Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Fetiche: Não da uma a oito meses

Era um dia nublado de Sábado e a orla estava sem movimento de pessoas, quando se aproxima um velho conhecido da praia, o vendedor de peixes. Rústico e queimado do sol, másculo e sem camisa, quando me aborda e vem conversar sobre seus problemas com a esposa, pois não fazia amor fazia uns oito meses.

Me confidenciou toda sua vida em volta de algumas garrafas de cerveja, aquela conversa me excitou ao máximo, mas na incerteza de ser recusado por ele, deixei que falasse e só opinava sobre sua vida sexual, o excitando a ter uma relação sexual diferente.

Fui deixando perceber todo meu interesse nesse assunto e sempre o acompanhava até um reservado na hora que ele ia urinar, daí deixei ele ver o meu interesse em olhar aquele pau enorme, branco e grosso sair do calção e jorrar jatos de urina na minha frente, não deu pra disfarçar o meu interesse naquela cena, pois fiquei logo de pau duro, e ele ao perceber não esbouçou nenhuma reação contrária. Fiz perceber que aquilo era uma situação normal entre dois homens com tesão e o convidei pra subir pra tomar um banho e mais umas cerveja no meu apartamento, onde ele aceitou sem problema algum.

Ao entrar abri outra cerveja e fiz com que fosse tomar um banho, qual foi minha surpresa ele já estava excitado com aquele pau em ereção total só esperando que eu o chupasse e o levasse até o banheiro. Fui beijando seus peitos, barriga até chegar novamente naquele pau que de tão duro vi a hora perder aquele gozo de tão excitado que ele se encontrava, ele gemia de prazer e dizia que não aguentava de tanto tesão e que queria me comer, mas antes o convenci a sentir mais prazer, deitei-o na cama e passei a chupar seu cuzinho lisinho e tesudo, que cú maravilhoso, ele se contorcia todo, e eu não queria perder aquela gozada dentro de mim, foi quando deixei me penetrar gostosamente e cavalguei sobre aquele cacete onde gozamos como dois loucos de tesão simultaneamente.

Dai então o vendedor de peixe passou a me procurar e aliviar o seu tesão sempre que me via na orla da praia do Quartel.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/cornegra



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

02/05/2016 20:09:00 - belo conto adorei

02/05/2016 13:25:57 - Cara essa situação é fenomenau... Eu ja passei por augo parecido e vale apena, pois é mais que TDB.

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente