Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Fui cortar o cabelo, e o cabeleireiro passou a rola

Tudo começou com a procura de um bom profissional cabeleireiro, como sou chato com o meu cabelo. Resolvi ir num salão muito bem conceituado da cidade, localizado no interior da capital Porto Alegre, na serra.

Mas como não tinha muitos horários disponível, resolvi marcar para o final do dia depois do trabalho para as 19:30. Cheguei no salão, fui recebido pelo cabeleireiro (cabelo castanho claro, olhos azuis, branco, 178 alt, magro). Trancou a porta, pois a secretaria já tinha sido dispensada se encontrava só o cabeleireiro no local.

Logo já fui sendo direcionado para o lavatório. Sendo que neste local foi onde começou as indiretas.. Papo vai papo vem.

Sentei na cadeira e ele começou a cortar meu cabelo foi onde começou ainda mais as indiretas, eu tímido tentei disfarçar e ele foi mais ao fundo.

Pergunta sobre o que eu gostava, mas não deixei quieto respondi: me mostre e depois te falo se gosto ou não hehe. Terminou o corte ele me pediu se conhecia a barbearia que ficava no segundo piso, me indicou e quis me mostrar o local.

Conheci o local, mas não era o que ele gostaria de me mostrar.

Foi aí que ele quis me levar ao escritório não deu outra quando fui passar por ele na porta ele já me puxou, me deu um beijo que fui à loucura. Comecei a apertar o pau dele que naquele momento já estourava dentro da calça, um pau rosado grande grosso deveria ter 22cm se não mais.

Me fez ajoelhar e me fez de puta mamei até não puder mais, achei que nem caberia na minha boca, de tão grande e foi além até a minha garganta.

Ele sentou na cadeira e tirou toda a roupa e começou a me chamar de puta de rabudo.

E ao mesmo tempo queria aquele pau todo dentro de mim o mais que tudo, foi quando ele pediu para eu sentar no colo dele e não deu outra sentei com um pouco de dificuldade e entrou tão gostoso, ele sabe meter.

Sentei, pulei, pulei.

Então foi a vez dele me comer de quatro no chão, socava cada vez mais forte.

Quando ele anuncia que ia gozar mas queria que eu engolisse toda a porá dele, engoli tudo tinha um sabor delicioso foi até a garganta.

Então ficamos parado um tempo e nos vestimos e saímos.

Sai de lá sorrindo e com o rabo ardendo em brasa.

Tive que cortar o cabelo novamente... mas aí conto outra vez.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/anderson93r@icloud.com



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente