Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Caminhoneiro me fez de cadela

Estava indo na padaria perto de minha casa, quando virei a esquina dei de cara com caminhoneiro resmungando o pneu furado de seu caminhão. Era um coroa nem gordo nem magro com a cara fechada e um bigode grisalho. Fiquei olhando para ele e para o caminhão enquanto ele fazia gestos e chutava o pneu furado.

Continuei andando e olhando para trás onde o mesmo estava lá reclamando da situação. De tanto que eu olhei, vejo ele fazendo gesto para mim, como se diz: Está olhando o que? Olhei novamente para trás e de longe o vejo agarrando a sua mala na bermuda e pelo movimento de seus lábios dava para se entender o que ele dizia. " Vá se fuder aqui seu veado".

Aquela situação me deixou com medo e com tesão ao mesmo tempo, o pior é que eu teria que voltar pelo mesmo local assim que comprasse o pão. Sai da padaria e de longe eu vi o caminhoneiro atrás do caminhão mexendo na caixa de ferramentas. Estava sem camisa exibindo o peito musculoso e peludo.

Aproximando do caminhão tentei não olhar, mas fui flagrado pelo mesmo que já foi saindo de trás e dizendo: E ai cara tá olhando o que? Fiquei em silêncio enquanto ele segurou seu volume e disse novamente. Acho que você está olhando demais para mim porque tá afim de entrar nesse ferro aqui não é? Senti meu rosto corar de vergonha e o tesão tomar conta do meu corpo.

Afasta e vai para trás do caminhão e me chama. Vem aqui para você ver como eu estou. Fui ao seu encontro e o vejo com a braguilha aberta e a pika dura grossa e cabeçuda exposta. Estava pulsando e crescendo cada vez mais. Olha para mim e fala: Sei que você está afim vem logo e pega isso aqui. Puxou meu braço com força e colocou minha mão naquela geba dura quente e volumosa. Da uma mamada ai porque estou vendo na sua cara de bicha gulosa que você está querendo cara.

Abaixei aos seus pés e senti ele esfregando a chapeleta melada nos meus lábios. Isso abre a boca e engole minha pica seu safado. Abocanhei sua rola quente, grossa e cabeçuda sentindo na língua o gosto da baba que a mesma soltava. Foi estocando minha boca como se estivesse comendo um cu ou uma buceta. Colocou o saco grande e pesado para fora da braguilha e falou: Isso chupa minhas bolas também. Senti aquele bago grande dentro da boca enquanto os pentelhos esfregavam no meu rosto.

Vamos lá dentro de casa porque aqui pode ser perigoso, alguém pode aparecer. Guarda a ferramenta na calça deixando o volume bem chamativo. Vamos para sua casa enquanto ele fecha a porta eu vejo que a casa parece mais um pulgueiro com aquele colchão no chão e um lençol bagunçado em cima.

Vai tirando a bermuda e a cueca e vejo aquele mastro agora por um todo, duro volumoso e melado. Cai de boca novamente naquela rola dura sentindo a mesma estocar fundo a minha garganta. Na pressa ela vai arrancando a minha roupa e falando. Deita de bunda para cima ai deixa eu provar desse rabo. Fiquei lá no colchão de rabo para cima e senti ele abrindo meu cu com aquelas mãos grossas e falando: Pisca o cu para mim vai. Dei uma piscada e senti ele enfiando a língua no meu cu e mordiscando. Aquilo me causou tanto tesão que eu quase gozei de prazer. Isso cadela geme para seu macho vai. Com o cu dolorido das mordiscadas e melado de saliva senti ele aproximar a rola do meu cu e enfiar lentamente. Tentei sair daquilo porque não queria transar sem camisinha. Para sem camisinha não. Calma cadela tó limpo pode ficar tranquilo. Não havendo mais o que fazer senti ele empurrar dentro do meu rabo toda a tora me fazendo gemer de dor e prazer ao mesmo. Ai! Está doendo, falei resmungando e sentindo aquele macho cair o corpo sobre mim e fungar em meu cangote. Está doendo ne minha cadelinha, mas confessa que você está gostando de ter o rabo preenchido. Gemi de tesão enquanto ele acelera as estocadas em meu cu com sua rola gulosa e faminta. Tomei várias estocadas no cu estilo papai e mamãe. Sai de dentro do meu interior e na posição frango assado ele vai invadindo meu cu estocando novamente com força. Recebo uns tapas na cara e um beijo de língua na boca sem ter direito de resposta.

Depois de várias estocadas no meu cu ele deita de barriga para cima com a rola dura em punho e fala: Senta na cadeira de macho aqui minha putinha safada. Sento naquela rola onde a mesma entra toda dentro de mim, então começa o sobe e desse naquele mastro. Sento sobre o seu saco e sinto aquele macho me abraçar com força usando seus músculos para me prender. Sinto ele com a rola toda dentro do meu cu se levantando. Prende a mão atrás da minha nuca e na minha cintura enquanto vai levantando do chão. De pé ele me deixa numa posição onde a rola toda estava atolada dentro do meu rabo. Fiquei como se estivesse preso num gancho impossibilitando sair daquela situação. Com movimento de estocadas vai comendo meu cu novamente, e fungando em meu cangote. Vou gozar dentro desse rabo sua cadela safada. Sua respiração fica ofegante e acelerando as estocadas ele enche meu cu de leite onde sinto o mesmo escorrer de dentro do meu rabo. Vai cadela goza com seu macho dentro de você vai, fala ele já pegando no meu pau. Assim que começou a me punhetar senti o tesão e o cu comprimir apertando a rola dentro. Isso cadela aperta esse cu gostoso. Um jato de porra sai feito um tiro e acerta minha cara me fazendo provar da minha porra. Hum delicia hem vadia safada. Deu o cu para seu macho ne cadela. Deitando no colchão ele vai saindo de dentro do meu cu com a rola ainda dura. Sinto ele a empurrar dentro do meu cu novamente e num abraço apertado me fala: Fica ai quietinha minha cadelinha que seu macho vai comer você mais um pouco. Estocava lentamente meu cu arrombado e gemendo e fungando sinto ele gozar novamente. Você vai ser minha cadelinha toda vez que eu chegar de viagem, fala ele mordiscando meu pescoço. Trocamos telefone e sempre que ele volta de viagem vem a mensagem falando: Estou na cidade, minha cadela está no cio?

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/vigianoturno36@yahoo.com.br



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente