Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Entre Amigos: A esperança é a última que morre

Bom, sai do Nordeste e vim morar no interior de São Paulo, já tinha minha sexualidade definida e minha família sabe. Conhecia a fama da capital por conta de uns amigos meus que sempre estavam por aqui, até que um dia decidi conhecer. Me encantei e sonhava em vir morar aqui, me preparei por 5 anos, até que finalmente consegui o que tanto queria.

Logo que cheguei comecei a trabalhar em uma empresa de logística, e comigo entrou um motorista, coroa, simpático e evangélico fiquei sabendo depois que ele me contou, até então não pensava em fazer sexo com ele, pois estávamos no ambiente de trabalho e meus planos eram outros. Até que um dia eu cheguei cedo a pedido do chefe, e quando eu entrei no banheiro o ANTÔNIO (nome fictício) estava vendo videos em seu celular eu não havia notado sua presença ainda, até que ele me chamou pelo meu apelido, como todos me chamavam "Bahia", foi quando percebi que o vídeo era pornô e gay. Me fiz de desentendido e eu percebi que ele estava excitado.

Depois desse ocorrido passei a vê-lo com outros olhos e intenções, mas mesmo tendo minha sexualidade definida, tinha um certo medo, pois trabalhar com a peãozada, é difícil, as brincadeiras, os papos etc. Percebi que ele mudou seu comportamento comigo, ele estava mais solícito e amigo, e muitas vezes quando eu estava no banheiro e ele entrava, saia do box sempre com o zíper aberto mostrando a cueca e o volume, o que me deixava louco. Duas vezes ele havia trocado de roupa na minha frente e deixado bem a mostra o volume, disfarçava o olhar, e ele percebia meu nervosismo.

Ele me dizia, que a mulher dele não estava mais disposta a fazer sexo com ele, e que por conta da religião dele, ele não poderia sair para os puteiros. Ele já era pai de dois rapazes e tinha outro menino de 4 anos.

Um dia desses precisei ficar até mais tarde para esperar um carregamento que precisava ser postado para sair no outro dia, para minha surpresa ele era o motorista, e como só havia nós dois ele teria que me esperar terminar o serviço para irmos embora.

Fiz tudo rápido, pois estava super cansado e numa sexta feira a noite, queria ir tomar uma gelada, o convidei e ele disse que um dia nós iríamos, mas tinha que ser no século. Quando entramos no banheiro ele já foi logo tirando a calça para se trocar, meu nervosismo aumentou, e ele me perguntou o que estava acontecendo e eu tentei disfarçar. Foi um sofrimento para mim, vê-lo se despir na minha frente, aquelas pernas torneadas, aquela barriga saliente e sua pele morena era tudo que eu gostava. Ele dava risada e se exibia, eu terminei de me arrumar e fui aguardar ele na recepção para acionar o alarme da empresa, pensava comigo que nunca mais teria outra chance com ele, eu deixei escapar a única oportunidade que eu tive. Engano meu, minha esperança ainda restava uma fagulha e teria que esperar. Ele me olhou meio que triste, como se cobrasse algo que eu não fiz.

Saímos e eu fiquei com isso na mente me perturbando. E na despedida dele ele me abraçou e mordeu os lábios como se quisesse se controlar. Os dias foram passando e poucas vezes nos encontrávamos, pois ele estava chegando cedo e eu saindo no meu horário de sempre.

Esperava com o dia de acontecer tudo de novo, tinha delírios quando o via. Até que em uma sexta feira ele me disse, que iria atrasar e iria pedir ao chefe para eu esperar ele, pois eu era o único que o ajudava quando ele se chegava tarde. Percebi que havia uma malícia no tom de voz dele.

Deu a hora de todos irem embora, porém meu chefe não foi, pois havia uma reunião com os diretores. Eu fiquei nervoso, sem saber o que fazer, mais uma vez eu perderia a oportunidade. Quando ele chegou eu o ajudei a descarregar o caminhão, fiz as postagens e ele me esperando, disse para ele que não precisava pois ainda tinha gente na empresa, e ele me disse que daquele dia não passávamos. Fiquei surpreso com a sua resposta, mais fiquei feliz.

Terminei todo o serviço, e encaminhei o relatório para meu chefe que nessa hora estava descendo as escadas, e me pediu para fechar a empresa pois a reunião havia sido cancelada. Disse que não havia problemas nenhum, pois já estava acostumado a fechar a empresa, ele me perguntou pelo ANTÔNIO e eu disse que ele estava no banheiro se trocando, mas ele teria que me esperar por conta do alarme.

Quando eu entrei no banheiro ele estava sentado no banco sem se trocar, ele já veio me dizendo que estava me esperando e que não tinha graça se trocar sem minha presença e eu perguntei por que, ele levantou-se ficou na minha frente com aquele pau bem duro, me segurou pelos braços e me disse que tinha o maior tesão em mim, que isso nunca tinha acontecido com ele, e que seria uma vergonha pois ele era pai de 3 filhos, além de ser evangélico, estávamos a alguns centímetros um do outro e dava para ouvir sua respiração, só tinha nós dois na empresa e não deixei essa oportunidade passar, segurei em seu rosto acariciando-o e ele aos poucos se entregou, nos beijamos por algum tempo e eu sentia sua rola bem dura encostar na minha. Tentei tirar sua roupa e ele disse que ali não era o lugar certo, pois era nosso lugar de trabalho, e poderia de acontecer de alguém entrar.

Fiquei desapontado e ele me disse que a noite ainda não havia acabado, pegou o celular e ligou para a sua esposa e disse que precisaria fazer uma viagem, (esse é o bom de quem trabalha com logística), e que só retornaria no domingo. Ela acreditou, então nos trocamos e saímos, ele no maior carinho comigo, como se fossemos namorados, como ele sabia que eu estava a pouco tempo na cidade, então não conhecia muitos lugares, ele me sugeriu irmos ao centro e lá decidiríamos o que fazer, ao chegarmos lá procuramos um bar para comer alguma coisa e depois seguimos para um hotelzinho bem discreto e confortável, ele não deixou que eu pagasse o hotel e pediu 2 diárias, só saindo assim no domingo, como trabalhamos com logística, estamos sempre com peças de roupas extra na mochila.

Ao entrarmos no quarto ele me deu um beijo e me disse que seria um fim de semana mágico e que já mais nos esqueceríamos daquele dia.

Seu corpo tremia junto ao meu, seu calor e seu cheiro me dava uma certa felicidade e nos entregamos a paixão, nos amamos muito naquele fim de semana. Foi mágico como ele realmente me disse.

Na segunda feira chegamos como se nada tivesse acontecido, e eu percebi que o olhar dele ao me ver era de felicidade. Ele chegou perto e me disse que eu seria o segredo mais gostoso que ele tinha, e que também tinha ciúmes de mim com os outros motoristas, mas não ia me impedir de nada, eu fiquei encantado e disse a ele que daquele dia em diante eu seria só dele é de mais ninguém.

E assim estamos 7 meses juntos, mesmo sabendo que ele tem uma família e que jamais irá ficar por completo comigo, eu gosto da sua presença e passamos muito tempo juntos.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Pupilomister



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente