Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Maxinho - Visão minha

Eu tinha 14 anos, mas era maior que a média dos garotos de minha idade, meu pai era alto, só que ele faleceu e eu fiquei com minha mãe e minha avó, mais com minha avó pois minha mãe trabalhava para sustentar a casa.

Eu era muito curioso em matéria de sexo, mas como era muito tímido nem mesmo com os meninos de minha idade eu pensava em brincar ou mesmo conversar, quanto mais fazer sexo. Na verdade nem sabia direito o que queria, só queria saber como era fazer sexo pois o máximo que fazia era me punhetar de vez em quando.

Uma manhã ao acordar estava me sentindo muito mal, cabeça, pescoço, nuca, tudo doía. Minha vó mais que depressa me levou à um médico perto de casa. Particular, então fui atendido rápido. Nesse meio tempo ela foi ao supermercado. Ao entrar ele me fez algumas perguntas e começou a me examinar. Apalpou minha nuca, meu pescoço, pediu para tirar a camisa e auscultou meu peito. Apalpa daqui, apalpa de lá foi abaixando até a barriga.

Ai me pediu para tirar as calças, tirei é claro, ai apalpou a região e pediu para eu tirar a cueca. - "opa, para que será que ele quer isso?" - pensei.

Parece que ele leu meus pensamentos e disse:

- Não se preocupe, preciso examinar bem se não é caxumba, e vc sabe né, ela pode descer para as bolas. Deu um risinho que não entendi e logo passou a me apalpar as bolas. Com carinho e demoradamente. Não há quem resista. Meu pau começou a ficar duro, e ele ali me apalpando, e o pau endurecendo mais.

Um certo momento ele pegou de leve no meu pinto e disse:

- Belo pinto vc tem heim, deve fazer sucesso lá na escola.

Ai eu expliquei que não, que eu era muito tímido e não conseguia falar disso com ninguém, muito menos fazer qualquer coisa, ao que ele respondeu:

- Humm, acho que posso te ajudar. Vou te mostrar como é uma punheta.

E passou a me punhetar. Nossa! Não acreditava que aquilo estivesse acontecendo.

Ai ele levantou e trancou a porta:

- É melhor assim. Se a enfermeira entrar não vai entender o que está acontecendo.

E imediatamente recomeçou a me acariciar o pinto e as bolas. Eu já estava quase explodindo. Nunca antes tinha tido aquela sensação. Nem mesmo quando me masturbava sozinho.

Parece que ele lia meus pensamentos, pois em seguida se abaixou e colocou meu pinto em sua boca.

Noooossa! Aquilo foi demais de gostoso, e eu ali travado, sem saber o que fazer ou falar. Só consegui dizer:

- Mas Dr. o senhor é médico!

Ele deu uma risadinha e disse:

- Sim, mas antes sou homem, e curto sim um pinto gostoso.

- Mas Dr. o senhor deve ser casado...

- Sim, e dai? Tenho o direito de ser bissexual. Vc sabe o que é isso?

- Na verdade não, mas o que está fazendo está muito gostoso.

- Então vamos avançar nesse nosso treinamento.

Disse isso, levantou, e abaixou as calças. - "que será que vai fazer agora?" pensei.

Não demorei para descobrir. Ele foi até uma bancada pegou o tubo de alguma coisa e passou no meu pinto, ai virou de costas e encaixou meu pinto no reguinho de sua bunda e foi soltando o peso, não teve jeito, meu pinto foi entrando dentro de seu cuzinho. Era apertado e lisinho. Ele foi sentando, sentando, até que senti sua bunda encostando em meu pelos, foi quando ele disse:

- Pronto, agora vc está todinho dentro de mim. Me fode.

- Mas como? Eu não sei. - Na verdade eu até sabia, mas estava sem ação.

Ele começou então a levantar e sentar, e cada vez mais rápido. Ai parou e disse:

- É assim, agora é sua vez de fazer os movimentos. - e ficou de 4 na minha frente.

Eu já quase delirando com aquilo tudo não perdi tempo, enfiei tudo de novo e comecei a foder ele.

Conforme o tesão ia ficando maior, mais rápido eu fazia, foi ai que ele começou a gemer baixinho, o que me deixou mais tesudo ainda. Não demorou e explodi de prazer dentro daquele seu cu delicioso.

Ele, ao sentir minha porra em seu rabo, também gozou, o que achei estranho, pois nem punhetando ele estava. Se levantou, se limpou, se recompôs, e me disse:

- Olha, sua indisposição não é nada, foi algum mal jeito. Vc vai tomar um analgésico e voltar aqui semana que vem.

- Mas Dr. semana que vem é a semana das provas.

- Não tem problema, vc vem no final do expediente, assim fica bom para vc e para mim. A recepcionista e a enfermeira vão embora as 17 hs, pode chegar essa hora.

- Tá bom Dr., eu venho na quarta.

- E olhe, vc não tem que ser tímido não, vc é um garoto muito capaz, se vc se soltar vai fazer sucesso entre suas amiguinhas na escola.

- Tá, então até quarta Dr.

Sai e minha vó já estava na recepção me esperando, não notou nada.

Nossa, sai dali como se estivesse pisando nas nuvens. Me sentia bem, me sentia confiante. Agora sabia bem o que queria e tinha a impressão que nada mais me impediria de ter prazer. Ganhei autoconfiança naquele dia.

Também não preciso dizer que passei a semana mais ansiosa de minha vida. Não via a hora da quarta feira chegar.

E chegou. Fui lá e como ele tinha dito estava sozinho, ai foi tudo ainda muito mais legal, ficamos os dois nus, ele me chupou, me punhetou, me acariciou, me beijou, estranhei, mas também beijei. Ele nem precisou sentar mais, eu já fui logo entrando em seu cuzinho e depois ele ficou de bruços, nossa, ai foi bom demais, ficou em pé curvado para a frente e eu só metendo nele, gozei três vezes dentro dele nesse dia, a porra escorria quando andava, eu via minha porra descendo pelas pernas dele e aquilo me dava mais tesão ainda. Queria mais, mas ele disse:

- Não, por hoje chega, vc me deixou exausto, guarda um pouco para a próxima semana.

- Quer dizer que posso voltar a semana que vem?

- Claro. Pode não, vc deve vir sim. E toda semana daqui para a frente. Mas pelo amor de Deus, não conte isso para ninguém.

Não contei, e continuei indo lá toda semana por uns dois meses, talvez um pouco mais, até que comecei a conhecer uns passivinhos do colégio e ir em suas casas comer o cu deles, pois na minha não dava, minha vó dificilmente saia de casa.

Comi umas menininhas também, mas o que eu mais gostava era dos viadinhos, eles vibravam mais sentindo um pau no seu cuzinho. Comer homem dá um tesão danado, vc ali subjugando um outro garoto, fazendo dele o que quiser. Não tem preço.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/coroapassiv



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

07/12/2016 18:33:14 - Caracas. vc. deve ter um pau realmente muito gostoso, deve ser grande e grosso pra tanto sucesso, queria eu poder te conhecer. abraços amigo. quer me conhecer? bjs...

04/12/2016 14:06:20 - meu que delicia de conto, tenho maior tesão nesse contos fetichistas queria eu encontrar um medico gostosa que me explorasse assim :)

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente