Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Entre Vizinhos

Mudei recentemente de apartamento. Sou casado, filhos já grandes e moram em suas casas. Prédio bem familiar, mas bem equipado, com piscina, sauna, espaço gourmet. O Prédio é de casais mais velhos, com uma exceção no décimo andar, ele advogado de 35 anos e ela um pouco menos e grávida de seu primeiro filho.

Um belo dia, eu e ele nos encontramos na piscina e eu fiquei encantado com seu belo físico, peludo, e um volume bem consistente à frente, além de uma bunda espetacular.

Estou 52 anos, físico perfeito, poucos pelos, e uma energia fantástica, principalmente para o sexo.

Combinamos uma sauna juntos em um outro dia, e lá tomando drinks e jogando conversa fora, me contou que com a gravidez, estava num tesão louco, subindo pelas paredes. E eu disse para ele que era normal nesse período, e que tinha acontecido comigo mesmo, mas um amigo me sugeriu uma nova maneira para se encarar todo este tesão.

Ele quis saber, mas desconversei um pouco, falando que era algo mais íntimo, mas que resolveu para mim e para outros.

Numa segunda ida à sauna juntos, convidado por ele desta vez. Ele não se fez de rogado, e me cobrou a solução. Eu disse que teria que ter uma cabeça aberta para se viver a experiência proposta, e eu mesmo resisti, mas depois da primeira vez, percebi que meu problema havia sido resolvido.

E contei que a solução estava em ter um amigo no sigilo, para um sexo entre machos, sem frescuras e de vez em quanto, quando apertasse o tesão encontra-se com este amigo. Percebi seu susto, e me disse que não havia pensado em fazer sexo com outro homem. Disse: Sou macho, trepo bem, adoro mulher, e estou bem nesta situação. E eu só respondi, eu também pensei assim, e disse, mas depois comecei a refletir se não estava sendo preconceituoso e não aberto a novas emoções.

E eu lhe disse, tem aí uma sugestão, e se quiser posso ser este seu amigo amante, mas na total discrição. E logo mudamos o assunto, rimos de outras história ....

Num determinado dia, recebi uma ligação dele. E me disse que estaria sozinho à noite em seu apartamento, e se eu poderia ir até lá para tomarmos uma cerveja e conversar. Aceitei e já imaginava o que aconteceria.

Ao chegar lá - fui de bermudas e chinelos e camiseta -, ele já estava de short sem camisa e chinelos, deixando à mostra todo aquele peitoral peludo. Que macho, pensei.

Cerveja, conversa, risos, até que ele me disse que havia refletido muito, e que confiava em mim para tentar ser o primeiro e único homem em que relaria e se deixaria relar.

Tirei a camiseta, e demos uns abraços bem forte e gostosos, relando as barbas e os paus. E rapidinho ele estava de pau duro, o seu tesão acumulado.

E nus, depois de alguns beijos de lingua, ensinei ele a mamar, depois chegamos até o 69 tradicional. E para aliviar, nos punhetamos, ele em mim, e eu nele, até gozarmos. Quanto leite desperdiçado. Um banho juntos e retornei para casa.

E assim foi acontecendo semanalmente, na casa dele, fora em motel, até um troca-troca completo entre nós.

O filho dele nasceu, mas sempre continuamos a nos ver e a fazer aquele sexo seguro gostoso entre nós.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Junior131313



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente