Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Familia: Falando putarias no meu ouvido

Tenho 50 anos, tive uma vida sexual muito intensa, já fiz casais de homens, mulheres e até mais de dois, frequentei Boates e casas de Suing, muita liberdade, tesão e sexo cercaram minha vida, hoje mais calmo, mas nunca parado, mais Gay, mais passivo, no passado preferia mulheres, homens eram consequência, de um tempo pra cá prefiro homens e sendo preferencialmente passivo. Vou aos poucos contar todas minhas aventuras.

Vou contar aqui um fato que aconteceu comigo uns três meses, tenho um primo, Flávio, que quando ainda jovem foi o primeiro Pau que chupei, a primeira pica que segurei, ainda era meio travado, mas já olhava e sabia que gostava de um belo Pau, crescemos, casei três vezes, com mulheres, e sou pai de um filho, ele casou com um cara muito safado, Carlos, que desde sempre me cantava e eu fingia que não entendia, mas gostava.

Vivemos nossas vidas, até que em um domingo fui conhecer a casa nova que eles compraram, nós conversamos muito, eu estava tomando um Wisk e fui ficando mais soltinho e aí a conversa foi ficando apimentada, falando de sexo e sacanagens, eu e meu Primo, nos lembrando dos nossos desejos de um pelo outro, aí seu companheiro, o Carlos, confessou que era louco pra me comer, tive um calafrio de tesão, depois eu disse que gosto muito de chupar um Pau até sentir o gozo, os dois se olharam e passaram a mão no Pau simultaneamente, minha carne a essa altura tremia de tesão, meu primo sugeriu que eu tomasse um banho antes dormir, pois já estava tarde. Saí do banho com a cara mais safada possível e de cuecas, meu primo sorriu e também foi tomar banho, menos de um minuto depois, Carlos me agarrou por trás, já de Pau duro e começou a beijar meu pescoço e boca, falando putarias roucas no meu ouvido, empinei a bunda e em seguida apertei seu Pau que conferi que não era grande, ao contrário do meu primo que eu já conhecia, ali, quase virgem, decidi que iria dar para os dois.

Carlos foi descendo e cobrindo com beijos molhados as minhas costas, como se fosse capaz de ler meus pensamentos, arriou minha cueca e beijou minha bunda já empinada e oferecida, beijava de língua e mordiscava levemente, até que com uma linguada firme, quente e molhada atingiu o meu Cú, gemi e dei uma empurrada pra trás rebolando meu rabo, ele parou abriu mais minha bunda e ficou um tempinho observando e tocando meu cuzinho apertado e perguntou se eu queria mais, eu disse que sim e comecei a implorar... Lambe meu rabo, lambe gostoso que eu quero te dar! Ele lambeu molhado e quente enquanto eu gemia baixinho, a porta do banheiro abriu e Carlos levantou rapidamente suspendendo minha cueca, minha perna estava bamba, me sentei rapidamente, meu primo saiu de toalha meio desconfiado. Carlos entrou para o banho e meu primo parou perto da mesa com seu Pau me convidando, eu já cheio de tesão lhe arranquei a toalha e segurei com saudade seu gostoso Pau e cai de boca nas suas bolas, já havia perdido completamente a vergonha, fiquei de joelhos babando seu saco e sentindo seu pau inchar na minha mão, coloquei a boca na base e fui sugando até sentir a cabeça já totalmente inchada pular pra dentro da minha boca, ele arfava como um cão e eu chupava com orgulho aquele instrumento de desejo.

Flávio me levou, agarrado com a boca em sua pica super dura, até seu quarto, deitou e fiquei ali chupando e me deliciando com o que mais gosto de fazer, toda hora eu sentia o gosto do seu anunciado gozo melando a cabeça linda do seu Pau, que eu batia levemente em meu rosto, esfregava e lambia, até que depois de um tempo, senti Carlos chegando e arriando minha cueca e caindo novamente de língua no meu cuzinho apertado, adoro, empinei meu rabo e fiquei rebolando na sua língua, ele enfiou um dedo e disse que iria me comer de qualquer jeito, minha boca seguia firme na pica do meu primo, Carlos vestiu a camisinha e ordenou que eu sentasse, obediente, encaixei a cabeça do seu Pau na portinha e sentei levemente, seu Pau, pequeno, entrou sem fazer estragos, doeu, mas foi muito mais prazer que dor, meu primo levantou e encheu minha boca com seu pau novamente, que por força da posição eu havia abandonado.

Ficamos ali, Carlos metendo e eu chupando meu primo, em uma dança de prazeres e entrega, Carlos pediu para eu ficar de quatro, obedeci e adorei essa posição, eu rebolava no seu Pau e engolia a pica do meu primo, Carlos não aguentou, tirou seu Pau e gozou lambuzando minhas costas com seus jatos quentes de leite, imediatamente eu busquei uma camisinha e preparei meu primo pra me possuir, sentei ávido no seu Pau, e mesmo estando mais aberto senti um calafrio, um misto de muita dor e um prazer indescritível ao ser penetrado por aquele pau que sempre sonhei em ter dentro de mim, coloquei a mão e vi que ele estava ainda mais grosso e não havia entrado tudo, fiquei parado e gemendo com um prazer que me dava arrepios e desespero, queria ele todo dentro de mim, mas doía muito, ele muito calmo, ia mexendo devagar, me amaciando e entrando aos poucos, eu desesperado implorei para ele meter de uma vez, ele assim o fez, quase desmaiei de dor, mas com um prazer que jamais senti na vida, eu queria muito lhe dar, ele meteu e mexeu dentro de mim, até que repentinamente tirou aquele instrumento mágico de prazer de dentro do meu cuzinho, arrancou a camisinha e mandou eu chupar enquanto se masturbava, eu lambia e chupava, alternando seu prazer, ficamos assim por um tempo, até que ele posicionou minha cabeça e gozou quente dentro da minha boca, gozou muito, e eu bebi tudo que pude, deixando escorrer pelo canto da boca um pouco do mel que adoçava meu prazer.

Deitamos, e eu meio decepcionado perguntei ao meu primo porque ele tirou, ele me disse que eu era muito apertado e ele se sentiu incomodado, fiquei pensativo, meu primo me puxou e me beijou, a doçura da sua boca me dizia o quanto ele era meu, e a firmeza de sua mão em minha nuca denunciava o quanto eu estava entregue, e com sua perna sobre minha bunda e com a minha mão no pau de Carlos eu adormeci.

Pela manhã, Carlos saiu cedo para o trabalho, não sem antes lamber meu cuzinho e me colocar pra chupar seu Pau, gozou rápido se vestiu e saiu enquanto eu chupava meu primo, tentamos, mas não conseguimos penetração, passei parte da manhã chupando meu primo até sentir novamente seu gozo invadir minha boca, estamos marcando para repetir, mas percebo que rola ciúmes entre eles, eu respeito e não forço, mas quero muito fazer de novo!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/pedro13ramos



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

04/04/2016 22:35:39 - Gostei! Tem historia. Gosto muito de relatos assim. A gente sente q e real e acompanha a aventura com tesão!!!! Queria estar ai com vcs!!! Carinhos e Beijos p vcs!!!!

04/04/2016 10:58:20 - este conto foi o melhor de muitos que li aqui adorei

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente