Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Mamei o pai do meu melhor amigo

Sempre achei o pai do meu melhor amigo um coroa atraente. Na casa de uns 50 anos, alto, parrudo, peludo, cabelos um pouco grisalhos, típico homem macho. Obviamente nunca dei pinta que pensava isso dele, afinal, eles não sabem que de vez em quando eu gosto de virar menina para caras mais velhos. Rs

Certo dia fui convidado para um churrasco na casa deles. Como fui sozinho, cheguei mais cedo pra ajudar no que fosse preciso. Só estavam em casa o meu amigo e o pai dele. A mãe tinha ido no mercado comprar o que faltou e mais ninguém havia chegado ainda.

No quintal havia uma piscina e o pai dele estava lá dentro. Meu amigo me recebeu e disse que ia no quarto buscar a carteira porque ia precisar comprar gelo e, logo em seguida, saiu de casa. Quando eu me aproximei do coroa, ele saiu da água e aí não pude resistir. Ele tinha uma piroca enorme, que mal cabia na sunga! Tentei disfarçar mas enquanto ele vinha na minha direção eu não conseguia tirar os olhos daquele volume.

Ele esticou a mão, me cumprimentou, perguntou como eu estava e pediu pra eu ajudar com algumas coisas na cozinha enquanto o Junior (nome fictício do meu amigo) ia comprar o gelo. Fui até a cozinha com ele, sem parar de olhar pra ele. Aquele coroa todo molhado, aquela sunga apertada, com uma rola enorme dentro. Fiquei imaginando o estrago que ela faria na minha boca e no meu cuzinho apertado.

A cozinha era um pouco pequena, com uma mesa no meio e os móveis e eletrodomésticos em volta. Fiquei de pé próximo à mesa arrumando os copos e talheres. Nisso, o paizão me pediu licença e passou atrás de mim. Senti aquela pica roçar de leve na minha bunda e, mais uma vez, acabei olhando e babando por ela.

Quando ele foi passar por mim novamente, comentou: "Olha, desde que você chegou você não tira os olhos do meu pau. Você também fica manjando a rola do meu filho!?". Confesso que levei um baita susto com essa direta que levei tão de repente. Ele viu que me assustei, deu risada e disse: "Relaxa, estou brincando. Rs. Você realmente não tirou os olhos de mim, isso eu percebi mesmo. Nunca viu tão grande? Rs." Eu também ri e respondi: "Olha, na verdade não. Nunca vi tão grande. Mas também não fico manjando a rola de ninguém por aí de forma tão descarada como fiz com o senhor. Me desculpe mas não resisti".

Ele me olhou nos olhos e disse: "Olha, nós te conhecemos há anos e não quero problemas pra ninguém. Mas fique ciente que quero uma resposta agora sua: você realmente gosta de piroca ou só olhou a minha por curiosidade?". Eu não consegui mentir pra ele: "Confesso que de vez em quando gosto de brincar numa rola, mas seu filho não sabe nada sobre isso. É um segredo só meu".

Ele retrucou: "Hmmm isso é bom. Então já que você me contou um segredo, vou te contar um também. Eu gosto de pular a cerca comendo garotos da sua idade. Quer que eu te faça minha filha putinha?". Mais uma vez a minha reação foi de surpresa. Eu nunca iria imaginar que o pai do meu melhor amigo fosse um tio tão safado e puto. Olhei novamente pra sunga dele e a cabeça do pau estava pulando pra fora. A pica dele estava endurecendo durante nossa conversa.Olhei pra ele e respondi: "Eu adoraria."

Ele me puxou pelo braço, me fazendo ajoelhar e disse: "Então mama a caceta do papai. Hoje não vou ter tempo de comer teu rabinho, mas fique ciente que você será minha amante sempre que eu quiser". Nisso ele tirou aquela picona pra fora e me fez cair de boca. Seus braços fortes forçavam minha cabeça a engolir a rola dele inteira mas era impossível. Eu adoro mamar, mas nunca tinha experimentado uma pica tão grande e grossa. Tinha uns 22cm e minha mão mal fechava na circunferência daquele cacete maravilhoso.

Fiz o melhor trabalho que eu pude.Chupei com vontade, engoli até onde eu conseguia, me engasguei, levei tapas na cara, fui chamada de puta e fui tratada como uma. Ele praticamente estuprou minha boca e eu adorei. Ficamos nesse tesão até que ele mandou: "Olha pra mim, princesa. Seu papai vai gozar na sua cara. Coloca essa língua pra fora agora."

Fiz o que ele mandou e não demorou muito até eu receber muitos jatos de porra na minha cara. Todos eles muito fartos e quentes. Parecia que ele não gozada há dias! Quase não consegui abrir os olhos com tanto esperma que escorria no meu rosto. A melhor gozada que já recebi até então. Me senti um depósito de porra. Uma sensação deliciosa aquela quantidade enorme de leite escorrendo.

Imediatamente ele pegou um pedaço de papel toalha e pediu pra eu não deixar cair no chão ou na minha roupa, pra evitar suspeitas. Enquanto eu me limpava, ele enfiou o cacete novamente na minha boquinha pra eu mamar mais um pouco e deixá-lo bem limpo. Um pau delicioso, inchado de tesão, mole e todo melado. Depois, fui até o banheiro lavar meu rosto, imaginando o quão gostoso e surreal tinha sido aquela experiência. Com certeza eu ia querer mais daquele homem.

Mais tarde, o churrasco rolou normalmente como se nada tivesse acontecido.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/biabellarj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente