Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Eu, motorista e a chuva

Como foi a minha primeira vez, era jovem muito comunicativo, meus pais pediram para levar uns moveis na casa de veraneio em Angra dos Reis, com motorista da empresa do meu pai, que já conhecia de vista, apenas para mostrar aonde era a casa, pois a senhora que tomada conta não criasse qualquer problema. Era 9:30 horas da manhã quando ele chegou com a Kombi colocou os moveis e ficou me esperando, quando cheguei eu e ele trajava calça jeans clara, camisa de malha branca e tênis branco, perguntei a ele se era uniforme, deu um sorriso, ele tinha uns 28 anos, moreno, cabelo grande e barba grande.

Saímos para lá, na viagem puxou muitos assuntos, chegamos as 14:30 até sair e almoçar saiu de lá em torno de 17:00, mas preparava uma chuva grande, ele então por iniciativa própria, ligou para meu pai, falou que preparava uma chuva, caso ele precisasse ia esperar passar por causa da serra, poderia chegar tarde.

Então, ao subir a serra começou a cair uma chuva muito grande, pior ou melhor furou o pneu da Kombi, tivemos de trocar no meio da chuva, e paramos para consertar o pneu, no posto escutei ele fazendo uma ligação para meu pai, dizendo que furou pneu que iria procurar um borracheiro e ficaria parado até a chuva passar, já achei que estava com alguma intenção.

Ficamos dentro da Kombi afastado, muito afastado do posto, naquela estrada meia deserta, veio então pedir para passar para parte de trás pois era perigoso ficar ali na frente, então, passamos para trás. Ele começou a tirar a camisa molhada e a calça, falou para tirar pois iria pegar um resfriado, jogou alguns panos que protegiam os moveis deixados na casa no chão da Kombi. Tirei a roupa ficando de cueca, fixou olhar em mim falando:

- Tira a cueca também, corre o risco ficar com gripado, tirei e sentei no chão; ele tirou a dele percebi que sua piroca estava bastante grande. Fiquei deixado no chão e ele sentado no único banco da Kombi, ele veio perto do meu pescoço e diz bem baixinho: - Sinceramente sua bundinha é uma loucura, poxa desculpe falei alto - voltando a sentar.

Olhei para direção dele ele estava masturbando olhando fixado em mim, então tomei a iniciativa em ficar de frente a ele de joelho e peguei na pica dele e comecei a passar a mão nela, quando ele falou (dar uma chupadinha! Peguei com tudo levei ele ao delírio, parei de repente e diz desculpe imaginei alto, deitei novamente, ele veio deitou-se me penetrando bombeando muito e gozando muito.

Ele voltou a ficar sentado no banco, quando percebi que ele ainda estava bem excitado, então sentei na pica dele fiquei rebolando muito, até ele gozar novamente, ficamos trocando carinho por muito tempo, voltando para casa chegando a meia noite, mas antes de deixar em casa parou o carro num cantinho da rua pediu para chupar até ele gozar, novamente me envolvi.

Fiquei com ele até quando ele resolver a casar e despedimos sem qualquer magoa, pelo contrário, me ensinou muito nesses 5 anos de convivência, pois na realidade para meus pais não desconfiasse, arrumei uma namorada em Barra Mansa, ele ia comigo ficando em motéis da estrada. Lembro com muita saudade.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

11/08/2016 23:02:03 - preciso de uma pica assim...

28/07/2016 22:46:52 - belo conto adorei

28/07/2016 19:28:16 - Caracas que conto lindo, amei cara vc. e muito de sorte, parabéns pelo conto. abraços...

28/07/2016 01:40:52 - Belo conto o seu, queria viver um momento assim.

28/07/2016 00:39:13 - preciso de um cu assim

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente