Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Encontro de Carnaval

No feriadão do Carnaval de 2016 fui com três amigos para Ubatuba, litoral norte de SP. Dois deles são namorados e o outro é um ex namorado meu e que hoje é um dos meus melhores amigos. Chegamos lá na madrugada da 6ª para o sábado e fomos nos instalar na pousada que havíamos reservado. No sábado pela manhã, conversando com o rapaz da recepção, fiquei sabendo que na Praia do Cambury havia equipes que ofereciam passeios de barco para algumas pequenas ilhas da região. Assim, eu e meus amigos combinamos de ir para lá no domingo.

Na manhã do domingo, fomos para aquela praia. Chegando lá, notamos que o local, apesar de pouco habitado, recebia um grande número de turistas. Ao lado da costeira esquerda da praia, localizamos o pessoal dos barcos para passeio e combinamos com um dos rapazes, chamado André, uma ida até duas ilhas vizinhas.

No trajeto entre a praia e as ilhas, notei que o André olhava com bastante insistência para mim. Ele é um rapaz moreno, muito bonito, 26 anos, não muito corpulento, mas com o corpo bastante definido, talvez pelo exercício de remar. Ele estava usando uma sunguinha amarela, que marcava demais o seu pau, e uma camiseta regata branca, coladinha no corpo. Percebi que sempre que ele me olhava, ele tocava suavemente seu pau por sobre a sunga e, de canto de boca, dava um sorrisinho bem safado pra mim. Meus amigos estavam de costas para ele e eu bem de frente, de forma que apenas eu percebia suas intenções sacanas.

Quando descemos do barco, na primeira ilha, ele esbarrou seu pau na minha coxa, discretamente, fazendo com que eu sentisse um tesão danado. Disfarcei e entrei numa trilha sob o pretexto de dar uma descansada e ele veio atrás de mim. Meus amigos ficaram sentados na areia e eu e o André sentamos num tronco de árvore e ficamos conversando um pouco. Ele me disse que era do Rio de Janeiro, que tinha acabado de se separar da mulher e tinha vindo trabalhar com seu primo, que era o dos barcos. Disse que estava morando numa espécie de chalé que ele mesmo construiu na costeira da praia, pertinho do local em que os barcos ficavam. No meio da conversa, falando sobre sexo, ele me perguntou se eu curtia homens, porque ele percebeu que eu olhava pra ele de uma forma diferente, e que isso o tinha deixado com muito tesão, porque eu era o tipo de homem que ele curtia. Na hora, meu pau ficou duro, tentei disfarçar mas ele riu e disse pra eu não me acanhar, que ele sabia que eu tinha gostado dele também.

Logo depois, nossos amigos nos chamaram e fomos para a segunda ilha. Nessa ilha, havia uma espécie de lagoa bem perto da praia. Enquanto meus amigos foram para o mar, eu e o André fomos para a lagoa tomar um banho de água doce antes de irmos para o mar. Quando o André entrou na lagoa, se aproximou de mim e senti que ele estava completamente nu, pois seu pau roçou na minha bunda. Fiquei alucinado e preocupado, já que havia outras pessoas na água. Ele sorriu pra mim e me indicou uma trilha, dizendo pra eu ir para lá que ele estaria me esperando. Alguns minutos depois que ele saiu da água, eu fui para o local que ele indicou e o encontrei atrás de uma grande árvore, completamente nu e de pau duro.

Claro, não perdi tempo e caí de boca naquela tora deliciosa. Chupei seu pau com muita vontade, engolindo aquela rola todinha. Chupei o pau dele por um bom tempo e quando passei a língua nas suas virilhas ele foi às alturas. De repente, ele se deitou no chão, sobre sua camiseta, e me puxou pra cima dele, me beijando loucamente, enfiando sua língua na minha boca sem parar e sugando a minha, num beijo interminável.

Dizendo coisas gostosas no meu ouvido, me deitou de bruços, abriu minhas pernas e meteu a língua no meu cu, lambendo-o de uma forma que há muito eu não experimentava. Uma sensação indescritível tomava conta de nós dois, e pude perceber que a atração dele por mim era muito verdadeira, ele fazia tudo com muita vontade, como se estivesse há meses sem sexo. Aos poucos fomos virando nossos corpos e, enquanto ele linguava deliciosamente meu cu, eu chupava o pau dele.

Foram minutos deliciosos com aquela rola maravilhosa na minha boca e com a língua dele explorando meu rabo, que a essa altura, já estava todo lambuzado, pronto pra receber aquela pica deliciosa. Porém, antes que ele me penetrasse, não aguentando mais de tesão, ele jorrou muita porra na minha boca, quentinha, cremosa, gostosa...claro, não perdi uma gota e engoli tudo. Sem esperar mais, ainda de pau totalmente duro, ele colocou uma camisinha que trazia dentro da sunga e me comeu de uma maneira muito gostosa, metendo sem parar até me fazer gozar e gozando como um louco mais uma vez dentro de mim. Depois de um longo e delicioso beijo, voltamos para a praia e fomos até o mar. Meus amigos, sem perguntar nada, sacaram que algo havia acontecido e, com discrição, conversaram conosco como se nada tivesse acontecido.

Quando retornamos à Praia do Cambury, o André me deu um abraço de despedida e me convidou para voltar mais à noite para conhecer o seu chalé. Claro que aceitei e voltei.

Tivemos uma noite maravilhosa de muito sexo, de muito carinho e de muitas carícias trocadas, mas isso é assunto para outra história que contarei oportunamente.

Desde aquele feriadão, tenho ido pra Cambury a cada 15 dias pra ficar com o André. Aquilo que, inicialmente, foi um simples e casual encontro de carnaval, se transformou num sólido namoro, que fez crescer entre nós um sentimento muito forte, intenso, que se completa com o sexo gostoso que fazemos no nosso cantinho à beira da praia.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Sidnei



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

19/10/2016 21:54:35 - Excelente conto.

19/10/2016 18:26:34 - Belo conto....

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente