Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: O PM me flagrou e comeu meu cu

Aconteceu quando eu morei no Rio. Havia marcado com um homem para fuder. Mas como êle era tipo cafajeste eu marquei o encontro no meu atelier da Rua Santa Luzia. Ao lado do atelier havia uma sub-planta da Light e ao lado desta uma garagem para veículos de oficiais do exército. Desnecessário dizer que todos os homens de ambos estabelecimentos eram fregueses do meu cu e quando me viam ficavam doidos para me enrabar.

Por isso, naquela noite eu estacionei meu carro, um karmanghia, um tanto distante do atelier porque eu queria uma rola diferente. Porém um dos homens da planta da Light, o primeiro que me fudeu notou o carro e veio falar comigo. Queria fuder. Falei que não podia porque estava esperando um homem que deveria chegar a qualquer momento. Ele então disse para eu mamar sua rola, que ele gozaria rapidamente.

Para me ver livre dele mandei ele tirar a jeba para fora e cai de boca . A configuração do Karmanghia é de tal forma que se um viado esta sentado no volante, a rola do macho de fora fica exatamente na altura da pica. Mas fiz um erro de deixar ele fuder minha boca e não eu chupar sua rola porque alguém de fora poderia notar o movimento dele fudendo. Contudo a rua Santa Luzia era um tanto deserta e não pensei muito no assunto. Depois de uns 10 minutos, ele esporrou uma boa carga na minha boca. Assim que ele saiu, surgiu um PM não sei de onde. Ele não era regular da area porque eu ja tinha dado o rabo para vários PMs da região. Ele perguntou o que era que eu estava fazendo com aquele homem encostado na janela do meu carro. Falei que estava conversando. Ele virou-se e disse:-

- Conversando?...Você tá pensando que eu sou bobo? E dizendo isto encostou-se na janela do carro exatamente como o homem da light estava. O volume de seu caralho era enorme.

E comecei a notar que estava ficando duro. Ele virou-se e disse:-Eu sei que voce é viado. Eu então passei a mão no volume para confirmar. Ele tirou minha mão e disse que tinhamos de acertar algo.

Queria uma nota. E abrindo o zipper falou: " Pode chupar bicha mas vai ter de me dar uma boa nota" . A pica do homem era dessas vale quanto pesa. Comecei a mama-lo. Perguntei se ele queria comer meu cu. Respondeu que então o preço iria aumentar. O homem era tão gostoso que eu esqueci até do outro que eu tinha marcado. Entramos no atelier e eu acendi so a luz do banheiro. Não queria que os outros homens da light vissem que eu estava la dentro porque eles poderiam pertubar tocando a campanhia.

Depois de mama-lo mais ainda, fiquei de quatro. Ele enviou aquele picão sem dó nem piedade.

Depois de fuder e encher meu cu de porra, pediu a nota. Não me lembro o valor nem nome da moeda na época mas era um tanto dispendiosa. Regatiei mas ele falou que era pouco. Disse que queria meu relógio. Concordei. O relógio não muito caro. Para acalma-lo falei que tinha gostado de sua pica e queria que ele me fudesse mais. Devo comfessar que fiquei excitado com a experiência, principalmente porque ele tinha deixado o meu cu esfolado. Ele falou que não haveria problema e que se eu soltasse uma boa nota, sua rola seria minha. Quando eu desci, o homem que eu havia marcado para fuder estava esperando encostado no carro. Mesmo com o cu em brasa deixei ele me fuder. Nem precisei me lubrificar porque a porra do PM ainda estava dentro. Nada melhor do que porra para lubrificar o cu de um viado.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Querotomarnocu



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente