Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Uma relação promissora

Há cerca de 5 anos conheci um japonês no site Disponivel. Ele tinha seus 38 anos e em seu perfil afirmava ser caçador de coroas e como eu já tinha meus 57 anos à época, entrei em contato com ele surgindo daí uma amizade a distância, porque, embora morássemos no mesmo estado, nossas cidades eram separadas por cerca de 650 km. Nosso contato na real seria complicado em função dessa distância, daí não alimentei muitas expectativas e meio que o deixei "de molho", buscando conhecer pessoas da minha cidade.

Tenho sempre o hábito de ligar minha câmera ao vivo no Disponivel e em várias ocasiões lá estava o "japonês caçador" elogiando minha bunda e sempre falando da vontade que ele tinha de um dia brincar comigo. Vendo as fotos que ele postava e enviava não neguei que também estava louco de vontade de estar com ele.

Dois anos após nos conhecermos virtualmente, surgiu uma boa oportunidade de nos encontrarmos. Em minhas férias resolvi visitar parentes no interior do meu estado e observei que estaria a 100 km da cidade do meu "caçador". Peguei meu carro e lá fui eu passear em férias merecidas. Antes de viajar o avisei que estaria por perto e ele pediu com insistência que eu fosse até sua cidade para finalmente nos conhecermos de perto. Eu disse que faria o possível para ir, e se fosse o avisaria para acertar detalhes do encontro.

Quatro dias após chegar a casa dos parentes comuniquei a eles que ia fazer compras no Paraguai e lá fui rumo à cidade do "caçador" que fica na divisa daquele país. Marquei o esperado encontro para após o seu expediente de trabalho. Cheguei cedo à cidade e atravessei a fronteira pra comprar vinhos e bugigangas eletrônicas. Ao fim da tarde voltei e o esperei em local combinado. Confesso que estava ansioso pra vê-lo de perto.

À hora marcada ele estacionou seu carro ao lado do meu e sem descer pediu que eu o seguisse até sua casa onde trocaria de roupa e de lá seguiríamos a um lugar discreto, uma vez que ele morava com familiares. Esperei por cerca de 15 minutos e seguimos no meu carro até um motel cujo caminho ele foi indicando.

Eu estava um pouco nervoso e acanhado enquanto ele falava comigo sobre enfim ter chegado a minha vez de ser caçado. Assenti com um sorriso e arrisquei por a mão em sua perna musculosa deslisando até seu membro já enrijecido e latejante. Ele apertou a minha mão contra o seu pau e pressenti que a noite seria deliciosa!

Chegamos ao motel e ele se apressou em pedir uma suíte das melhores. Passaríamos a noite conforme anteriormente combinado.

Já na entrada, enquanto eu fechava a porta ele me abraçou por trás mordiscando meu pescoço e dizendo: "Que delícia você é!" enquanto esfregava seu pau duro em minha bunda já faminta. Ao ouvir isso me excitei e num movimento contínuo me livrei do abraço virando de frente pra ele e, face a face o beijei deliciosamente. Movíamos nossas línguas uma na outra com o desejo de quem esperara aquele momento por dois longos anos. Estávamos, assim, bem à vontade um com o outro. Pedi licença para ir ao banheiro e tomei um banho quente enquanto ele tirava a roupa. Era a vez dele tomar banho. Me sequei em toalha felpuda, deitei na cama imensa e redonda, propositadamente com a bunda pra cima, e enquanto ouvia ele comentar sobre a água gostosa do chuveiro, disse a ele que iria descansar um pouco do dia e viagem cansativos. Na verdade eu tinha certeza que não descansaria coisa nenhuma... mal podia esperar o momento de ele se deitar...

Ouvi o cessar do barulho da ducha e meu coração começou a acelerar. Ele se enxugou e ligou o ar condicionado pra aplacar o calor que fazia.

Na verdade ele levou a sério o meu "cansaço" e, ao contrário do que eu esperava, ele se deitou ao meu lado sem inicialmente me tocar. Como meu rosto estava escondido entre os braços no travesseiro, fiquei me perguntando até quando perduraria aquele silêncio e relaxei. Pensava com meus botões se ele tinha se arrependido de estar ali na cama comigo e se no silêncio ensaiava alguma desculpa. Acredito que essa situação demorou cerca de meia hora e pressenti que na verdade ele estava cansado do dia de trabalho. Eu já estava quase dormindo de verdade quando senti minha bunda sendo acariciada por cuidadosos dedos. Meu coração se acelerou nesse instante. Ele encostou sua boca em meu ouvido e perguntou num sussurro se eu já havia descansado o suficiente. Menti que não...disse que precisava de mais um tempinho só com o intuito de provoca-lo.

Ele notou que eu estava de brincadeira porque ao dizer aquilo dei um breve sorriso de deboche, ao que ele retrucou: "me desculpe, mas com essa bunda deliciosa me convidando, só resisti à tentação até agora" e enquanto falava já foi encostando seu membro duro buscando meu buraquinho que já latejava de prazer!

Ergui levemente minha bunda gemendo de prazer oferecendo uma posição mais devassa, ao que ele respondeu forçando a entrada levemente sem penetrar. Por ele estar sem camisinha, um misto de prazer e receio tomou conta do meu pensar. Instintivamente contraí os músculos das nádegas na intensão de inibir a penetração. Percebendo a situação ele foi deslisando o corpo mordiscando meu pescoço, minhas costas, chegando vagarosamente até a bunda. Mordiscou as nádegas e fui às alturas de prazer quando ele lambeu meu buraquinho cheio de tesão. Comecei a gemer de prazer enquanto dizia que queria tudo dentro de mim. Peguei uma camisinha na cabeceira da cama e ofereci a ele que rapidamente vestiu no pau rijo. Em seguida notei que ele dobrou o envelope da camisinha e pressionou dois dedos retirando de dentro o lubrificante, untando a entrada do meu cuzinho já louco de desejo. Empinei a bunda pra cima e segurando nos meu quadril ele foi tomando conta do meu desejo penetrando com cuidado.

O prazer que senti não sei se conseguiria descrever aqui. Foi fantástico!! Já com a entrada relaxada, me entreguei de vez ao apetite daquele pau delicioso e movi minha bunda rebolando gostosa e lentamente, ajudando a penetração. Ele demorou me comento e falando coisas obscenas me chamando de sua gostosa até que explodiu num gozo gostoso deitando seu corpo quente sobre o meu ao mesmo tempo em que retirava seu pau já semi ereto do meu cu satisfeito. Agradecendo com a voz cansada pela foda ele se levantou e foi ao banheiro se lavar. Em seguida também fui tomar mais uma ducha e ambos, aí sim, dormimos após trocar sôfregos beijos de paixão! Com o pau mole, ele me abraçou por trás e ficamos de conchinha por alguns minutos. Me acomodei de bruços novamente e ele também. Havíamos chegado ao motel às 7 da noite. Antes de pegar no sono vi que eram 9h e meia.

Dormi até a meia noite. Acordei com sede e peguei uma garrafa de água mineral no frigobar pra me saciar, enquanto ele ainda dormia. Me deitei novamente respeitando seu sono, mas não consegui mais dormir. Na verdade não via a hora de ele acordar pra brincar de novo. Esperei cerca de 15 minutos ouvindo o ressonar da sua respiração percebendo que ele tinha de fato se exaurido. Só que meu apetite sexual costuma ser intenso e resolvi investir aconchegando meu corpo em seu corpo nu, de lado, colando minha bunda no seu quadril.

Aos poucos ele despertou posicionando também o seu corpo perguntado as horas. Surpreendeu-se quando anunciei que tínhamos dormido quase três horas. Conversamos um pouco sobre trivialidades e de repente roubei~lhe um beijo oferecendo água que ele bebeu sedento. Foi rapidamente ao banheiro e voltou já de pau duro, deitando-se de costas. Vendo aquela vara de 15 cm me convidando, não tive dúvidas: abocanhei seu pau como quem chupa um sorvete lambendo aquela gostosura, enquanto ele murmurava palavras obscenas misturadas com sussurros de prazer. Assim foi por alguns minutos até que ele empurrou minha cabeça avisando que estava pra gozar. Sentindo o gozo próximo no latejo do bastão, ao invés de parar de sugar, o fiz com mais gosto ainda, para sua surpresa.

Adivinhando que eu queria degustar seu leite ele explodiu novamente seu gozo e inundou minha boca com seu líquido agridoce que engoli com grande apetite sugando até a última gota! Eu disse que adorei o gosto ao que ele sorriu agradecido. Nos abraçamos bem gostoso e o beijei com prazer e sem pudores. Conversamos longamente sobre nossas vidas, trocando confidências enquanto nos tocávamos entre falas. Ele não se cansava de elogiar meu corpo dizendo que mesmo cinquentão eu aparentava ter muito menos e tinha um apetite de jovem. Após essa pausa, tomamos uma ducha juntos. Ele lavou meu corpo e eu lavei o dele, enquanto nos acariciávamos despertando novamente nosso apetite. Nos enxugamos, voltamos pra cama e começamos tudo de novo. Perdi a conta das vezes que ele me comeu até o raiar do dia.

Chegado o momento da despedida ficamos sentidos, mas eu disse que viria muiiitas vezes repetir a noite maravilhosa que tivemos. Ele me fez prometer que eu voltaria de verdade.

Na verdade voltei várias vezes lá e ele também veio duas vezes até minha cidade. Em todas as ocasiões foi pura delícia e estamos namorando à distância desde então. Recentemente estive lá e foi ainda melhor estar com ele! Isso me animou a relatar minha aventura que virou paixão. Aproveito pra mandar um beijo pro meu "caçador". Sei que ele vai ler essa história caso seja publicada e confirmará tudo o que eu disse. Quem sabe ele próprio não escreva um dos nossos encontros com palavras dele... eu adoraria!

Ou quem sabe, dependendo da aceitação dos leitores eu próprio volte a escrever sobre os nossos outros reencontros que também foram fantásticos!! Beijos, meu japonês gostoso!!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/50tesao



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente