Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Arromba esse cuzinho

Olá galera, sou o m22Floripa e venho aqui relatar minha última aventura por essa ilha maravilhosa. Pra quem já leu meus contos anteriores já sabe, mas quem ainda não leu, eu sou moreno claro, 178, 75kg, 24 anos discreto e muito safado. O fato ocorreu neste ultimo sábado, véspera de páscoa. Havia um contato meu que já falava ha algum tempo, mas ainda não tínhamos saído. Seu nome era Flávio, um coroa com 45 anos, , 185, moreno claro, cara de macho, peito peludo e uma piroca de 22cm. Tudo o que faz eu ficar louco em um macho. Como nesse dia eu estava livre resolvi chamar ele para vir até minha casa me fazer uma visita e dar aquele trato no meu rabo como ele havia prometido. Combinamos o horário e eu fiquei ansioso esperando por ele, tesão a mil. Quando a campainha tocou fui atender apenas de short bem fininho pra realsar minha bunda. Mal entrou e Flávio já meteu a mão no rabo, apertando e mostrando como estava faminto por um cu:

-Caralho em moleque, que rabo. Já deixou ele pronto pro seu macho.

-Deixei do jeito que você gosta. Sem perder tempo, Flavio começou a esfregar minha cara sobre sua bermuda, me fazendo sentir aquela tora já duraça, algo que me deixava doido. Então ele tirou aquele pau pra fora e para minha alegria, aquele piroca enorme, cabeçuda e com anel peniano que me deixava doido. Começei a chupar, engolia aquele pau, cuspia e chupava novamente enquanto ia revezando pau e bolas. Então Flávio me mandou ficar de 4 e empinar o rabo pra ele. E logo começou a alargar meu buraquinho com os dedos:

-Vai abre esse rabo pro teu macho.

-Caralho guri, que rabão gosotoso. Vai engolir meu dedos. Após brincar um tempo com meu cuzinho, Flávio começa a foder minha boca novamente, metia seu pauzao la na minha garganta e segurava, fazendo sair lágrimas e as vezes me engasgar, mas ele estava adorando ver isso. Logo ele pergunta se eu tinha lubrificante, e por azar ou sorte, eu estava sem, não tinha lembrado:

-Haaa muleque então vou foder esse rabão no cuspe mesmo. Sem perder tempo ele deu uma cuspida no meu rabo e como seu pau já estava todo babado pela minha chupada, Flávio só encostou o cabeção na entradinha e seu pau foi deslizando, quando dei por mim já estava com aquele pauzao atolado no meu rabo, sentindo seu pelos encostar na minha bunda.

-Que delicia de cu moleke. Nossa moredendo meu assim. Que cu macio. Vou foder ele todo dia.

-Fode meu macho, arromba esse cuzinho que hoje ele é seu. Sem perder tempo Flávio foi socando, enterrava o pau, tirava e metia de novo, me fazendo gemer. Então me mandou ficar de 4 novamente , montou em cima de mim como um cavalo monta em sua égua, aí sim o negócio pegou fogo. Flávio socava sem dó. Eu sentia seu caralhão lá no fundo, me arrombando por completo. Após um vinte minutos metendo ele pergunta:

-Caralho, to quase gozando. Onde vai querer leite do teu macho, na boca ou no cuzinho?

-Onde você quiser meu macho. Foi a frase chave, Flávio começou a bombar com mais força ainda, estocadas fortes e profundas me fazendo gemer como nunca:

-Caralho, vou gozar. Sente o leite do teu macho.

-Isso enche esse cuzão de porra vai Logo sinto o pau de Flavio inchando e vários jatos de porra quente me preeenchendo. Logo Flávio me faz deitar sem tirar o pau de dentro e começa a brincar com sua porra no meu cuzinho até seu pau amolecer. Terminados fui tomar banho e saiu muita porra, muita mesmo. Chegava a escorrer. Quando voltei pro quarto, Flávio estava com seu pauzao duro novamente, pronto pra outra. E não perdi tempo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/http://disponivel.uol.com.br/web/home.asp



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

08/04/2016 20:24:50 - muito legal

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente