Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Transa louca com o terapeuta

Me chamo Ítalo, 29 anos, moreno de 1,85 de altura e 90 kilos, natural da ilha de marajó, no Pará, mas a 10 anos moro em São Paulo. Essa história é real e aconteceu em Maio de 2015.

Namorei por 9 meses com uma garota da mesma turma que eu na faculdade. Ela me fez muito feliz, até que um dia, com um grupo de amigos, sair pra beber e passei dos limites tomando o maior porre de minha vida: acordei num apto desconhecido, pelado, ao lado de um cara...nem preciso dizer o que tinha rolado.

Fiquei assustado, mas, por honestidade, decidir contar à minha namorada que havia transado com um cara. imaginei que ela me abandonaria, mas isso não aconteceu. continuamos namorando.

Dois meses depois recebi um email de uma "amigo" meu e, quando fui ver, era um video dele transando com a minha mina e no video ela dizia que era a vingança pelo que eu havia feito a ela.

Nunca escondi que curtia homens, e poderia ter omitido o que havia rolado, mas quis ser honesto. O resultado foi aquela traição. Fiquei arrasado e, por três meses, não saia de casa pra nada; tranquei a faculdade e passei por um período depressivo.

Inúmeros amigos se esforçavam para me tirar da fossa e me convenceram a ir a um psicólogo. Fui meio a contra gosto. Imaginava que seria um velho chato estilo Freud. Me enganei!

O terapeuta era jovem, 27 anos, alto, corpo mediano, cabelos negros e longos e um cavanhaque que lhe dava um chame todo especial. As primeiras seções foram tranquilas, mas sempre olhava com desejo para aquele jovem terapeuta.

Um dia ele mudou a data da terapia- ao invés de quarta seria num sábado. Cheguei e o porteiro avisou que não havia ninguém, decidir esperar e ele chegou 10 minutos atrasados. subimos. Quinze minutos de conversa e ele perguntou sobre meu interesse por homens, comecei a falar sobre isso.

A medida que eu falava, comecei anotar um volume na sua calça: ele estava de pau duro, decidir ser sacana e falar de meus fetiches, entre eles, o de transar naquele consultório.

quando eu falei isso ele ficou meio desconfortável, então segui em frente.

Comecei a falar que imaginava o corpo dele em cada detalhe e que sonhava com uma noite de sexo quente. Ele estava visivelmente muito excitado. Foi então que perguntei:

- Há outras pessoas nas salas ao lado?

-Não!- disse ele - Por que?

-Queria te mostrar uma coisa.

- Pode mostrar.

Fiquei de pé, virei as costas e abaixei as calças.

- Olha esse sinal de nascença que tenho no bumbum.

Ele levantou e disse:

- Vc é louco.

Mas ao contrário do que eu pensei, ele segurou minha bunda e beijou meu pescoço.

- Vc é louco! Sabe que posso perder minha CRP por isso. Falou passando a mão no meu rego.

Eu disse:

- Deixa eu realizar meu fetiche.

E fui desabotoando a calça. A rola dele era linda: 19 cm mais ou menos, grossa, cabeça rosada, veiuda. um tesão. Estava babando de tanto tesão. então noa quis deixa-la esperando, fui lambendo a cabeça com delicadeza.

Ao primeiro toque de minha língua ele estremeceu, gemendo abafado. Fui rodeando a quela cabeça rosada com delicadeza e engolindo cada centímetro. Ele não aguentou e sentou, como se fosse desmaiar de tesão. Chupava aquela rola como se nunca mais fosse fazer aquilo, e descia com a língua até as bolas, lambendo todo o tronco e dando mordiscadas. punhetando aquele macho lindo que estava rendido às minhas lambidas. fazia um movimento de vai-e-vem deixando que ele fodesse minha boca e ele suspirava de tesão. Percebi que ele estava quase gozando então parei e dei-lhe um beijo.

Pretendia parar por ali, mas ele me segurou com força e me jogou na poltrona e disse:

- quero comer esse cuzinho agora mesmo!

Tirou minha bermuda e abriu minha bunda. começou a lamber meu cuzinho me deixando completamente louco. ele fazia movimento circular com a língua que me deixava louco, logo comecei a gemer muito alto. Ele tapou minha boca e pediu pra segurar um pouco, mas era impossível.

Quando já estava louco de tesão ele levantou, abriu a janela, colocou a poltrona próximo e me disse:

- Fica de quatro, sempre quis comer alguém olhando essa paisagem.

A paisagem era uma praça, onde ficavam jovem e alguns idosos. Eu obedeci. Ele voltou a lamber meu cuzinho, mas dessa vez, foi enfiando o dedo também; entendi que ele iria me penetrar. Fiquei preocupado, pois a rola dele era de espessura considerável, mas nem tive tempo de falar nada, de repente sentir uma dor forte e não pude segura: soltei um gemido tão alto que as pessoas na praça olharam para ver do que se tratava, como estava no terceiro andar, não suspeitaram de nada.

Ele socava com força, enquanto me falava sacanagens no ouvido. Mordia meu pescoço.

me colocou de frente, arreganhando minhas pernas- eu ja estava todo arregaçado- e continuava socando com muita pressão. Chupava meus peitos como se eu fosse uma mulher e isso me deixava com muitos tesão, pois sou muito sensíve na região o peito. Em certo momento, ele me deu um tapa e disse:

-Seu viadinho puto do caralho, já que vou perder minha CRP, vc vai perder suas pregas, Tirou a rola e começou a dar com ela na minha cara. Isso era novo e humilhante, mas achei uma delicia. voltou a meter no meu rabo e eu podia sentir que o pau dele latejava dentro de mim, foi então que ele soltou um urro e esguichou jatos de porra dentro de mim. Tirou a rola ainda suja e me fez chupar. Depois de um tempo, nos limpamos e tentamos retomar a conversa, mas já não tinha clima.

Na outra semana ele me ligou avisando que me encaminharia para outro psicólogo para que eu continuasse a terapia, mas ainda hoje nos encontramos para umas conversas particulares. Nos tornamos grandes amigos. Ele namora com uma grande amiga minha e eu também estou namorando,mas ao menos uma vez por mês, revivemos aquela terapia louca e muito gostosa.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

20/09/2016 10:07:07 - Caracas que conto gostoso, parabens, cheio de tesão. amei. abraços...

20/09/2016 07:52:30 - nossa eu queria levar uma enrabada bem gostosa

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente