertava, quando o boy retornou, a Paula veio me chamar e pediu para eu conferir tudo e que já poderia entrar para fazer o serviço, informou que o gerente já tinha saído para o almoço e que eu poderia ficar tranquilo que ninguém iria me atrapalhar. Entrei desmontei o primeiro PC e montei rapidamente deixando um brinco, no segundo ao tentar tirar um lacre acabei cortando a parte de cima de uma das mãos, fui ao banheiro e coloquei um papel higiênico para travar o sangue, terminei a segunda máquina e entrei no banheiro para lavar a mão e ver o estrago do corte, travei a porta e aproveitei para provar o body, era curto e ficou enterrado no rego, não dava nem para respirar, mas ficou uma delícia, tanto que abri a porta e fui pegar o celular para tirar fotos, sem perceber, não escutei o gerente abrir a porta quando retornou do almoço, e não percebi que tinha deixado a porta do banheiro entreaberta, só me dei conta quando escutei um PUTZ", era o gerente com os olhos arregalados me devorando por completo, virou-se e trancou a porta do quarto, retornou a visão para mim já abrindo a camisa social, com aquele sorriso de canto novamente, dizendo desconfiar que eu era tesudo, e que eu seria o empregado bem mais pago da firma, chegou perto de mim, me virou e foi logo cheirando meu rabo, ele ficou alisando e apertando meu rabo com beijinhos por muito tempo, eu neste momento não pensava em mais nada além de receber uma pirocada bem dada, ele se levantou falando que estava perfeito em mim e que eu poderia até levar pra casa, forçou o meu peito para a pia e com um dos dedos tirou o fio dental do meu rego e meteu a língua bem fundo, chupou meu cu com tanta vontade que pensei dele tentar sugar tudo de dentro de mim, a língua dele ia bem fundo e ao mesmo tempo apertava minha bunda com muita força, pediu para eu sentar no vaso e chupar o seu pau, um caralho tamanho normal, liso, sem pele e um saco bem murcho, seus ovos não paravam quieto, eu gosto de cheirar e dar beijinhos antes de mamar gostoso, mas quando desci para lamber seus ovos seu pau já estava todo babado, vazando seu néctar, que delícia, abri a boca e deixei ele ir metendo bem devagar, controlando seus movimentos, com ele quase todo na boca, fui tentar colocar a língua no saco e quase vomitei, ele segurava minha cabeça e fazia os movimentos de entrar e sair, bem devagar, pedindo para eu usar só os lábios, para os dentes não machucar seu pau, cada estocada sentia seu mastro aumentar de volume me deixando todo arrepiado, quando sua veia estufou, pensei que receberia um jato de porra na boca, cara e garganta, mas ele segurou e falou que não tinha muito para jogar assim ao vento e disse que queria despejar na minha bunda, fui me posicionar na cama com o body enterrado no rabo e ele foi colocar a camisinha com um perfume delicioso, falei que seria a primeira vez que eu receberia uma pica perfumada, fiquei rebolando pra ele enquanto colocava a tal camisinha e ele não parava de falar besteiras de tanto tesão, chegou bem perto e puxou novamente o body para o lado e derramou todo o pote de KY no meu rego, lambuzou tudo, enterrando um e depois dois dedos para então apontar sua pica na entrada e ficar alisando meu anel com sua cabeça roxa, eu rebolava fazendo ele sair da entrada ou ficava descendo e subindo o quadril para fazer sua pica deslizar no meu rego, quando ele apontava novamente na minha entradinha eu piscava o cu para deixa-lo louco.

E foi o que aconteceu, cada piscada ele tentava enterrar de uma só vez, mas eu contraia, então ele colocou mais gel e foi empurrando bem devagar, foi uma sensação diferente, sentir meu anus engolindo sua cabeçona bem lentamente, e assim que ele entrou totalmente eu pude piscar o cu com mais facilidade e todo o corpo do seu mastro foi deslizando até o fundo, pude sentir seus pentelhos do saco batendo na minha bunda, com todo seu pau enterrado ele ficou alisando minha bunda e dando palminhas gostosas pedindo para eu ficar contraindo o anus para ele ficar louco, ficamos assim por um bom tempo, ele me alisando, apertando meu saco e tocando uma punheta pra mim bem gostosa, quando falei para ele não tocar mais pois estava quase gozando, ele largou meu pau, apertou minha bunda e iniciou os movimentos de vai e vem, com força e rapidez, não chegava a sair de dentro mas podia sentir a pressão de sua cabeça ao chegar na porta, meu cu estufava, e ele enterrava tudo e voltava até a porta, tirando de mim gemidos de tesão, já estava quase anestesiado de tantas estocadas quando pude sentir seu pau crescer e ele urrar de tesão anunciando seu gozo.

Ficamos engatados por alguns minutos e assim que ele tirou a vara de dentro de mim, pude notar que estava um verdadeiro macarrão cozido e bem comprido. Tirei o body que me marcou o corpo e tomei uma ducha bem gostosa, recompomos os ânimos e fomos para o escritório falar do serviço e pagamento, o bom é que terei de voltar sempre para fazer o back_Up e revisões. Já marcamos que sempre vamos ter uma peça nova para experimentarmos juntos.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/decalcinharj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente