Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: O jogador de basquete

Aconteceu há uns 5 anos.

O conheci em um site de relacionamentos especializado em homens mais velhos, peludões. Ele morava em cidade relativamente próxima e depois de muitas mensagens e conversas pelo celular marcamos um encontro. No dia combinado, me dirigi ao shopping onde havíamos combinado nosso encontro. Ele chegou, me ligou e eu expliquei onde estava. Dali há pouco ele chegava, estacionando próximo ao meu carro e eu passei para o dele. Ele é branco, alto, rosto bonito, olhos e cabelos castanhos. Eu branco, gordinho, peludo, estatura mediana, olhos e cabelos castanhos. Nos cumprimentamos e ele saiu, em direção a um motel. Fomos conversando, quebrando o gelo. Ele passava a mão na minha cocha e eu apertava o seu pinto, que já mostrava sinal que estava animado. Chegando ao motel, acertamos uma suíte e para lá nos dirigimos. Na garagem, ele já me agarrou e começou a me beijar na boca, enfiando sua língua fundo na minha, ao que eu correspondia. Entramos no quarto, nos agarrando, ele afoito, me despindo e eu a ele.

Pelados, nos abraçamos sentindo o seu cacete duro na minha barriga, eu com o meu também duro. Ficamos nos apalpando, beijando, ele procurou meu cu com os dedos e ficou acariciando. Eu já em ponto de bala. Ajoelhei-me e ataquei sua vara, grande, grossa, com muitas veias, porém, macia ao contato na minha língua. Chupava como um bezerrinho querendo leite. Ele suspirava e gemia, dizia que estava muito bom, enfiava a pica na minha boca até a garganta e segurava, eu engasgando, os olhos lacrimejando, uma delícia.

Pediu que eu parasse para não gozar e me empurrou em direção a cama. Continuamos nos apalpando, muita linguada de ambas as partes. Ele foi ao meu cuzinho e começou a lamber, uma língua macia, com muita saliva, eu me contorcendo de prazer, gemendo muito. Vestiu a camisinha e posicionou-se entre minha pernas abertas, eu de barriga na cama. Foi procurando o caminho até encontrar, espetando o buraquinho com seu cacetão avantajado. Eu gemia de prazer e medo da dor que sabia ia sentir no começo. Ele forçou e a cabeça passou. Gritei e ele me acalmava, pedindo que relaxasse. Esperou um pouquinho e começou a penetrar. Cada centímetro que passava eu gemia, até que chegou ao talo. Como bom fodedor, esperou um pouco para o anus dilatar e então iniciou a foda, acelerando aos poucos, até ficar em um movimento rápido e continuo. Eu gemia muito. Meteu um bom tempo, meu cu já ardia e ele não gozava. Pedi que gozasse, "goza, meu macho, me dá o seu leitinho". Ele acelerou mais ainda e pela sua respiração senti que estava para acabar. De repente saiu de mim, me forçando a virar o corpo e direcionando a piroca ao meu peito, despejou seu esperma, em grossos e longos jatos, que atingiram também meu rosto. Nesse momento, comecei a tocar uma punheta e também gozei, na minha barriga, misturando nosso leite.

Deitou-se ao meu lado, até nossa respiração se controlar. Apoiou minha cabeça no seu braço, próxima ao peito e ficou acariciando meus cabelos, Enquanto conversava, me contando então das suas vitória na área do basquete. Ele jogou em um time do interior.

Fomos ao chuveiro, um ajudando o outro no banho. Nos trocamos e saímos, ele me levou até meu carro e nos despedimos, prometendo novos encontros.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/madurogordo



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente