Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Me dei mal ou me dei bem no final

Eu sempre me incomodei com o fato de eu me minhas mulher transarmos com outra juntos. Ela sempre se negando que não queria me dividir, estas coisas. Até que certo dia ela me falou que tinha uma surpresinha pra mim, nem imaginava mas ela começou a contar que foi cantada por uma conhecida do trabalho que a muito tempo vive se insinuando pra ela, que me conhecia e me achava um tesão estas coisas comecei a ficar empolgado.

So que teria que ser muito bem sigiloso porque ela é noiva de uma pessoa conhecida e foi marcado num sitio da família dela. Fomos la na data certinha eu já estava a ponto de bala, não lembrava de quem era e nem conhecia também, ela que já tinha me visto no trabalho da minha mulher que é professora.

Foi muito bom aquele clima ela tinha colocado umas velas no chão aquilo bem romântico ate de mais, mas duas mulheres sabe como é. Já de chegada ela veio por cima pediu para minha mulher posso ela permitiu, nos beijamos os três muito toque pegada e quando notamos estávamos os três totalmente pelados e dominados pela situação, muita coisa gostosa e ela falava muita sacanagem, putaria mesmo a mulher conhecia tudo, foi muito bom e pediu para eu foder o rabo da minha esposa de quatro que ela ia ficar em baixo lambendo tudo sem deixar cair uma gota sequer, foi delicioso e continuamos nisso um bom tempo ate que eu estava chegando ao gozo, explosão mesmo ela saiu de baixo e veio por trás me alisar muito gostoso a língua dela, minha mulher fazia as vezes eu gostava mas ela forçava mesmo a língua eu dominado no rabo da minha mulher estava gostando tudo valia com duas mulheres e quando percebi a filha da puta pegou um consolo acho que mais de 20cm e enfio de vez no meu rabo, gritei de dor e meio que desmaiei que dor filha da puta, elas tinham programado tudo isso depois me contaram.

Nunca tinha sentido uma dor daquelas muito mesmo. Quando me recuperei estava algemado na cama e elas rindo de mim, era isso que você queria meu amorzinho duas mulheres, não se contentava só comigo, agora esta ai duas mulheres e o rabo arrombado, e aquele vibrador atolado ainda eu não tinha como tirar, elas começaram uma seção de chupação muito gostosa eu de bruços atolado só assistindo, se esfregavam em mim, colocavam as vezes as bucetas meladas na minha cara eu conseguia lamber um pouco mas só tortura, ate que falaram vamos aliviar ele e tiraram o danado do meu rabo, senti uma alivio parecia ter ficado um vazio, fiquei leve, pensei opa agora vão me soltar estou livre vou arrombar elas duas agora.

Minha mulher ficou lambendo meu rabo para me aliviar, ardia a língua molhada e a outra (Sabrina) saiu do quarto e demorou um pouco para voltar, nisso minha mulher tinha colocado dois travesseiros em baixo de mim para ficar mais empinado um pouco falou ela que era para eu relaxar e poder me lamber melhor.

Como estava num sitio a Sabrina voltou com um cachorro junto segurando na coleira, grande tipo pastor alemão e falou vamos brincar a quatro agora, falei o que é isso ta maluca, ela você vai gostar seu safadinho, esta aprendendo a não pedir mais ninguém, e fez o cachorro lamber meu rabo, espalhou alguma coisa gelada que senti na bunda e ele começou a lamber, nossa que língua quente achei ate melhor que as delas mas ate ai tudo bem, só que a Sabrina muito safada foi arrumando o pau do cachorro no meu rabo e falou agora vc vai pedir para ser o vibrador e não ele e começaram a rir as duas , eu gritei esperneei o que pude mas não adiantou ele estava já meio pronto e senti aquilo entrar o bafo dele na minhas costas meio baba e entrou ate que foi suave não era grande em comparação ao vibrador e para quem nunca tinha sido fodido ser pego duas vezes no mesmo dia foi doido, ele se mexia de uma forma esquisita eu com medo sei la ele resolve me morder eu todo amarado mas a Sabrina falava ele é mansinho só quer gozar colabora com ele, mexe teu rabão seu safado e minha mulher começou a me beijar na boca e falar coisas suaves, agüenta já vai terminar, isso e para vc so ficar comigo, vai gostar, estou amando tudo isso e foi.

Quando comecei a sentir algo crescer dento do meu cu, caralho que coisa louca não sabia se gritava de dor ou de prazer, vou te falar, gostei muito a sensação de ir a coisa crescendo você fica dominado e foi até que começou a ficar dolorido de tanto que inchou o pau dele o tal de nó estava dado, eu estava engatado no cacete do cachorro ate falei porá isso e maior que o outro a Sabrina vc não viu e não sentiu nada ainda, deixa ele gozar para vc me falar depois. Vou te soltar agora mas fique tranqüilo e não adianta empurrar que vc vai se machucar só sai depois de ele gozar dentro do teu rabo seu safado, eu falei solta logo quero sair daqui ela não força.

Me soltou e de verdade tentei empurrar ai sim que doía parece que estava arrancando meu cu não consegui apenas fui ficando mais de quatro ai aliviou um pouco e comecei a mexer pra frente e pra trás com a Sabrina falou para ele gozar mais rápido mas como ela disse isso é um tempo não adianta adiantar ou retardar tem que dar o tempo certo para ele gozar e foi, comecei a sentir que ia aumentando o tamanho me abaixei doía mais ainda comecei a gritar, chorar ela falava calma e curta agora que ele vai gozar, nossa foi dolorido meu cu estava em chamas ardia, eu não sabia mais o que era tesão com dor , ardume o que minha mulher não tirava meu pau da boca dela, mamava como louca par me acalmar, meu pau ficava mole,duro tudo rápido e foi, nunca tinha sentido nada antes pensei que o que ele tinha gozado ia sair na minha boca, sem brincadeira parece uma eternidade aquele liquido quente entrando não parava de gozar parecia uma torneira ele foi gozando e puxando pra fora dei outro grito para que esta saindo meu cu pra fora, parecia que estava tirando tudo de dentro ele saiu a Sabrina abocanhou o pau dele e começou a lamber tudo, minha mulher foi chupar minha bunda toda melada e rasgada, falava nossa como escore tudo aqui, também eu estava literalmente arrombado tudo vazava e ela chupou tudo encheu a boca e veio me beijar que gosto forte tinha realmente aquele cheiro de cachorro um gosto diferente eu já tinha beijado ela na boca com meu esperma mas era totalmente diferente.

Foi uma noite para nunca mais esquecer, repetimos varias vezes e claro não precisa mais me amarrar e nem o vibrador, mas o cachorro já fodeu nos três, a minha mulher foi a que mais curtiu ela adora ele no rabo e eu na xoxota ao mesmo tempo, não e fácil, mas a Sabrina tem uma habilidade. Já fizemos loucuras tem dias que só eu como elas duas, faço gato e sapato claro que sempre tem um dedo, uma língua que sobra pra mim, ninguém é de ferro. Só sei que depois disso me viciei em ser possuído, nunca dei par outro homem mas para minha mulher sempre, compramos um consolo de duas pontas bem menor de 17cm que amamos. Nossa relação ficou cada vez melhor, provar e gostar é tudo de bom!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/podemos08



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente