Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Aprontando no banheiro do hipermercado

Esses dias acordei com tesão e enquanto escovava os dentes me veio aquela vontade de mijar. Mas já que o tesão estava alto decidi ir até um hipermercado que tem perto de casa pra ver se algo acontecia. Ao chegar no estacionamento logo notei um movimento bem fraco e vi que minha sorte estava ficando cada vez mais distante. Mas como a vontade de mijar tava grande achei que ao menos usar o banheiro não ia ser problema.

Eu sou branco, 1,85m, 70kg, alto, magrão e barbudo... estava usando chinelo, camiseta, uma bermuda comum e no bolso além dos documentos deixei uma camisinha (acho melhor sempre andar prevenido pra não perder as chances que às vezes aparece). Por ainda ser cedo o banheiro não estava com aquele odor de mijo e logo me direcionei a um mictório, coloquei minha rola pra fora e relaxei na mijada. Já quando joguei o primeiro jato fora ouvi alguém entrar no banheiro. Me virei pra ver quem era e vi que o jogo estava virando... era um garoto branquinho aparentando uns 20 anos, usava chinelo, camiseta regata e uma bermuda de moletom vermelha.

Ele também me olhou e na troca de olhares o cumprimentei com um aceno de cabeça e esperei pra saber onde iria se posicionar. Ele veio pro meu lado e nisso meu mijo já estava no final. Ele colocou um pintinho pequeno pra fora e começou a mijar e eu já no tesão por aquele garoto comecei a massagear meu pau que logo endureceu e chegou aos seus 19cm. Ele olhou pro meu pau e fez aquela cara de moleque guloso. Sem falar nada olhei pra cara dele e com cara de safado apontei pra uma das cabines. Segui primeiro e logo ele veio atrás.

Ao entrar já segurei na nuca daquele safado e lhe tasquei um beijo de tirar o fôlego, ele ficou todo mole mas sua mão logo encontrou meu pau e começou a massageá-lo. Como o tempo era curto logo direcionei sua cabeça em direção ao meu pau e ele começou uma deliciosa mamada. Mas não sei se por falta de costume ou por achar meu pau muito grande ele começou a engasgar e como minha intenção não era judiar logo fiz ele levantar e virando ele pra parede fui me agachando e baixando a bermuda dele deixando a mostra apenas a bunda linda e lisinha. Meti a língua e mesmo se controlando o garoto não conseguiu segurar um gemido gostoso que só fez o meu tesão aumentar.

Levantei e sussurrei em seu ouvindo "me dá esse cuzinho, dá?" Ele acenou que sim com a cabeça enquanto buscava minha boca para um novo beijo. Abaixei novamente e continuei a lambuzar aquele rabinho e enquanto ele segurava a bunda deixando o cuzinho bem a mostra pra mim fui encapando meu pau com a camisinha. Dei uma cuspida na mão e passei no pau e em questão de segundos já tava com o pau na portinha daquele cuzinho. Enquanto metia a língua já tinha percebido que aquele cuzinho já não era tão apertado assim, então logo ele engoliu minha rola toda bem fácil.

Passei a bombar bem gostoso e ele empinando a bunda e gemendo baixinho com as mãos estiradas na parede. Eu beijava sua nuca e com uma das mãos segurava em seu peito que também era lisinho e a outra agarrei seu pau mesmo por cima da bermuda, pois quando baixei sua bermuda só a bunda ficou de fora. Senti que o pau dele tava duro, mas que era bem pequeno mesmo duro e logo ele começou a sussurrar que ia gozar e eu acelerei pra gozar também. Meti bem fundo e gozei fartamente no rabo dele enquanto senti minha mão que estava em seu pau ficar úmida e melada. Virei ele de frente e lhe dei um novo beijo e depois ele deu um sorriso safado satisfeito.

Guardei meu pau ainda meia bomba dentro da bermuda, nem tirei a camisinha, mas notei que o garoto era bem limpinho pois a camisinha nem veio com "surpresas desagradáveis". Sai da cabine rapidamente pro caso de ter mais alguém no banheiro e enquanto lavava as mãos vi um senhor entrando no banheiro. Quando sai do banheiro notei duas meninas com três cadeiras de praia bem em frente ao banheiro masculino. Parei em frente uma vitrine fazendo hora pra ver o meu garotinho mais uma vez e ao sair ouvi uma das meninas rindo e falando "caramba, demorou esse tempo todo e acabou mijando na calça". Olhei sua bermuda e estava uma mancha grande que parecia mijo mesmo, mas eu e ele sabíamos que era sua porra. Quando ele passou por mim ainda trocamos olhares e ele sorriu e seguiu pra sua praia e eu pra minha casa, ambos bem satisfeitos.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/fcorreia



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente