Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Curte mamar?

Sinto muito tesão quando acordo e estando de férias e com tempo livre a vontade de sexo só aumenta. Por hábito já pego o celular assim que abro os olhos e vou dar uma sapeada na net. Numa dessas cruzo com o perfil de um cara perguntando no perfil: "Curte mamar?". Na hora fiz contato porque essa é uma de minhas taras.

Conversando fiquei sabendo estarmos no mesmo bairro e muito próximos um do outro. Trocamos mensagens e ficamos de marcar uma pegação, só precisávamos conciliar horários já que ele estava trabalhando. Nada rolou nesse dia e nem nos demais, achei até que seria mais punhetagem de internet. Até que surgiu a oportunidade de encontro exatamente no último dia de 2015.

Roberto tem 50 anos (aparenta muito menos), 1,68m e 66kg, boa pinta, pelos pelo corpo e meio tímido, mas com um tesão enorme no rabo. Tanto quanto eu em mamar rola e chupar um rabo.

Como estou reformando minha antiga casa para me mudar, ela estando em obras e vazia achei que seria o local ideal para uma pegação. Além de um fetiche. Combinamos um ponto de encontro e fomos para lá.

Entramos e o levei para o fundo da casa, o local mais limpo de momento. Sem conforto algum, como citei, a casa está em obras e cheia de pó, começamos a nos esfregar em pé mesmo: pau com pau, passadas de mãos, roçadas de bocas, abraços fortes... coisas que dois machos sabem fazer gostoso no tesão. Ficamos sarrando mais ou menos cinco minutos, mas eu queria mesmo era matar minha vontade: chupar o camarada.

Fui tirando sua roupa até ele ficar apenas de tênis, ajoelhei e comecei a brincadeira. Passava a língua na virilha, encostava os lábios no corpo do seu cacete, lambia o saco, cheirava e provocava para ficar mais excitante. Mas logo me rendi e caí de boca. Puta tesão dar uma mamada com vontade. E mamo bem pra caralho! Tanto que precisei parar porque ele se afastou para não gozar.

Fiquei em pé e ele ajudou a me despir, assim íamos dando uma relaxada. Mas senti que ele ainda se sentia meio travado, acho até que por timidez mesmo, mas mostrava ser um cara safado, que sabia curtir uma sacanagem, só não tinha se soltado ainda.

Continuamos no esfrega-esfrega, agora ambos nus e só nas roçadas, no corpo a corpo. Essas coisas me dão muito tesão. Se eu tivesse um colchão ali naquele momento teria virado ele do avesso, porque a pegada estava excitante.

Virei-o de costas e dei um puta abraço sarrando meu pau na bunda dele, passava a língua na sua orelha e ia falando algumas sacanagens. Encostei-o na janela e continuei descendo, sempre usando a língua. Quando cheguei no rabo meti a língua com gosto. Cheiroso, piscando na minha boca. Fiz questão de dar um belo trato porque sabia que ele curtia. E o cara gemeu, curtiu e foi se abrindo pra mim. Eu não agüentei e dei minha primeira gozada, porque a vontade era engolir a bunda desse cara.

Gozei demais, mas não parei por aí. Colei nele, cheguei bem próximo do ouvido e disse: "Agora vou fazer você gozar gostoso chupando o seu rabo, quer?" E ele disse que sim. Voltei a chupar aquele tesão de bunda e logo fiquei de pau duro de novo. Enquanto eu chupava e metia a língua ele gemia, levantava uma das pernas para sentir a língua mais funda e se punhetava. Gozamos quase juntos, eu em menor quantidade por já ter gozado e ele gozou legal deixando cair muita porra no chão.

Passei um pano no chão para não dar o que falar com os pedreiros, nos limpamos e vestimos e partimos com a vontade de repetir ou dar uma incrementada numa próxima.

Se fábula ou não, dizem que no último dia do ano, tudo o que fazemos virá farto no ano seguinte. Posso dizer então que o meu começou muito bem. Mas aí já é outra história.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/kallek



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

19/10/2016 18:33:58 - bela pegada. gostei...

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente