Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: Enrabei o segurança machão depois do expediente

Sou um cara casado, másculo, discreto e muito boa pinta (diga - se de passagem). Trabalho no ramo da Segurança Patrimonial e por esse motivo sempre desperto desejos e fetiche por onde passo. Mesmo sendo casado com mulher, confesso que nutro uma atração fatal por bunda de homens, principalmente se forem caras discretos e machões como eu.

Um dia estava prestando serviço em um Shopping luxuoso de São Paulo e na ocasião calhou de eu fazer parte da equipe onde trabalhava Joel (nome fictício). De todos que ali estavam, o único que não senti muita rivalidade e trairagem foi o Joel, que desde o início me pareceu uma pessoa centrada e serena, mesmo com a sua fama de mau encarado.

A nossa conectividade foi tamanha, que logo começamos a bater papo e nos tornamos brother. No final do expediente, ofereci carona e por coincidência a sua casa era na mesma direção que a minha. No trajeto paramos num bar e como a minha esposa estava fora de casa, não tinha motivo para chegar em casa tão cedo. Entre uma cerveja e outra falamos amenidades e logo em seguida sobre sexo.

O meu truta que até então estava contido, logo veio com uns papos que começou a me agradar. Ele falou que já havia feito de tudo entre quatro paredes e que até já havia saído com homens. Só que no papo, ficou subtendido a sua preferência se era ativo, passivo ou versátil. Convidei Joel para continuar o papo lá em casa e para a minha total satisfação, ele aceitou.

Levamos umas brejas e ficamos conversando até tarde. Já meio alto, mas muito consciente, Joel se aproximou, pegou no meu pau e tascou um beijo na minha boca. Como eu também já estava no clima, retribuí o beijo apertando a bunda carnuda e redonda dele. Tirei minha calça e deixei meu cacete pra fora, Joel se ajoelhou e colocou ele na boca chupando como se fosse um picolé de nervo. Ele não se fez de rogado e abocanhou meu pau com tanto prazer que por pouco não gozei na sua boca, tamanho era o tesão de ver aquele machão chupando meu cacete.

Nossa! Ele chupava de um jeito frenético e vigoroso, que chegava a ser melhor que o boquete da minha mulher, até mesmo porque ela nunca conseguiu engolir meu pau, como o puto do Joel. Peguei ele pela nuca e comecei a foder aquela boca de macho como se fodesse o seu cu. Minha rolona fodia sua garganta provocando engasgo e ao mesmo tempo lágrimas desciam dos seus olhos.

Abaixei a calça social de Joel deixando exposta sua deliciosa bunda de macho, fazendo com que ficasse bem arrebitada para mim me levando a loucura. Passei a lamber com muito tesão o seu buraquinho cabeludo e numa ação involuntária, Joel acabou peidando na minha cara. Esse tipo de situação foi inédita pra mim e confesso que não foi muito agradável.

Como quem está na chuva é pra se molhar, continuei lambendo o seu cu e ele abria a bunda pra eu chupar cada vez mais fundo e gostoso. O anelzinho de Joel piscava louco de vontade pra engolir minha vara, ele contraia as pregas me deixando com mais tesão ainda.

Dei um tapinha na sua bunda e lhe tasquei outro beijo na boca e fui preparando o seu anelzinho rosado para receber minha rola. O cu de Joel era tão apertado que mesmo que eu fizesse força, seu esfíncter não dava passagem para a minha pica entrar. Lubrifiquei mais um pouco seu cuzinho e voltei a forçar, sua rosca começou a ceder e as pregas foram arrebentando uma a uma até engolir o meu pau por inteiro. Sua bunda gulosa mastigou meu cacete e eu me segurei para não gozar rapidamente.

Enterrei minha vara naquele rabinho gostoso e ele gemeu alto mandando eu arrombar seu cu. Aos poucos, fui aumentando a velocidade e a força com que fodia seu cuzinho fazia Joel gemer de dor e prazer. Meu colega gemia feito um puto safado com a minha pica grossa arrombando seu rabo, me deixado com muito tesão.

Fiquei metendo naquele rabo durante um bom tempo até que não aguentei mais e gozei com as contraídas do cuzinho dele.

Fui tirando meu pau gozado de dentro dele e Joel fez um barulho alto pelo cu, deixei seu rabo tão alargado que ele não aguentou e peidou.

Fazia muito tempo que não gozava tão gostoso comendo um cu de macho. Depois dessa trepada, ainda comi Joel outras vezes, mas acabamos com o tempo perdendo o contato.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente