Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Sauna, suor, sexo e saudade

Meio de semana, calor e depois do almoço sempre dá sono. Quase nada de trabalho na empresa, resolvi entrar num site de papos, já que curitibanos não conversam, só teclam. rsrs.. Ali, percebi um forasteiro, que começou a conversar comigo. Perguntou sobre points da cidade e embora eu não seja do meio, sei alguns.. Ele perguntou se conhecia uma sauna e indiquei uma perto do centro, limpa, tranquila, sem GP. Agradeceu e disse que iria pra lá, pois queria relaxar.. Fiquei curioso com ele, pelo papo, escrita correta e também pela descrição que havia me feito então, peguei meu carro e fui também. Estacionei na frente e fiquei esperando. Um tempo depois, desceu de um taxi, um jovem rapaz e entrou na sauna. Só poderia ser ele. Alto, não magro nem obeso, um sujeito normal, discreto e bem apessoado, tanto quanto eu.

Eram 15h e decidi não voltar para a empresa. Entrei, me despi e fui ver o que tinha lá. A sauna estava praticamente vazia.. um casal de coroa na sauna úmida e o rapaz que atendia por Marcelo. Não foi difícil puxar conversa, e logo perguntei se ele havia gostado da sauna. Disse que sim e então me identifiquei. Foi legal ver aquele corpo suado, na sauna seca, mas a temperatura interno do corpo se elevou ainda mais, quando vi o volume sob a toalha.. Ual. Contou que pelas constantes viagens, pouco ficava com alguém, e que o tesão estava a mil. Aos poucos, arrumei minha toalha no tablado e deitei de bunda pra cima.. minha bundinha redonda e quase sempre lisa, ficou exposta ao olhar curioso de Marcelo, que sem pudor nenhum, sentou ao lado de meu corpo e começou a passar a mão .. Minha mão foi direta naquele pedaço de carne que não medi, mas que era maior que uns 20cms, meio grosso, liso, reto e pentelhos curtos. Era tudo o que eu queria...

O suor corria de ambos e na penumbra as sauna, chupei o mais que pude aquele cacete, ate ele pedir pra parar.

Encostou-se na parede, sentado no degrau do tablado feito cadeirinha, foi o convite pra eu colocar uma camisinha e começar a descer lentamente naquele mastro.. meu rabo suado foi receptivo em tudo o que ele tinha de carne e nervo.. a bunda roçava os pentelhos curtos e provocava ainda mais arrepios... eu lentamente, subia e descia, apoiado em seus ombros e só olhando pra ele.. sem dizer nada.. e nem precisava, pois a cada estocada, eu sentia vontade de gritar, chorar e ao mesmo tempo sorrir e agradecer por estar sendo divinamente possuído. Marcelo me puxava para baixo e eu descia rebolando minha bunda até seu saco.

Achamos melhor para um pouco.. a temperatura interna e de nossos corpos estavam altas demais. Saímos e fomos pra ducha fria que se seguiu numa cerveja gelada.. A sala de vídeo com sofás vazios foi nossa parada.. Um filme nacional nos deixou em estado ainda mais de tesão e o quarto reservado foi nosso ninho de foda. Ao deitar de costa no colchão, ele levantou minhas pernas ao ar e aberta feito um frango assado, meu rabo piscou para aquele pau imenso, mas recebeu uma boa linguada. ele deixou meu cuzinho rosado, piscando e e lubrificado.. e sem dó nenhuma, colocou a cabeça na portinha e me olhou nos olhos.. meu coração queria sair pela boca quando ele deslizou todo aquele cacete de uma só vez.. e mais vezes, varias vezes até não aguentar mais...

Foi a vez dele deitar e de pau pra cima, sentei cavalgando e admirando aquele corpo em todo sua plenitude. Ele queria gozar, pediu pra gozar, mas ainda queria ser chupado.. Para resolver essa questão, tirei a camisinha e comecei um belo boquete, sem pressa, sem neuras , em cada centímetro de seu mastro.. ele avisou que o gozo estava próximo e então, tentei abocanhar o máximo que pude do pau, e ao chegar quase a garganta, senti o leite grosso, quente e de sabor inconfundível descer na goela. Não deixei nenhuma gota fora. Ganhei um beijo na boca saímos do quarto.. Um banho frio e mais uma rodada de papos na sauna seca.. era quase 18h quando a sauna começou a receber mais pessoas e então decidimos ir embora não sem antes trocarmos numero de telefone. Marcelo veio a Curitiba mais umas duas vezes, com belas transa no hotel, mas recentemente, tive noticia que num acidente, o mesmo partiu.. ficou a lembrança.. e o desejo de encontrar alguém, não para substitui-lo, mas sim, pra amenizar o calor de meu corpo que pede por um bom parceiro e sexo gostoso, no respeito de cada um.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/hbi36



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente