Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Do clube para o apartamento

Isso aconteceu Desde que era muito jovem eu sou fã de futebol. Assim, quando arrumei meu primeiro emprego a primeira coisa que fiz foi me tornar sócio do meu clube do coração.

Uma das coisas que eu mais gostava era de ir pra piscina do clube em domingos que tinha jogo.

Ia logo cedo, assim que abria a piscina e ficava por lá bebendo cervejas e olhando as pessoas em volta, muitas inclusive também à espera da hora do jogo. Inclusive almoçava por lá.

Desde a primeira vez que fui à piscina passar o dia a espera do jogo, como estava bebendo cerveja, me dava vontade de ir dar uma mijadinha. Descia até um vestiário que tem lá e entrava em alguma das cabines onde tem privada. No vestiário tinha vários chuveiros e logo na primeira vez meu tesão foia mil quando entrei lá e tinha uns caras nus, trocando de roupa e outros tomando banho.

O que mais me atraiu foi o fato de quase todos serem coroas. Passei a ir com mais frequencia ao vestiário, as vezes nem tava com vontade de mijar, passava e olhava os caras nus tomando banho, dava uma espiada na tentativa de ver alguma rola e confesso, cheguei a ver algumas bem duras.

Logo me veio a fantasia de que aqueles coroas ficavam por ali a fim de comer ou dar pra alguém. Inclusive tinha uns coroas que eu já tinha visto várias vezes. Parecia até que moravam no vestiário.

Eu sempre me apressava até a cabine com privada e no início mijava, mas com o tempo eu na verdade me masturbava pensando naqueles coroas me currando.

Claro que aqueles mais assíduos notaram meu vai e vem ao vestiário. Certo domingo, entrei no banheiro e ia cumprir minha rotina de dar uma olhadela naqueles coroas nus e entrar numa cabine. Só que, pra minha surpresa estavam todas fechadas. Fiquei com muita vergonha e sem saber o que fazer. Como era no vestiário que deixávamos nossas roupas em armários, disfarcei, fui ao meu armário, tirei minha sacola, tirei tudo de dentro, tirei minha sunga, me enrolei numa toalha, criei muita coragem e fui até um chuveiro que tinha bem no canto.

Ao chegar lá, tirei a toalha, não olhei em volta, abri o chuveiro e entrei na ducha. Confesso que não pude deixar de perceber que os dois coroas que estavam lá naquele momento me comeram com os olhos. Na verdade eu sempre tive uma bunda muito gostosa. Dura, empinada e bem branquinha. Talvez pelos vários anos de esportes que pratiquei no colégio. Um deles sussurrou: Bundinha gostosa garoto.

Fiz que não ouvi mas parece que minha estratégia não funcionou muito pois em segundos um deles se aproximou sem que eu visse e me encoxou, me agarrando pela cintura. Tentei me desvencilhar do abraços dele mas não consegui pois ele era muito forte. Senti seu peito peludo encostar nas minhas costas e seu pau grande e duro se esfregar na minha bunda. Ainda tentei sair mas ele falou.

Calma garotinho. Sabemos o que você quer. Todo domingo você está por aqui e entra e sai do banheiro e sabemos que você bate uma punhetinha lá. Relaxa que você vai ter o que quer.

Nesse instante, na verdade já sem querer lutar e com o pau já duro também, um pouco motivado pelas cervejas que tinha tomado eu relaxei e deixei ele se esfregar em mim. O que estava no outro chuveiro se aproximou pela minha frente e me encoxou também. Fiquei ali parecendo a carne que fica no meio de um sanduiche.

Um deles tateu até pegar na minha rola e disse. Olha como ele está gostando Mauro. Começou a me masturbar de leve e beijar minha nuca. Enquanto isso o Mauro, que estva se esfregando na minha bundinha, enfiou o pau no meio das minhas pernas e ficou metendo entra minhas coxas.

Eu já arfava e emitia gunhidos. Senti, claro, que os dois estavam com muito tesão.

Arrebitei a bundinha pois estava doido pra ser enrabado ali mesmo. Eu estava pegando fogo. O que me encoxava pela frente se afastou e me fez abaixar e me deu a rola pra mamar. Era linda e rosada. Não muito comprida mas grossa e cabeçuda. Me abaixei e engoli o falo dele. Estava com tanto tesão e nervoso por estar num local onde poderia entrar alguém a qualquer momento que chupava a rola dele com muita rapidez e de vez em quando escapava da boca.

O de trás ficou encostando a cabeça da pica no meu anelzinho e pressionando de leve mas não com força pra enterrar no meu rabo. aquilo me deixou ainda mais louco de tesão. Pedi pra me foder, então ele me levantou pelos cabelos, encostou perto do meu ouvido e disse: moro aqui perto, vamos pro meu apartamento. Aqui seremos flagrados.

Eu não sabia nem o que estava fazendo, se teria perigo ou não, apenas assenti com acabeça, me dirigi até onde estava minha mochila, peguei minhas roupas, me vesti e, vendo que eles também já tinham se vestido, saímos pro apartamento dele que eu sequer tinha perguntado onde ficava.

Entramos num carro bem luxuoso e por incrível que pareça, tinham um motorista particular. Fomos todos pro banco de trás. Em instantes eles tiraram a roupa e ficaram totalmente nus e disseram pra eu tirar também. Fiquei meio intimidado por causa do motorista mas eles perceberam e disseram pra não ligar pra ele pois era um profissional a trabalho.

Logo eu estava masturbando o Mauro e chupando o Jorge. E de vez em quando eu chupava o Mauro e masturbava o jorge. Nesse mesmo instante os dedos deles percorriam todo o meu corpo e alternadamente unfiavam um ou dois dedos no meu cu me arrancando urros de prazer. Não demorou entramos num condomínio. Já na garagem, assim que o carro parou eu peguei minhas roupas pra vestir e eles disseram. Garoto, nós vamos subir os três, nus.

Nem acreditei naquilo mas eu sequer sabia onde estava. Não tinha prestado atenção ao caminho. Saímos do carro e fomos para o elevador de serviço. Enramos e eles ontinuaram com a sacanagem. Me fizeram chupá-lo a ambos, dois paus na minha boca, dentro do elevador. Eu confesso que já não sentia medo e estava me deliciando com aquilo.

Chegamos ao apartamento que era grande e tinha uma vista linda da cidade. Me serviram um whiskey 24 anos e brindamos ao amor e a putaria. Depois de umas duas doses e muita esfregação um dels me levou até um sofá e fiquei de quatro com os cotovelos no encosto do sofá.

Mauro veio por trás, abriu bem minha bundinha e caiu de língua chupando sugando enfiando a língua no meu cu. Jorge veio pela frente e me ofereceu a pica pra eu mamar. Fiz o serviço como um bezerrinho mamando a mamãe. Suguei a cabeça, o corpo, os ovos, tirei urros dele.

Logo Mauro ficou de pé e roçou a cabeça da rola no meu cu. Perguntei se tinha camisinha. Ele falou que tinha esquecido de comprar mas que carne na carne era mais gostoso. Em segundos forçou a entrada do meu cu. Senti minha pregas arderem e serem arregaçadas. Pedi pra foder gostoso. Eu queria aquilo desde a primeira vez que tinha entrado no vestiário do clube.

Ele socou o pau até os pentelhos encostarem na minha bunda. Depois iniciu um vai e vem frenético. Dava pra escutar os ovos dele baterem na minha bunda. Aquilo me deixava louco.

Gritei, urrei, pedi pra me foder, me rasgar, enfiar com força. De repente pedi também pra bater na minha bunda. Ele nem esperou um segundo e meteu um tapa forte que estalou no ambiente. Senti a bunda arder. Meu pau ficou ainda mais duro do que já estava.

Eu falei: bate mais seu porra. Bate filha da puta. E senti outra porrada ainda mais forte. eu pedia pra ele me arregaçar o cu mas isso acontecia só nas pausas que a rola de Jorge não estava na minha boca pois ele também me fodia a boca com o mesmo vigor que Mauro.

Acho que passamos uns 40 minutos naquela putaria. Meu cu estava em brasa. Da minha rola escorriam fios de gala que chegavam até o sofá. Jorge então gozou abundantemente na minha boca. Engoli o que pude. Ele não parava de esporrar e meter. Quase no mesmo instante mauro explodiu em gozo no meu cu. Continuou socando e a cada retirada da rola eu sentia o esperma escorrar na minha perna.

Ainda com muito tesão, eles inverteram os papéis e fodemos mais uns 20 a 30 minutos até os dois se saciarem na putinha deles que era eu.

Fomos tomar banho. Eu tinha tido muito prazer e estava em brasa, e, fogo, até porque não tinha gozado. Focos pro banheiro, tomamos um banho e o fogo de tosos se acendeu de novo.

Dali saímos para um quarto que tinha uma cama gigante de casal. mandaram me sentar encostado nos travesseiro. Mauro então veio e abocanhou meu pau e começou a chupá-lo com avidez. Jorge se posicionou atrás dele e enfiou o pau quase que de uma só vez. Mauro urrrou e mamou minha rola com mais vigor ainda.

Ele era um mestre da mamada. Eu tava com tanto tesão que nem demorou pra explodir em gozo dentro da boca dele. Não deixou cair um só pingo na cama. bebeu toda minha gala. Jorge então tirou o pau do cu dele e ofereceu a rola pra ele mamar. Também não demorou gozou muito na boca dele. Também não deixou um pingo sequer.

Passamos ainda o resto da tarde fodendo. O jogo terminava em torno de 19h e tinhamos ido cedo pra o apartamento dele. Depois de termos bebido muito whisky, comido muitos petiscos importados, fodido em todos os recantos do apartamento, eu disse que precisava ir.

Tomamos mais um banho e perguntei se teria outra vez. Eles nada disseram, desceram comigo, agora vestidos pois o motorista tinha trazido as roupas, entramos no carro, saímos e eles me deixaram de volta no clube. Dessa vez prestei atenção no caminho e vi que realmente era bem perto do estádio.

Saí do carro e perguntei de novo se os veria de novo. Disseram um "quem sabe"?

Num outro dia, resolvi passar no prédio onde tinhamos feito a farra. Perguntei ao porteiro se Sr mauro ou Sr Jorge se encontravam no local.

O porteiro me olhou e disse: Esse apartamento é dos "e falou um nome de uma família tradicional que não posso revelar", estava em reforma até alguns dias atrás mas a empresa já terminou a reforma.

Você deve estar falando de Mauro Eletricista e Jorge Encanador não é?

Eu disse que provavelmente sim.

Saí e nunca mais, desde aquele dia, vi aqueles caras, nem no clube. Coisa estranha. Mas que a foda com os dois ainda me faz bater algumas punhetas, disso tenham certeza.

E é o que vou fazer agora!

Beijos na pica!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Ursaopassivo2016sp



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente