Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Arrombou as pregas do meu cu

Sou um cara casado, corpo bacana e muito bem cuidado, desde adolescente, sempre tive um tesão enorme no meu traseiro, mas nunca tive coragem até então de realizar a minha fantasia de ter um macho pirocudo arrebentando as pregas do meu cu. No inicio do ano viajei para um congresso na Bahia, e lá encontrei um velho amigo que há anos não via. Durante a nossa estadia no hotel, não nos separamos mais, colocamos o papo em dia, até que rolou um clima de sexo e pegação entre nós.

Durante as nossas conversas recheadas de putarias, expliquei que a minha fantasia era sentir o pau de um macho todo dentro do meu cu. A sua reação foi tão imediata, que ele me convidou para subir para o seu quarto e ficarmos mais a vontade. Então ele com toda sua experiência, foi me beijando e me envolvendo em seus braços, abaixou a cueca de deixou saltar uma pica que era descomunal.

Já havia visto uma pica preta e enorme como aquela só em filme pornô. Por mais que já conhecesse a fama de pauzudo que ele tinha, nunca vi pessoalmente para me certificar se tudo aquilo era verdade ou simples boato. Miguel (fictício), confessou que seu pau media 23cm, o que de fato me deixou completamente assustado e muito excitado também. O clima esquentou de tal forma que quando dei por mim já estava mamando sua vara e imaginando se aguentaria tê-la por inteiro no meu rabo virgem pela primeira vez.

Ele chupou meu cu bem gostoso, enquanto eu chupava o seu pauzão. Miguel falou no meu ouvido que o seu maior sonho era poder um dia me enrabar, que já havia batido várias punhetas pensando no meu cu. Fiquei feliz mesmo sabendo que poderia até me cagar de dor com aquele pauzão todo dentro do meu traseiro. Continuei a chupar sua vara grande e grossa que mal cabia na minha boca, deixando bem molhadinha e enchendo o negão de tesão. Depois do boquete, ele tirou da minha boca e me mandou ficar de quatro ainda na beira da cama.

Embora com medo obedeci e senti aquela jeba grossa e cabeçuda forçar minhas pregas virgens. Num misto de dor e nervosíssimo, comecei a peidar depois de várias tentativas frustradas de atolar aquela tora enorme no meu cu. Mesmo assim ele não parou de tentar, até que com a ajuda do ky, a tora entrou gostoso, restando só as bolas de fora.

A sensação era indescritível, parecia que tinha um salame italiano atolado no meu rabo. Comecei a expulsar o pauzão de Miguel do meu cu como se tivesse cagando, quando o cacete saiu, veio uma rajada de peido, o que me deixou um tanto constrangido. Ele adentrou meu cuzinho apertado segurando minha cintura e foi metendo vagarosamente até que entrou tudo até o talo outra vez.

Em poucos minutos senti ele acelerar sem dó, seu pau entrava e saia de dentro de mim me fazendo peidar ainda mais. Meu cu começar a latejar e a pulsar descompassadamente como se mordesse o pauzão deMiguel. Com isso eu já não aguentava mais e pedi pra ele tirar e nesse momento para a minha frustração, acabei cagando no seu pau. Fiquei muitíssimo constrangido por ter sujado o pau de Miguel de merda, mais para minha total compreensão, ele nem se importou, tanto é que gozou como louco jorrando a sua porra na minha boca.

Depois de gozarmos juntos, fomos tomar banho e aproveitamos para conhecer um pouco da bela cidade. A nossa intimidade atingiu um grau tão especial, que acabamos passando o resto da semana dividindo o mesmo quarto como se fossemos um casal.

O meu desejo de ter aquele negro gostoso realizando a minha fantasia foi tanta que mesmo com o cu ardendo, ainda arrumei forças pra ele me comer outra vez. Ele foi indo aos poucos enfiando cada vez mais fundo até entrar tudo. Eu gemia muito, só que agora era mais de prazer do que de dor. Ele me comeu de frango assado, levantou minhas pernas com tanta facilidade que seu caralho grosso me invadiu até as bolas, naquele vai vem frenético causando um certo desconforto e uma vontade incontrolável de cagar.

Outra vez, caguei no pau de Miguel. Ele comia meu cu com tanto gosto que mesmo tendo cagado na sua vara, ele continuou socando até gozar. No dia seguinte amanheci com as pregas todas doliridas, peidava sem nenhum controle e cagava sem o menor esforço, eu estava literalmente arrombado. Passei os sete dias do congresso todo tomando no cu, desafiei os meus limites e realizei o meu desejo de perder o cabaço com um macho gostoso. Desde então a minha vida sexual tem sido mais intensa e prazerosa. Nunca imaginei que dá o cu fosse tão excitante.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente