Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: O padre e o policial

Sou negro, peludo, 1,68m, 80kg, educado, higiênico, cheiroso... sempre viajo, dirigindo da cidade onde moro e trabalho até a cidade sede da Diocese, tudo no interior de São Paulo. Sempre passo em frente a um posto da Policia militar rodoviária estadual. De vez em quando tem um policial esperando carona, mais nunca do lado de onde estou. Muitas vezes já me imaginei sendo enrabado por um policial.

Essa semana realizou-se meu sonho, desejo. Ao me aproximar do posto policial avistei um soldado na pista do lado eu que eu trafegava, indicando para que eu estacionasse. Imediatamente dei seta, parei o carro e o policial se dirigiu a mim perguntando para onde estava indo, respondi e este me perguntou se eu podia dar carona para um colega seu cujo destino era a referida cidade. Aceitei dar a carona e o policial chamou o outro policial. Atravessou a pista um policial militar alto, magro, branco, bonito, sério usando sua farda.

Despediu-se do seu colega e me cumprimentou e entrou no carro. Logo percebi se tratar de um homem muito educado. Começamos a conversar ele falou um pouco do dia, fez algumas perguntas. Nisso fui trocando a marcha do carro e minha mão batia na perna do policial, pois ele muito grande e ao sentar abriu bem as pernas. Percebi que aquilo não o incomodava. Então fiz questão de colocar minha mão no câmbio. O policial me chamou a atenção dizendo que não era o modo correto de dirigir, imediatamente corrigi e agradeci.

Ele me perguntou se sempre dirigia daquela forma, respondi que sim, Daí ele perguntou se gostava de pegar no câmbio, não me fiz de rogado e falei que era falta de alguma outra coisa para segurar. Ele riu e perguntou se era bom só pegar. Respondi que não, que uma vez o carro parado podia-se fazer muita coisa. O policial perguntou o que por exemplo. E eu respondi que apertar, fazer carinho, lamber, chupar...

Ele me indicou um caminho saindo da estrada eu obedeci e andamos mais ou menos 1km parei o carro e ele abriu a calça e botou pra fora um pau enorme e grosso e disse faça o que você me falou que faria. Cai de boca naquele pau e eu chupei. Depois passamos para o banco de trás e ele me enrabou gostoso, meteu muito e gozou me comendo de quatro. Voltamos ao curso normal da viagem daí me perguntou o que eu fazia da vida, quando lhe falei ele tomou um susto. Falou que já tinha imaginado mais jamais imaginou que aquilo fosse um dia acontecer: ele enrabar um padre.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/pedro_eros1



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente