Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Enfim transei com meu irmão

Diferente de muitos contos e relatos que já li, não vou detalhar características tanto minhas como do meu irmão, mas no decorrer do relato que é totalmente verídico, darei detalhes de como tudo começou, bem como por fim cheguei ao ápice do meu desejo.

Bom, desde criança, nutria um forte desejo pelo meu irmão, e depois descobri que esse desejo era recíproco, quando ele soube que eu já curtia com uns amiguinhos da rua. Isso se deu quando eu tinha uns 11 anos, e ele uns 16. Na época rolou uns amassos, mas não passou disso.

O tempo passou e eu assumi minha sexualidade e com isso sempre notei que ele me olhava diferente. Nunca mais rolou nenhum amasso ou algo do tipo, mas mesmo assim, eu nunca deixei de sentir desejo por ele, e sempre notei que ele também sentia o mesmo por mim.

Meu irmão mudou de cidade, foi morar com meu pai que era separado da minha mãe, e passamos muitos anos sem nos vemos, e o "assunto" ficou no esquecimento por assim dizer, até que nos encontramos e num determinado momento, senti que o tesão de outrora, continuava vivo. Mais uma vez nada aconteceu. Talvez por ambos estarmos com medo da reação um do outro; não tinha como saber como o outro iria reagir. Mais uma vez nada aconteceu.

Alguns anos se passaram e novamente um novo reencontro. Tivemos a oportunidade de dormir juntos, e eu estava decidido a não perder novamente mais uma oportunidade, mais uma chance que o destino nos dava de concretizar um desejo antigo, um fetiche, e porque não dizer, um amor maior que um amor de irmãos.

A noite chegou e fomos dormir no mesmo quarto, na mesma cama que era de casal. Conversamos sobre coisas amenas, coisas sem importância, até por fim não termos mais assunto. O silêncio tomou conta do quarto, mas o sono não vinha, estávamos inquietos, por finalmente ter a maior e talvez única chance de nos entregarmos, e ainda assim, nenhum tomava iniciativa. De repente, ele se vira pro meu lado, e sinto que a hora era aquela, tinha que arriscar. Me viro também e fico com minha bunda colada no pau dele, sinto o calor do seu corpo junto ao meu e seu pau vibrar de tesão. Ainda como uma forma de não ter mais dúvida alguma, e confirmar o que já estava confirmado, pousei minha mão sobre seu caralho. Estava muito duro, quente e pulsando muito, na hora ele deu um gemido, talvez ainda com medo de tudo que estava acontecendo, mas já era tarde demais para qualquer arrependimento. Enfim começávamos o que seria nossa primeira noite de sexo, nossa primeira noite de amor. Com muita pressa puxei seu calção, e pode sentir o cheiro do seu pau, e que cheiro, um cheiro que me levou de volta a infância, e ao mesmo tempo ao paraíso. Passei a chupar seu cacete que não era tão grande, mas era bem grosso. Chupei com muito gosto, e da melhor forma que podia fazer. Meu irmão gemia e alisava meus cabelos, empurrava minha cabeça para que eu engolisse todo o seu pau. Claro que eu não conseguia, era muito grosso, não cabia todo na mina boca, mas eu me realizava e o realizava,com um boquete de enlouquecer. Ele por fim não aguentou e gozou na minha boca, me dando toda sua porra quente e gostosa, a qual sorvi toda e com muito gosto.

Nos entregamos por completo com um beijo quente e molhado, entre gemidos, amassos e declarações de amor. Ele havia gozado, mas eu ainda não, e seu pau não baixava, parecia que não ia amolecer nunca. Como já estava bem babado, comecei a sentar em seu caralho, e ele não parava de gemer, e eu não conseguia receber seu pau no meu vizinho, pois era muito grosso mesmo. Aos poucos, com muito cuidado e muito tesão, fui conseguindo agasalhar todo seu cacete dentro de mim, e com muitos beijos, consegui por fim sentir o total prazer de receber o pau que tanto desejei, totalmente dentro de mim.

A partir daí cavalguei com loucura em seu delicioso caralho, que parecia ter vida própria, e procurava cada vez mais entrar em mim. Comecei a bater uma punheta, pois já sentia que ele estava prestes a explodir novamente, e chegamos ao orgasmo, que posso dizer, ter sido o melhor de toda minha vida, dando um verdadeiro banho de porra nele e sentindo meu cu ser totalmente preenchido com sua porra quente e forte.

Aos poucos fomos nos acalmando, e com um beijo de amor, selamos o que veio a ser nossa primeira noite de amor em família. Por fim, dormimos abraçados e saciados por completo de um desejo que nasceu ainda éramos praticamente crianças.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/não



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente