Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Do Rio a Salvador

Eram 08:40 da manhã de 26 de agosto de 1989. Estava embarcando na rodoviária do Rio de Janeiro com destino a Salvador, o ônibus estava vazio , poucas poltronas com alguns passageiros, fazia um friozinho e uma chuva fina, lembro que minha poltrona era de numero 26, o final da numeração do ônibus também 26 e a data da viagem também 26, achei muita coincidência, mas tava pensando no longo trajeto que faria até Salvador.

Saímos no horário previsto e a viagem transcorreu tranquila até chegarmos em Campos. Na rodoviária quando o ônibus encostou vi pela janela dois rapazes se despedindo. Abraços, apertos de mãos e me chamou atenção um que logo que deixou a mala no bagageiro do ônibus subiu apressado e sentou duas poltronas atrás de mim. Um moreno sarado, de barba por fazer, de camiseta e calça jeans. Não resisti e fiquei observando desde a sua entrada no ônibus até quando ele sentou duas poltronas atrás de mim e vi que ele percebeu que eu estava olhando mas tentei disfarçar. Nisso passou a tarde e chegando a noite e eu eufórico com a presença do moreno atrás, paramos no posto flecha para um lanche e vi que ele também não tirava os olhos de mim.

Terminei o lanche, fui no banheiro e ao voltar pro ônibus percebi que ele estava sentado uma poltrona atrás da minha. Seguimos viagem e alguns minutos depois ele passou para poltrona paralela a minha. Meu coração começou a disparar, minha respiração ofegante, e quando vi ele já estava me perguntando as horas. Eu ascendi a luz e verifiquei, quase 20:00 hs.

Ao apagar a luz, ele colocou a perna em cima do braço da minha poltrona e me puxou com os pé para a poltrona onde ele estava. Nisso percebi o volume daquele moreno inchado. Ele já tinha aberto a calça e estava de cuecas, passei a mão e pulei em cima de boca fazendo um verdadeiro boquete com tanto tesão que quase gozo, mas ele segurou minha boca e disse para ir com calma, pois tínhamos todo o tempo a nosso favor.

No fundo do ônibus vazio, escurinho, desci minha calça, tirei minha cueca e sentei naquele mastro latejando que estava molhadinho e ardendo de desejo e quando estávamos no melhor do vai e vem chegamos a um lugar que não lembro e as luzes acenderam.

Só deu tempo de suspender as calças e ficamos nos olhando e rindo, até que entrou um senhor e sentou três poltronas a frente e seguimos viagem. Ficamos ali no fundo sozinhos, abraçadinhos, nos acariciando e aproveitando quele momento mágico.

Chegando em Santo Antonio já na Bahia o ônibus lotou e tive que voltar para minha poltrona. Na rodoviária nos despedimos e ficamos de nos encontrar, só que o destino não quis!

Ainda tenho nas lembranças o desejo e saudades daquele moreno de Campos. Que viagem inesquecível. Será que ele ainda lembra do baiano magro, branquinho e louco de desejos?

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/beto149



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente