Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Familia: Marido da minha mãe me fez de putinho

Me chamo Jelson, tenho 23 anos. Esse fato aconteceu quando eu tinha 19 anos. Levantei durante a noite para urinar e passando proximo ao quarto dos meus pais (minha mãe e meu padrasto) ouvi uns gemidos de minha mãe. Colei o ouvido na porta e ouvi o meu padrasto chamando-a de puta e que iria encher sua buceta de porra. Dizia que estava gozando. Depois pediu pra ela limpar o cacete dele com a boca. Ele dizia: "assim sua puta, lambe bem e limpe tudo que quero meter no seu cu". Fizeram silêncio por um certo tempo, depois ouvi minha mãe gemendo e reclamando, logo imaginei que ele estava metendo no cu dela.Ambos gemiam bastante e logo depois ficaram quietos, certamente ele havia gozado. Fiquei alguns minutos no local, como não ouvi mais nenhum gemido, fui para o meu quarto. Minha mãe sai bem cedinho no dia seguinte e o meu padrasto vai trabalhar lá pelas nove horas. Na hora que eu levantei fui direto pro banheiro tomar banho. Passo a manhã em casa, pois só trabalho à tarde.

Quando eu acabei o café meu padrasto me chamou "vem cá Jelson eu quero falar com você" fui e sentei ao seu lado.Ele fez uma cara de quem estava chateado e perguntou-me: "Há quanto tempo você fica nos ouvindo transar?" Eu neguei de imediato, mas ele disse que havia visto restas por baixo da porta e só poderia ser eu. Desculpei-me e disse-lhe que foi a primeira vez e não iria mais acontecer. Eu ouvi uns gemidos e fiquei curioso, apenas isso.

Ele me perguntou se eu havia gostado de ter ouvido os gemidos de minha mãe transando. No momento não sabia o que responder. Mas, depois eu falei: "Fiquei imaginando Ela de bunda pra cima e você metendo o seu pau grande nela". Ele perguntou: "Como você sabe que o meu pau é grande? Você já me viu nu alguma vez?"

Eu disse que não, mas imaginava ser grande, pois do jeito que a mamãe gemia deveria doer mesmo. Durante a conversa eu percebi que seu pau estava duro. Ele perguntou se eu queria ver. Falei que não, pois eu era "homem" e não curtia outros homens. Ele riu e disse que há muito tempo me observava e já havia me visto cheirando uma de suas cuecas. Sabia também que eu havia dado o cuzinho a meu primo Edvaldo.

Neguei e disse que ele estava enganado. Nesse momento ele botou o pau pra fora totalmente duro e mandou-me pegá-lo, eu falei que não, mas Ele insistiu e disse que se não pegasse iria dizer tudo para minha mãe. Depois ficou esfregando na minha bunda, eu sentia o pau dele cada vez maior. "Ta gostando minha bichinha?..

A partir de hoje você será minha "bichinha", vou te comer muito, quero ver se sua bundinha é gostosa do jeito da tua mãe,disse ele.

Ele mesmo abaixou minha bermuda e botou no meio das minhas coxas então eu abri um pouco as pernas e peguei no cacete dele, ele falou no meu ouvido "assim putinho brinca bem com o meu caralho" e saiu de trás de mim e falou "vamos ver se você me chupa gostoso como a puta da tua mãe faz" e enfiou o pau na minha boca, no começo eu até fiquei sem ar, mas depois acostumei, lambi e chupei com vontade e após alguns minutos ele gozou enchendo a minha boca de porra, agarrou a minha cabeça e mandou eu engolir até a última gota, era muita e quase que vomitava tudo.

Quando eu pensei que havia acabado, ele me mandou continuar chupando até ficar duro novamente, eu estava até começando a gostar. Quando estava bem duro ele falou: "vamos seu veadinho eu gostei de gozar na tua boca, agora engole o meu caralho e deixa ele bem durinho pra eu foder teu cu.

Nesse momento gelei, minhas pernas tremiam, não sei se de medo ou ansiedade. Falei que não estava afim, que deixasse para outro dia. Ele disse que iria comer meu cu de qualquer jeito. Tirou o pau da minha boca e obrigou-me a ficar de quatro e roçava o pau no meu cuzinho. Minhas pernas tremiam, mas ele disse que seria gentil com o meu cuzinho.

O mais incrível é que apesar do medo, também sentia uma vontade enorme de ter aquela tora que comia a minha mãe dentro do meu cu. Então ele disse "agora eu vou te foder, seu veadinho. Então foi empurrando, a dor era horrível, cheguei a chorar no inicio, pedi para ele parar, pois doía demais, o pau dele era quase o dobro do pau de Edvaldo que eu estava acostumado,após alguns minutos a dor foi passando e se transformando em prazer.

Ele socava com muita força e dizia: "Hoje eu garanto que você fica todo arrombado". Dava estocadas cada vez mais fortes, tirava e colocava num vai e vem alucinante. "Seu cuzinho é muito gostoso" (dizia ele). "Seu primo Edvaldo deve gozar muitos litros de porra dentro desse cu"? Logo a sua respiração ficou mais forte e senti uns jatos dentro de mim. "Rebola, putinha faz teu novo macho gozar bastante"(dizia ele). Depois retirou do meu cu e me fez chupar de novo, limpando-o todo. A partir daquele dia meu padrasto passou a ter a mim e minha mãe pra comer. Doeu muito, passei uns três dias com o cu bastante dolorido mas gostei de dar pra ele. Ele não quer que eu der mais para meu primo Edvaldo. Disse que meu cu agora é só dele.

Mas essa é outra história.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/jelpontes24@hotmail.com



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente