Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Devotee A experiência sensual

Apesar do frisson do baile, faltava o Rei do baile. Onde estava o "assombroso senhor do circo"? Então, após uma explosão cinematográfica, como em um número de mágica, um homem com um roupão negro de pele de urso, um capuz, e asas de um serafim gigante, um maravilhoso efeito visual de ilusionismo. Ele tinha uma lâmina(prótese ortopédica de atletas), posou próximo a mim. Seus ajudantes retiraram suas asas. A orquestra iniciou uma valsa típica austríaca. Percebi que só eu e ele vestidos, sim eu era o debutante. O encapuzado misterioso me chamou para contra dança.

O público orgíaco aplaudia. Em meio aos rodopios da valsa, agora com os acordes eletrônicos do DJ, o capuz de Dalibor caiu. Confesso ter ficado estarrecido, creio que eu esperava um Quazímodo(Corcunda de Notre Dame)ou um velho homem comum de meia idade(55 anos do bilionário), mas o pai de Vincenc era o mais belo homem que já vi. Os olhos azuis acinzentados, a pele bronzeada, os cabelos ficando grisalhos, o rosto másculo com traços fortes e dignos eslavos, os dentes fortes e brancos. O corpo estava com os músculos rijos, pois praticava alguns esportes radicais. Era uma beldade o senhor Cervenka, fiquei lívido como uma princesa Disney conduzido por ele.Nem percebi que a valsa parou.Baixei o olhar e fiquei enrubescido. Constrangido por admirar a beleza dele.Muitas palmas ao anfitrião espetacular e o jovem mancebo debutante, eu.

Os drinks foram chegando.O meu copo sempre cheio, a boa conversa sobre belas artes, esportes, viagens, os risos, o charme sedutor de Dalibor era imbatível. Eu estava encantado, me impressionava aquele homenzarrão que de tudo entendia, entre o rústico e o sofisticado. O papo tão bom e a champanhe tomando conta que nem percebi que as jaulas estavam abertas e, os animais no cio, já se acasalavam machos com machos , uma verdadeira suruba com os rapazes com mascaras de bichos.Uma parafernália de gemidos e gozos.

- Bem, Dalibor, adorei o baile, a noite, a companhia, a prosa...Mas e melhor eu me recolher...

- Sim,Noah, deve estar cansado mesmo.Houve a viagem e todo esse meu show(um lindo sorriso), mas pode dormir comigo.A minha suíte é bem mais confortável...(sedutor).

- O convite é mais que tentador...(desce ereção,me ajuda!), porém, preciso descansar e começar já o projeto de sua escultura amanhã.Muito obrigado.

Ele deu um sorriso maroto. O anão caralhudo veio me acompanhar até o meu quarto. Me deparei com um ramalhete de girassóis na cama (como ele sabia que amo?), muito gentil. Coloquei em um vaso. Tirei toda a roupa (me senti estranho pois estava vestido e Dalibor de roupão Mem meio a orgia). Apaguei as luzes. Deitei e perdi o sono.

Estou trêmulo sobre esta cama. Exasperado e ávido de desejo te espero.Sei que tens as chaves da porta do quarto, Dalibor Milan Cervenka, "assombroso senhor do circo".Não me importas o que o mundo irá pensar, o choque, o tabu, o escândalo, se não tens um membro ou por excesso, dois membros (Disfalia). O que importa é que o animal que libertastes de dentro de mim, tem uma fúria, uma libido,um tesão, uma tara, uma poderosa luxúria Devotee. Nesta noite quero que você me consuma, me abrase, me possuas e seja possuído e com nossos gozos e mútuos prazeres, sucumbas e venhas saciar e domar esta fera em mim, desnorteada pelo frenesi dessa descoberta.Acendi a luz, comecei a me masturbar. Sabia que ele me veria pelas câmeras escondidas.

A porta do quarto se abriu.Um arrepio de prazer me tomou, um ardor de desejo que parecia com frio mais quente em cada trecho do corpo. Vi o roupão negro cair atrás de mim. Senti nas minhas nádegas os dois paus descomunais , rijos, colossais,que deram a fama dele nas artes circenses não convencionais. Disfalia. Dalibor tinha dois grandes pênis. Ambos roçavam na minha bunda enquanto cheirava meu cangote e mordiscava minhas orelhas.Que loucura!Eu gemia com seu toque forte. Sua boca comia a minha boca nos beijos ardentes e tascados com toda gana.

Ele simplesmente encaixou o meu pau,de tamanho inferior e mais fino do que os dois dele, dentro do cacete maior e sem parar de nos beijar fez eu estocar dentro dele ate sentir entrar na uretra. Gritei de prazer ao gozar. Foi indescritível, a porra dele se misturou a minha. "DOCKING" (o encaixe) mais uma descoberta prazerosa minha. Ficamos abraçados, descansando um pouco. Quando beijos ficaram mais quentes, ele ofereceu seu outro pau. Eu o comi freneticamente, assim que eu esporrava dentro da uretra dele, a porra dele saia sincronicamente com a minha. Foi até o amanhecer nessa sincronia de orgasmos.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Alenquer



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente