Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Meu macho mendigo preferido

Ele se chama Romero, descobri um dia desses! Ele é moreno, tem 1,65 m, uns 65 kg, barbudo e bigodudo, só anda descalço e com roupas imundas! Acho ele um tesão! Sempre bebo e cheiro cocaína sozinho na minha casa e de madrugada quando estou muito bêbado e cheiradão, saio pela rua à procura do meu Mendigo, meu macho, preferido, o Romero, na esperança de ter oportunidade de um dia ter a sorte de mamar sua rola, que eu imaginava ser preta, enorme e grossona e super pentelhuda, imunda, fedendo a mijo e cheia de sebo!

Pra minha sorte, hoje foi uma noite em que bebi e cheirei sozinho em casa e por volta das 3 da madrugada resolvi dar uma volta pela rua, pra ver se eu encontrava com ele e tinha a sorte de saborear sua rola imunda como sempre sonhei! Nessas horas, quando bebo e cheiro sozinho em casa adoro vestir roupas velhas e sujas imundas, de preferência, roupas que acho pela rua, são calça jeans suja, cuecas sujas, meias imundas, botas de pedreiro imundas, camisas velhas e sujas, tudo velho e imundo, com cheiro de suor e mijo de macho! Adoro!

Bem, nessa noite, vesti uma calça jeans velha que achei na rua uma noite, uma camisa branca velha, um par de meias velhas e sujas com odor muito forte de chulé e um par de botas velhas e fedidas! Tudo isso eu encontrei pela rua de madrugada, não no mesmo dia! Kkkk!

Bom, pra encurtar o assunto, encontrei o tal mendigo Romero! Ele estava ali, sentado numa rua de terra, todo sujo, com sua bermuda sujas, sem camisa, sua barbona deliciosa, descalço, seus pés imundos e com o couro grosso de tanto andar descalço pela rua!

Eu tinha levado uma garrafinha com vinho pra oferecer a ele e algumas outras coisas, na intenção de agradá-lo e talvez conseguir meu intuito que era mamar sua rola imunda e pentelhuda que eu tanto desejava!

Sentei na terra ao seu lado e puxei conversa, ofereci vinho. Ele aceitou mas disse que tava tomando cachaça, até me ofereceu e aceitei tomar uns goles!

Criei coragem e perguntei:

- Tu tá usando cueca?

- Tô não, porque num tenho!

- Tu qué que eu traga uma cueca nova pra tu de presente? Eu trago?

- Quero sim! - ele respondeu sem graça!

E perguntei:

- Tu raspa teu pentelho?

- Não porque num tenho barbiadô!

- Vô trazê um pra tu, tu qué? - perguntei

- Quero sim!

Notem que eu também falo errado com ele porque assim, dá mais confiança a ele pra ele falar comigo e me dar espaço! Vocês entendem, né?

- Tu tá pentelhudo? - perguntei.

- Tô sim! - ele respondeu.

- Dexa eu vê? - perguntei.

Ele puxou a bermuda, colocando a sua rola pra fora pra me mostrar!

Cara, nem acreditei, a rola daquele mendigo era enorme, muito grossa e muito pentelhuda! E com certeza estava suja, com cheiro de mijo e tals e com sebo embaixo da pele! Foi o que imaginei e comprovei momentos depois! Fiquei nervosa!

- Dexa eu pegá? - perguntei

Ele deixou!

- Dexa eu chupá? - perguntei

Ele disse:

- Chupa aí!

Cara, fiquei super nervoso e ao mesmo tempo cheio de tesão!

Aquela verga era enorme, mesmo estando mole, media uns 16 cm, e super grossa, cabeçuda, escura, saindo de uma grossa camada de pentelhos negros e grossos!

Abaixei a minha cabeça, segurei a rola e coloquei aquela rolona na minha boca, esfreguei meu nariz nos pentelhos, que delícia, cheiro forte de mijo e azedo e suor, engoli a rola, chupei bastante! Ela foi ficando cada vez maior e mais grossa, até que atingiu seu tamanho máximo em ereção, imaginem, eram 19 cm de carne e nervos lindos e deliciosos!

Durante todo o tempo em que fiquei mamando aquela delícia e brincando com ela, fiquei sentindo um cheiro super forte de sebo que exalava de debaixo da pele preta e que me deixava mais e mais excitado e doido pra esfolar a jeba do meu Mendigo e sentir o sabor delicioso do sebo que eu sabia que existia ali, debaixo da pele, me esperando pra ser saboreado pela minha língua e minha boca gulosa! Eu até tremia de tanto nervoso e tesão e também de felicidade por estar realizando meu maior desejo que eu tinha em relação àquele macho tesudo e delicioso, que era mamar sua rolona preta e imunda, cheia de sebo e pentelhuda do meu macho Mendigo preferido!

Depois, eu puxei a pele, imagina, uma camada espessa e grossa de sebo "cheiroso" e delicioso, do jeito que imaginei! Chupei toda aquela massa esbranquiçada e gosmenta e fedorenta, quero dizer, super aromática e com sabor forte! Afffs, fico excitado só de lembrar!

E chupei também o seu saco preto e pentelhudo com suas bolonas enormes com cheiro de mijo e suor azedo! Só não chupei o seu cu peludo, apesar de estar morrendo de vontade, pois adoro chupar um cu! Porém, não tive coragem, pois senti que dali exalava um forte cheiro característico! E merda é uma coisa que não curto, apesar de eu adorar chupar cu! Pra mim, cu pra ser explorado pela minha boca tem que estar limpinho, pelo menos na medida do possível!

Mas é lógico que nem sempre eles estão limpinhos, e nem sempre deixo de chupá-los, mesmo eles estando num estado que não podem ser chamados de limpos! Bom, vocês me entenderam, né? Rsrsrs!

Também pedi pra ver suas axilas! Eram muito peludas! Pedi pra lamber e ele deixou! Incrível, como ele deixava eu fazer tudo que eu pedia! Aqueles sovacos estavam suados e com cheiro forte de CC! Cheirei muito, lambi muito e chupei muito!

E voltei a mamar sua rola deliciosa!

Durante o boquete, perguntei a ele:

- Tu qué metê?

Infelizmente ele não quis! Poxa, eu tava doido pra dar pra ele, sentir sua rolona bombando dentro do meu cuzinho guloso!

Tive que me contentar só com o boquete! Mamei gostoso enquanto ele acariciava minha cabeça, como se estivesse me agradecendo por eu lhe proporcionar tanto prazer que com certeza ele não tinha havia muito tempo!

Enfim, ele gozou! Embora eu desejasse que ele demorasse mais, pois eu queria continuar mamando aquela rola deliciosa por mais tempo! Sim, amigos, ele gozou na minha boca! Lógico que eu desejei isso desde o início! Saboreei aquela delícia que era a sua porra quentinha e grossa com cheiro forte! Engoli tudo! Ainda esfreguei a rola na minha cara enquanto ele gozava pra espalhar a porra na minha cara! E continuei chupando mais um pouco para absorver até a última gotinha! Quando terminei de limpar sua rola, ainda afundei meu nariz na sua mata fedida deliciosa! E terminei dando um beijinho da chapeleta da sua rola!

Cara, enquanto ele estava gozando ele gemia tanto que fiquei com medo de alguém ouvir, pois muito próximo dali há um prédio! O vigia podia ouvir e sei lá o que poderia acontecer! Felizmente acho que ninguém ouviu, pois não apareceu ninguém!

Pra lhe agradecer, eu dei uns trocados a ele e as coisinhas que eu tinha levado pra ele, que era: um par de meias, um sanduiche, uma camisa, uns trocados em notas e algumas moedas e também alguns cigarros!

Enfim, me despedi dele e saí!

Ele ficou lá deitado ainda alisando sua rola dura por baixo do seu calção imundo!

Fiquei meio triste, pois eu queria ficar mais e dar meu cuzinho pra ele e ficarmos abraçadinhos e eu dando carinho a ele! Mas, na rua é complicado, né? Nessa hora tive desejei ter a oportunidade de leva-lo a um quarto de motel, um motelzinho fuleiro e baratinho que há perto de casa pra nós dois podermos ficar mais tempo juntinhos e eu poder dar mais prazer ao meu macho Mendigo preferido!

Agora só me resta esperar a próxima oportunidade de encontrá-lo e tentar realizar meu maior desejo que é disponibilizar meu cuzinho guloso e faminto por pica para o meu macho Mendigo favorito meter sua rola e se satisfazer, me fazendo sua putinha preferida!

É isso aí, pessoal! Até a próxima!

Prometo voltar com mais uma de minhas aventuras deliciosas pra vocês!

Um abraço do seu amigo Carlão!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente