Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Dando em Paraty

Olá. Fazia tempo que não relatava o que faço mas vamos lá.

Para quem não me conhece vou me descrever: Tenho 45 anos, sou branquinha, cdzinha,1.69 de altura, seios pequenos, 103cm de bumbum e coxas grossas. Nasci em Minas Gerais quase Bahia mas vivo em São Paulo desde sempre. Sou cabeleireira e adoro sexo. Minha marca registrada é o uso de meinhas soquetes (uso com tudo diariamente, sapatilha, tamanco, sandália e claro tênis).

Tirei uns dias para descansar e fui para cidade litorânea de Paraty. Hospedei-me numa pousada onde pude ser eu mesma porque de boa e sem restrições aceitam GLBTs.

Num dia a tarde, estava assim vestida: tênis tipo alll star vermelho bem surradinho e confortável, meinha soquete rosa, fio dental rosinha, bermudinha tipo academia branca e camiseta branca/rosa e amarela e bonezinho vermelho. Como tenho um bumbum digamos avantajado e redondinho chamava atenção mas vamos lá. Estava passeando e tirando fotos quando percebi um homem, alto aparentando mais de 50 anos, negro tipo indo onde eu ia e percebi também que ele tirou fotos de mim. Quando entrei na Rua do Fogo que é curtinha, mas cheia de arvores e flores e se achegou a mim, Se apresentou como Tsaya e disse que era Togo - África e ficou doido para me conhecer melhor ,fomos para um restaurante e lá ele falou que gostaria de me oferecer um jantar a noite no trailer dele que estava na praia do Jabaquara. Como ele sentou bem do meu lado antes de comermos ele pôs a mão na minha coxa indo em direção ao meu bumbum e disse que adoraria me fazer "mulher". Combinamos as 9 da noite ele me pegaria na pousada que fica a uns 3 km de onde ele estava.

Ao sair do restaurante ele me deu beijo no rosto e um tapinha na bunda, me fazendo rir.

Voltei para a pousada mais animada e sempre percebendo olhares para mim.

Descansei um pouco e por volta das 7 da noite acordei, tomei um gostoso e relaxante banho, fiz enema para ficar limpinha e assim me vesti: Melissinha vermelhinha, meinha soquete branquinha, fio dental vermelhinho, um mini vestido que tenho que é um escândalo preto transparente. Me perfumei e aguardei a chegada dele.

Umas 8h30 da noite ele chegou, ao sair o recepcionista que já me olhava sempre pirou dei um tchauzinho e fui pro carro. Nem entrei e ele após elogiar minhas pernas abriu as e com sua mão forte e grande encostou no meu anus , que já estava quente.

Uns 10 minutos depois chegamos no seu trailer que estava num local escuro e bem distante de tudo. Desci , ele abriu a porta e entramos, sem antes levar outro tapa na minha bunda.

Ele disse para aguardar pois iria se trocar. Gente não é que aquele deus negro veio nu e fiquei ate com medo do tamanho do pau dele, mas já que estava ali fui em frente.

Me agachei e comecei passar minha língua quentinha dede suas canelas ate abocanhar aquele cacete que brilhava e é cheio de veias. Ele me levantou e fomos para uma cama. Lá pediu para só tirar o mini vestido. Tirei e disse que pirava com uma linguinha no cuzinho e ele disse: não precisava pedir que ele adorava chupar um cu. Fiquei com bumbum pra cima e ele quase me estuprou com sua língua me fazendo gritar.

Ai ele pediu pra continuar com bumbum pra cima. Uma mistura de tesão e medo tomou conta de mim.

Ele ai passou um creme no seu cacete e começou a me penetrar me fazendo sentir aberta a cada centímetro daquele membro. Após estar com ele praticamente todo dentro foi me fazendo deitar ate quando senti seu enorme corpo quente sobre minhas costas e aquele pau me deixando totalmente aberta. Ele foi no vai vem gostoso ate que senti ficar inundada pela sua porra fervendo.

Ele tirou de dentro e senti escorrer bem gostoso.

Ele levantou e disse que iria arrumar algo para jantar.

Eu ai me recompus e fui para saleta onde ele havia feito um lanche delicioso para nós, bebemos e ai ele contou um pouco da vida dele e eu da minha.

Após isso e depois de uma garrafa e meia de vinho ele me comeu de novo agora de pé no seu colo.

Estava totalmente aberta e por volta de 2 da manhã ele me levou para pousada.

Dei um beijo nele e após ele sair entrei na pousada, o recepcionista, doido como ele so me chamou e ao chegar no balcão ele estava com seu pau de fora pedindo para me comer. Não resistindo fomos para um quartinho cheio de tranqueira e lá ele colocou camisinha e me comeu, tampando minha boca para eu não gritar. Ele gozou e fui para meu quarto, alegre como nunca, arrombada e feliz.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Não



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente