Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Ativo dando com vontade

Por duas vezes o Manuel (até então eu não sabia o seu nome) havia entrado em contato comigo, mas a gente não conseguia conciliar e marcar um encontro. Um cara com seus 39 anos, 1,71 de altura, 81 kg e com uma evidente marca de sunga. Status: ativo.

Mesmo eu preferindo ser ativo, quando a química é boa e o tesão fala mais alto, não tenho problema em ser passivo, desde que eu sinta vontade. E acho também que sexo bem feito não está vinculado à penetração se não rolar. Dá para gozar legal e com tesão de outras maneira.

Na terceira tentativa de contato trocamos mais fotos e ele acabou me enviando uma de costas e pelado onde pude ver pela primeira vez sua bunda. Na hora fiquei de pau duro e joguei que estava a fim de comê-lo. Sua resposta, para a minha surpresa, foi positiva e meio que deixamos programado nos encontrar na sexta-feira depois do trabalho, mas acabou não rolando porque nos desencontramos online, então no sábado quando acordei, arrisquei contato deixando uma mensagem no perfil. Minutos depois recebi sua resposta e entre as mensagens acertamos nos ver naquela hora.

Ao sair do banho ouvi o toque de mensagem chegando. Somente um "E...?". Respondi que estava quase de saída e recebi outra mensagem com o seu endereço.

A vantagem em morarmos próximos é que não demorei 20 minutos para chegar na sua casa. Subi, toquei a campanhia e ele me recebeu de banho tomado e trajando apenas um roupão de banho. O primeiro beijo já rolou logo após ele ter fechado a porta do apto. Puta que pariu, que tesão de beijo.

Fomos caminhando para o centro da sala, ainda nos beijos, e na pausa ele diz: "- Tira a roupa.". Tirei, ficando somente com a cueca e continuamos numa chupação de língua que só quem curte beijo entre caras sabe como é.

De lá para o quarto foi questão de passos e com ele deitado na cama, deitei sobre ele e continuamos nos beijos, na chupação de língua e no corpo a corpo, roçando nossos paus um no outro entre abraços e cruzadas de pernas. Eu sentia meu pau babando.

Chupei seus mamilos e fui descendo, passando a língua pelo corpo. Quando alcancei a virilha e ele gemeu, levantei e tirei a sua cueca deixado a mostra um cacete duro e grosso, uma delícia de rola.

Virei-o de bruço e caí de boca e língua naquele rabo cheirando a banho. Ele gemia, e quanto mais eu escutava aquilo, mais eu chupava, lambia e dava mordidas de leve. Eu sentia meu pau pulsar e babar e estava na fissura de comer aquela bunda.

Coloquei ele de quatro e rocei meu cacete melado na entrada do rabo. Ele ajudava fazendo movimentos para frente e para trás. Quanto mais para trás ele vinha, a cada roçada meu pau ia abrindo caminho, entrando mais e mais um pouco de cada vez até estar todo dentro.

Senti o pau entrar e já com os meus pentelhos roçando na sua bunda, comecei a bombar, de início de leve, depois com mais rigor conforme ele ia se acostumando com a grossura do meu pau.

Não demorou muito para eu gozar. Saí de dentro dele, deitei ao seu lado na cama e ele caiu de boca no meu cacete até deixar completamente limpo. Eu ainda estava de pau duro e ele continuava chupando. E a chupada estava tão gostosa que eu quis retribuir dando uma mamada gostosa no pau dele. Chupei muito e até cansar.

- Posso te comer?

- Cara, numa boa, eu realmente não estou a fim de dar, não me leve a mal - eu disse.

- Então vem e mete mais em mim.

E voltei a meter com ele de quatro, cavalgando, comigo deitado na beirada da cama e ele em pé sentando e engolindo o meu pau. Quando ambos já estávamos cansados ele saiu de cima e passou a chupar o meu pau, o meu saco e a linguar o que conseguia alcançar da minha bunda.

Avisei que iria gozar e ele chupou e bebeu cada gota de porra minha. Ele acabou não gozando, mas parecia estar saciado pela foda que demos.

Ficamos deitados, abraçados e conversando por quase 40 minutos, falando sobre política e a situação atual do país.

O gostoso de uma trepada bem dada é isso, depois da gozada, uma conversa sadia e produtiva. Demorou a nos encontrarmos, mas foi uma foda que valeu a pena. Se meteremos de novo, não sei, mas pode existir a possibilidade.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/kallek



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente