Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Dando para o tio caçula

Vou tentar relatar o que rolou comigo durante este feriado..

Hoje aos 50 anos, depois de tantas trepadas, nunca imaginei que um Tio tão chegado seria meu amante tão querido, fui criado pela minha vovó, com a separação dos meus pais, e acabei crescendo junto com meu Tio que era o caçula dos 6 irmãos, meu Tio acabou sendo meu irmão mais velho e melhor amigo, foi o que me ensinou a dirigir e a me dar as primeiras revistas de desenhos pornô, revistas que curto até hoje, como ele desenhava muito bem, algumas guardo até hoje. Lembro quando ele casou que fiquei muito triste e com raiva da minha então Tia, que levou meu tio para Portugal e nunca mais o vi. Até hoje, quando fui buscá-lo no Aeroporto do Galeão.

Para minha surpresa ele veio sozinho, para comemorar o aniversário do meu Pai, como estaria só essa semana, com minha esposa cuidando do meu netinho em Brasília, falei pro meu Pai que o tio iria ficar na minha casa, quando o recebi no desembarque nem acreditei, meu tio se tornou um coroa muito pintoso, todo grisalho, agora bem parrudo, e completamente em forma, logo brincou que eu estava com uma barriguinha saliente e perguntou de quantos meses, rsrsrs Ao nos abraçarmos notei que estava de pau duro, sem vergonha perguntei se estava excitado com alguma aeromoça, ele disse que não quis ir ao banheiro do avião e que estava louco para urinar, rimos mais um pouco e fomos para casa, mostrei o quarto e ele foi logo ao banheiro, disse que poderia ficar bem à-vontade pois estávamos sozinhos essa semana, acomodei sua mala no quarto onde tinha uma cama de casal e voltei pra sala, quando meu Tio sai do banheiro só com a camisa aberta, aquele peitoral cabeludo e seu pau meia bomba aliviado por mijar bastante, não pude disfarçar, era uma pica de respeito. Mas não comentei nada até porque cheguei a ficar arrepiado, ele perguntou onde estava a mala e eu apontei o quarto, ele já foi se virando e tirando também a camisa mostrando aquele rabo cabeludo, brinquei falando que a academia dele estava fazendo muito bem e que queria pegar umas dicas, ele resmungou alguma coisa que não entendi e fui até a porta do quarto para entender o que estava falando.

Todo pelado ele então pergunta o que iríamos fazer agora pois queria saber o que vestir, falei que ele poderia descansar um pouco e que mais tarde eu o levaria até meu pai, ele então, falou que jogaria uma água no corpo e deitaria para relaxar, eu fui pro quarto trocar de roupa e falei que daria um pulo na padaria para comprar alguma coisa pro lanche, ele disse que iria comigo e chegou até a porta do quarto onde estava trocando de roupa, fiquei um pouco cabulado mas continuei a tirar tudo, fui tirando peça por peça e dobrando para deixar arrumado, ele então, sentou na cama e ficou alisando o pau, pude ver pelo reflexo do espelho, aquilo me deixou arrepiado novamente, como eu iria me comportar, ele fez algumas perguntas e acabou chegando ao assunto de sexo, como eu estava com minha esposa e se eu tinha uma comidinha fora, ri e fui falando que era pinto caseiro, ao me arriar para guardar o sapato, fiquei com o rabo bem na sua direção e arreganhei bem as pernas para mostrar o que eu não era caseiro, ele não falou nada, mas ao passar perto dele para ir ao banheiro ele alisou minha bunda e apertou, nesse momento eu parei e esperei, ele então falou que sempre admirou minha bunda e que agora estava bem grande e durinha, sem perceber, dei uma reboladinha e sai do quarto, quando me abaixei para lavar o rosto, senti um volume encostar na minha bunda, gelei, tremi, sei lá o que eu senti, quando levantei meu Tio estava de pé atrás de mim e disse que sempre come um macho casado por semana, e que eu era um presente que sempre quis ter, nesse momento coloquei as duas mãos na pia, abri as pernas e esperei o que ele iria fazer.

Senti suas mãos alisando minhas costas e seu beijo na minha nuca, sua voz sussurrar no meu ouvido, quer ser meu presente, só consenti com a cabeça positivamente e suas mãos me envolveram apertando meu corpo num abraço forte e seu caralho já duro escorregando pelas minhas coxas, pude sentir seu pau passar por baixo do meu, fechei as pernas para sentir seu volume todo nas minhas coxas e sua barba por fazer arranhar meu cangote, que abraço gostoso, ficou agarrado na minha bunda por um bom tento, pegou um pouco de sabão liquido e lambuzou minhas coxas, para o seu pau deslizar na encoxada que estava me dando. Não demorou e ele encheu a pia de leite na punheta com minhas pernas, quando tirou o pau eu mais que depressa, abaixei e abocanhei seu caralho completamente duro e lambi todo seu leite que ainda estava pingando, ele deu um urro e falou que tinha muito mais. Mesmo assim continuei mamando seu pau que é muito gostoso, grande não muito grosso mas com veias grossas que davam uma beleza diferenciada aquele caralho, ele falou que minha boca era uma seda e que iria gozar bastante nela, nesse momento eu iniciei uma mamada segurando com uma das mãos seu pau e chupei gostoso, passando a língua por todo o volume e brincando com a pontinha do seu pau, abocanhei e tentei colocar ele todo na boca e ficar com a língua alisando ele todo dentro da boca, meu Tio segurou minha cabeça e sem deixar eu respirar, tomou o controle da situação e fudeu minha garganta como se estivesse comendo um rabo, quase vomitei mas ao tirar a pica da boca para respirar tomei um jato de porra bem no fundo da garganta e por todo rosto, chegando a engasgar de tanto leite.

Peguei uma toalha e dei pro tio jogar uma ducha, não parava de falar que estava com muito tesão e que eu era um sonho, não tinha creditado que eu havia pedido para ele ficar comigo, acabei entrando com ele no chuveiro e tomamos um bom banho, lavei aquele corpo todo e falei que lembrava dos banhos que tomávamos quando eu era criança, ele riu e disse que não lembrava disso, deixei ele no banho para se repor e fui pro quarto, colocar uma calcinha da minha esposa e esperar o Tio sair do banho e me ver deitado na cama, como uma putinha esperando seu macho.

Ao sair do banheiro e olhar para o quarto, pude escutar ele falando, "CARALHO ! QUE DELÍCIA!" senti suas mãos alisando meu calcanhar e subir bem devagar beijando todo meu corpo, foi uma sensação única, meu Tio foi subindo e deixando seu corpo pesar sobre o meu, seu pau logo encostou na minha bunda, ele perguntou bem dentro do meu ouvido, você costuma dar esse rabinho? Respondi com uma rebolada e empinada de bunda no pau dele. Então ele me abraçou forte, com os braços por baixo de mim e cravou sua pica no meu rabo, por cima da calcinha, ficou cravando até a cabeça do seu pau furar a calcinha, ele então levantou e bem devagar foi tirando a calcinha e beijando minha bunda, ao retirar toda ele eu ainda empinei o rabo para deixar bem na cara dele, o Tio segurou minha bunda, abriu bem e meteu a língua no meu cu, que loucura, adora sentir a barba por fazer roçar no meu rego, fiquei rebolando a bunda em seu rosto, ele então deitou e pediu para eu sentar no seu rosto novamente, ajoelhei ao lado de sua cabeça e fui sentando na sua boca, sua língua percorria meu rego do saco até o cu, fazendo-me delirar, então fiquei parado só sentindo aquela língua no meu cu e segurei seu pau, abaixei o troco e abocanhei novamente seu caralho enquanto era fudido por sua língua, fiquei chupando só sua cabeça e alisando com a minha língua sua glande, seu pau dilatava e suas veias logo ficaram bem avolumada, Tio perguntou se eu queria colocar a camisinha ou se eu queria beber mais leite, falei que agora meu cu queria tomar esse leite todo, então ele pediu para eu colocar com a boca e logo sentar no seu pau. Segurei com uma das mãos o seu caralho e apontei na minha entrada, fui deixando o corpo cair e meu cu engolir aquele volume tesudo, sentei devagar até o final, pude rebolar sobre o saco do tio e ver seus olhos tremerem, ele pediu para eu virar de costas pra ele, sem tirar o pau de dentro eu só rodei o corpo, ele pediu para eu deitar por sobre ele e levantar as pernas, como frango assado, doeu um pouco, mas ele segurou minhas pernas e levantando sensivelmente meu corpo ele começou a bombar seu caralho no meu cu, o pau chegou a sair umas três vezes, mas achou o caminho de volta bem rápido, totalmente a disposição do Tio e Le bombou e foi acelerando as estocadas até eu sentir seu mastro dilatar e ele urrar novamente de tesão enchendo meu rabo de leite, quando o leite parou de jorrar, ele me soltou e me deixou caído sobre seu peito, fiquei tremulo e só sentia seu pau contrair dentro de mim, ficou assim uns cinco minutos e depois nos viramos de ladinho com ele ainda me segurando e seu pau duro dentro de mim, quando ele tirou e foi pro banheiro eu fiz algo que nunca tinha feito, segurei ele e puxei a camisinha apertando seu pau para nada pingar no chão e abocanhei seu pau para deixá-lo limpinho, o seu pau não amoleceu e com a mamada para minha surpresa ele pergunta se eu gostava mesmo de leite, e ao só olhar para ele com a pau na boca mamando, o Tio segurou minha cabeça e novamente fudeu minha garganta até me dar mais leitinho, isso tudo só na sua chegada, fiquei imaginando como seria dormir com ele essa semana toda!

Mais isso vai ser outro ou outros contos que colocarei aqui, para amanhã, já deixei preparado um bory da minha esposa, para eu usar quando ele acordar, meu cu até piscou....

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/decalcinharj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente