Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Familia: Trepada Inesquecível Com Meu Tio

Sempre fui tarado no meu tio, irmão da minha mãe, um cinquentão gostoso, moreno e grisalho.

Ele sempre morou na capital de SP e como eu sempre morei no interior, poucas vezes nos encontramos desde a minha infância, antes era uma criança mas agora o sobrinho havia crescido.

Há 2 anos ele já havia vindo com minha tia e meu primo adolescente morar aqui no interior, como passamos muito tempo sem convívio, meu pai e minha mãe sempre se reunia com eles nos finais de semana. E toda vez que eu cumprimentava meu tio, sentia uma coisa diferente, e sabia que era recíproco, porque ele sempre me olhava com aquele olhos de tara.

Peguei muitas vezes ele reparando na minha bunda e eu não perdia a chance de provocar. Um dia, meio de canto, ele falou que eu estava deixando ele louco, e que muitas vezes ele transava com minha tia pensando em mim e que queria provar a minha bunda. Eu também disse que sempre tive vontade de provar aquele pau que sempre ficava marcado na calça, minha boca se enchia toda de água.

Aconteceu que uma noite, meu irmão e a namorada me chamaram para ir na quermesse no bairro em que morava o meu tio, eu fui levar eles porque eu já dirigia. Chegando lá, de cara já vi o meu tio sentado tomando cerveja sozinho numa mesa e então fomos lá cumprimentá-lo, dei aquele abraço gostoso nele e falou discretamente ao meu ouvido que eu estava cheiroso, aquilo me excitou profundamente.

Conversa vai e conversa vem, perguntei porque ele estava ali sozinho sem a tia, ele explicou que uma irmã da minha tia havia falecido, e que ela e meu primo tinham ido pra São Paulo, e ele teve que ficar por causa do trabalho. Fomos tomando cerveja, e eu tentando disfarçar os flertes que eu dava com meu tio, para o meu irmão e a namorada não desconfiarem.

A namorada do meu irmão ia dormir em casa, então eles estavam enchendo o saco que queriam ir pra casa dormir, que a quermesse estava chata. Decidi então despedir do meu tio, já ia aproveitar e ir embora, já que ia pra casa levar meu irmão com a namorada. Ele não queria que eu fosse, disse que ia levar mais cerveja pra casa dele e que eu tinha que fazer companhia, aí meu irmão sugeriu que eu levasse ele e a namorada e depois voltasse. Concordei, ele disse que já estava indo com as cervejas pra casa dele, e eu prometi que em meia hora já estaria no portão da casa dele.

Lembro, que enquanto levava meu irmão pra casa, eu ia pensando no que podia ou não acontecer lá na casa do meu tio, meu corpo tremia, meu coração acelerava, não via a hora de deixar os dois em casa e voltar pra casa do meu tio. Deixei eles em casa e realmente dentro de minutos estava eu batendo no portão da casa do meu tio.

Bati, logo escutei ele dizendo que já iria abrir o portão, escutei o barulho do molho de chaves abrindo o portão. Lembro até hoje, ele estava somente de bermuda jeans e sem camiseta e disse: - Vamos entrar, o tio estava ansioso te esperando... Depois de ver todo aquele peitoral e braços fortes, aquele corpo moreno, entrei... Cheguei na porta da sala avistei o sofá, bem no braço do sofá havia preservativos, eu disfarcei como se não soubesse de nada, me assentei.

Ele foi pegar a cerveja, abriu e me deu, pegou outra e sentou no sofá lateral. Começou a perguntar como estava meu pai e minha mãe, e fui respondendo e olhando com ar de sacanagem, ele se levantou e veio em minha frente e disse:

- Vamos parar de conversa fiada, você sabe o por quê eu te chamei aqui né!? Eu fui respondendo e pegando no cós da bermuda e desabotoando, meio trêmulo e descendo o zíper, minha boca estava salivando. Ao abrir a bermuda ele estava sem a cueca, aquele pau saltou pulsando para fora, eu disse: - Nossa que delicia eu quero degustar tudinho!

Fui sentindo o cheiro, acariciando e roçando com o meu rosto aquele pau delicioso, e abocanhei. Escutei ele fazendo: - Aaahhh! Comecei a chupar, subindo e descendo até a base e deixando bem umedecido, lembro que ele disse:

- Seu cabelo está lindo, cresceu e está cheiroso, sempre sonhei com isso!

Puxou toda as madeixas da franja e juntou tudo atrás da nuca e começou a controlar o movimento. Posicionou o pau contra um umbigo ficando aquelas bolas expostas, e eu caia de boca nelas. Ele dizia que eu chupava melhor que minha tia, isso me excitava muito. Então peguei e empurrei-o para o outro sofá e ficou sentado, então entrei ao meio das pernas eu fui mamando com gana e acariciando aquele peitoral com as mãos.

Ele dizia: - Nunca reparei nessas mãos lindas que você tem, mãos suaves e lisas. Ele puxou o meu rosto e me beijou na boca e no meu pescoço, eu chupava suas orelhas, e falava besteira, estávamos arrepiados de prazer. Ele levou a mão dentro da minha calça, na bunda e apertava ela com força, meu cuzinho piscava, senti o seu dedo entrando no meu rêgo. Ele enfiou o dedo e disse que meu cuzinho era apertadinho e que estava doido pra enfiar o pau ali. Eu disse: - Tio to com medo, você promete que não vai doer?!

Ele respondeu: - O tio vai colocando bem devagarinho e você vai dizendo, se doer o tio pára tá?! Ele pegou o preservativo e foi abrindo a embalagem e vestindo no pau, e eu já fui arrancando o tênis e retirando a calça, fiquei só de camiseta rosa e boxer vermelha.

Ajoelhei no assento do sofá, encostando os cotovelos no apoio das costas do sofá. Abaixei a boxer e passei a mão na boca e enchi a mão de saliva e lubrifiquei o reguinho. Ele veio com aquele pau e foi pincelando, bem na portinha... Foi enfiando, sempre perguntando se estava doendo, eu dizia que não, estava tão relaxado que eu queria aquilo tudo dentro de mim.

Ele falou: - Humm entrou tudo...

Eu arregacei mais a bunda pra entrar mais um pouquinho no fundo, ele atarracou na minha cintura e começou a bombar.

Ele falava:

- Ai que cuzinho apertadinho do meu sobrinho gostoso, esse cuzinho é melhor que da tua tia! Aí que eu apertava mais o cuzinho no pau dele.

Ele disse:

- Vamos lá no quarto que eu quero te comer na cama!



Fomos rapidinho, fiquei de quatro na lateral da cama, ele quis ir pro quarto pra ficar vendo pelo espelho. Aquilo me dava mais tesão, ele socava como se estivesse atuando num filme pornô, e eu gemia que nem uma vadia.

Ele dizia:

- Eu queria ficar a noite inteira dentro desse cuzinho gostoso, mas a espera é tão grande, é tão gostoso, o tio não vai aguentar muito tempo... vou gozar logo! Mas quero que meu sobrinho se satisfaça também, antes do tio gozar...

Então eu fui me masturbando e pedindo pra ele socar forte e fundo, sem parar. Ele socava e olhava pelo espelho e era muitos gemidos de prazer, então comecei a gozar.

Ele: - Aiii esse cú ta apertando meu pau, que delicia, vou gozar, ahhhhhh...

Foi aonde eu sai do pau dele e me virei de frente tirando o preservativo e cai de boca naquele pau, o jato instantaneamente veio, enchendo a minha boca de leite. E fui sugando intensamente, suas pernas tremiam e disse sentir gelar a barriga, até que não aguentou e suspirou.

- Essa foi a melhor foda que o tio teve na vida! [disse] Me deu um beijo na boca, e voltamos pra sala continuar a beber mais cerveja. Logo olhei no relógio estava tarde demais, o tempo havia passado sem perceber, então fui embora, mesmo ele pedindo pra dormir lá, mas o meu medo era da minha tia e meu primo voltar de manhã e eu estar dormindo lá com ele.

Lembro dessa foda até hoje, depois disso já dei umas chupadas no pau dele, alguns beijos, mas nunca mais tivemos uma oportunidade igual, mas sei que se surgir, nós dois vamos aproveitar e bem aproveitado!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/disponivel.com/william_riopardo



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente