Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Descabacei o cu do meu amigo de trabalho

Meu nome é Ivo e vou contar como comi o cu do meu colega de trabalho Daniel durante uma viagem no interior de São Paulo. Nós dois trabalhávamos em uma firma de logística que prestava serviços em todo país. Fomos para o interior de São Paulo, e num dia de muito trampo, tivemos que pernoitar em Americana e dividimos o mesmo quarto que tinha apenas uma cama de casal. Depois de terminar todas as entregas, fomos para um hotel da cidade e fui tomar banho, Daniel foi ao banheiro e me viu batendo punheta. Eu muito safado posicionei-me de forma que ele pudesse ver melhor meu pau. Percebi que Daniel que era um cara meio rústico, o tipo machão, começou a ficar trêmulo e a respiração mais ofegante.

Comecei a punhetar e chamei ele pra entrar no banheiro também. Damião era mais puto do que eu imaginava, quando dei por mim já estávamos pelados e um acariciando o pau do outro.

Daniel tinha a bunda mais bonita que já vi: grande, redonda, malhada e o que é melhor: virgem! Depois de tomarmos banho juntos, fomos para cama e mandei Daniel ficar de quatro. Comecei a chupar o seu cuzão deixando-o doido de tesão, meu pau ficou duraço, pronto pra meter no rabo daquele macho gostoso.

Falei pro Daniel que queria meter no seu cu, ele falou que não sabia se ia aguentar o meu pauzão no rabo, pois nunca havia dado pra ninguém, mas que tinha vontade. Então, fui até uma farmácia comprei uma bisnaga de gel e umas camisinhas, Daniel chupou meu pau novamente, e ficou admirado com o tamanho e, principalmente com a grossura.

Lambuzei muito o seu cuzinho enfiando o dedo polegar e empurrando gel pra dentro, ele gemia de prazer e se contorcia de dor. Depois dessa primeira fase, lambuzei muito meu pau e fui encostando no seu cuzinho que piscava esperando para ser penetrado.

Daniel com medo, começou a contrair as pregas, mandei ele relaxar e fazer força como se fosse cagar pra ver se sua rosca abrisse um pouco mais. Ele fez o que eu mandei e a cabeça do meu pau foi deslizando cu adentro. Segurei ele pela cintura fiz um pouco de força e ele deu um grito de dor. Sentir suas pregas sendo arrebentadas, parei um pouco pra ele se acostumar com a grossura do meu pau no seu rabo já desvirginado.

Depois de uns três minutos, eu comecei um movimento lento de entra e sai, nisso Daniel acabou soltando um peido. Elle gemia de dor, mas percebi que estava sentindo muito prazer em ser enrabado. Mandei Daniel relaxar um pouco mais e curtir meu pau no seu cu, pois nunca mais iria esquecer daquela foda gostosa e certamente iria querer que eu lhe comesse muito mais.

Ele relaxou e eu o peguei firme pela cintura e dei uma estocada sem dó que entrou até o talo. Daniel deu um grito de dor e pediu que eu tirasse, pois estava com uma vontade incontrolável de cagar. Depois de alguns minutos de espera, Daniel mandou eu meter novamente no seu cu que voltou ainda mais gostoso depois de cagado. Eu comecei a bombar seu rabo, tirando e socando até o fim, com esses movimentos de entra e sai, Daniel não parava de peidar. O cu de Daniel já estava ficando largo, bem arrombadinho, aquilo ficou bom demais,o atrito do meu pau com suas pregas fazia um barulhinho gostoso.

Coloquei aquele macho de quatro e socava fundo sem dó, peguei o puto de jeito e meti muito no seu cuzinho, que até pouco tempo era virgem. Daniel já estava com o cu bem relaxado mesmo que começou a cagar de novo no meu pau. Dessa vez não deixei ele fugir, quanto mais forte eu socava, mais ele peidava.

Vê aquele macho troncudo e gostoso se peidando todo no meu cacete, me deu um tesão fora do comum, o que fez com que eu socasse cada vez mais e sem dó. O cu de Daniel mastigava o meu pau como se quisesse parti-lo ao meio. Meu cacete foi engrossando, pulsando, e de repente veio uma comichão anunciando que iria gozar dentro daquele cu gostoso. Estava adorando gozar no cu do meu amigo, enterrei meu pau até o saco e só tirei depois que amoleceu. Quando tirei a pica do cu de Daniel, ele peidou de novo e constatei que havia realmente vindo suja de merda, além de um pouco de sangue também. Fui tomar banho e sem o menor pudor, Daniel sentou no vaso e começou a cagar na minha frente.Deixei o seu cu tão arrombado que ele não fazia tanta força pra cagar e continuava peidando muito.

Depois desses detalhes íntimos e pessoais, fomos deitar juntinhos e abraçados como um casal de amantes. Enfiei o dedo no seu cuzinho do meu amigo e vi que tava bastante arregaçado. Não resisti e enfiei a lingua naquele buraco vermelho e dolorido, chupei tanto aquele rabo gostoso e sem eu menos esperar, Daniel soltou um peido na minha cara. Aproveitando a minha excitação com o ocorrido, o puto começou a chupar o meu pau e num rompante de prazer e tesão, enchi a sua boca de porra quente. Fomos dormir exaustos e satisfeitos com a putaria. Na manhã seguinte, fui acordado com a boca gulosa de Daniel mamando minha vara, pedindo que eu comesse seu cu outra vez.

Ele falava que seu rabo tava ardendo, mas não queria perder a oportunidade de ser enrabado por mim novamente. Passei a manhã quase inteira metendo na bunda de Daniel e para o meu bel prazer, fiz aquele puto safado peidar pra caramba no meu pauzão. Voltamos para São Paulo e a nossa amizade cresceu consideravelmente. Viramos amantes de verdade, onde também dei inúmeras vezes a bunda pra Daniel nas nossas deliciosas fodas. Uma trepada que aconteceu despretensiosa, ainda dura até hoje.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente