Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Sacanagem no Acampamento

Fui num acampamento, estava com mais dois amigos héteros, e eu que nunca dei sinal que gostava de pau pra eles, só amizade mesmo, haviam outras barracas e a noite foi cada um pra um lado, ver se arrumava algo, depois de um tempo, encontro um deles e ele diz: - Hoje não vai dar em nada, só tem macho por aí, lá em baixo no rio tinha um alisando o pau e até queria me pagar pra uma chupada, dei no pé, acho que vou dormir, final de semana melhora. - Vou caminhar um pouco, assim me canso e durmo mais rápido. Lá fui eu conferir, vi de longe um sujeito sentado, e como o tesão tava grande, pensei em ir direto, mas achei melhor deixar ele atacar, podia assustar o macho. Fiz que não vi ele e parei mais a frente na vista dele, esperei um pouco e nada dele se mover, então resolvi fazer que estava mijando e abaixei até os joelhos mostrando a bunda pra ele, demorei um pouco e nada. Então resolvi abaixar na frente e alisar com a mão oferecendo mesmo, até levei um dedo no cuzinho e nada.

Já estava decepcionado e resolvi me vestir e sair, quando estava saindo do mato ele vem chegando, imaginei que iria querer algo e me fiz de bobo, ele me olhou e diz: - Procurando algo?
- Pois é mas hoje tá tudo parado.
- Parece que só tem pau andando por aí, cuidado vai acabar levando um! Eu olhei pra ele e dei um leve sorriso e disse:
- Acho que nem isso. Ele me olhou meio surpreso parecia lento mesmo a entender e disse:
- Bom amanhã melhora. Eu não tirava o olho no volume que mostrava um pau meio duro e ele disse:
- Tá curioso mesmo, não tira o olho do meu pau?!
- É que parece estar precisando de uma ajuda aí? Ele olhou mais safado e finalmente entendeu e disse:
- Cuidado aí com o que pede, pode acabar ganhando mais do que aguenta.
- Nada já vi maiores. Ele então levou a mão na minha bunda e disse:
- Já tomou nesse cuzinho? Tá querendo experimentar o meu, né safado?
- Bom acho que hoje não vai dar em nada mesmo. Eu fui saindo, ele ficou sem entender, andei uns passos e ele assoviou e fez sinal pra voltar, me levou pro mato e disse:
- Olha lá, nada de sair falando que te peguei, sou casado, precisa ser segredo, será que posso confiar?
- Claro. Chegamos num local mais fechado e ele abaixou de cara as calças até o joelho e mandou:
- Chupa aí, mas devagar.

Fui lambendo e acariciando, e ele gemendo cada vez mais alto, tinha um peito peludo umas pernas grossas e um cacete médio mas muito sacudo. Resolvi sugar com mais força e ele puxou meus cabelos afastando e diz:
_ Safado! Vai arrancar meu pau assim! Devagar senão vou socar no seu cu. Entendi a deixa e quase mordi o pau dele, ele me afasta pelos cabelos de novo e disse:
- Vira aí, tá querendo no cu, então vai levar, depois não reclama se doer. Fiquei de bunda levantada e segurando numa pedra e ele veio com tudo e meteu na força, socando fundo, eu tremi e chorei e reclamei:
- Devagaaar! Ele riu e disse:
- Agora não reclama, podia ter só chupado, mas provocou, vou estourar esse cu. Ele ficou metendo tudo e tirando e socando de qualquer jeito sem procurar muito o buraco, acabei sofrendo no pau uns 5 minutos até me segurar forte pela cintura e socar fundo e gozar, logo tirou puxou suas calças e saiu batido, nem tive tempo de dizer nada. Fiquei ali me limpando, aquela foda rápida não era o que queria, mas melhor que nada.

Voltei pra cabana e um dos meus amigos diz:
- Parece que um de nós se deu bem, tá um cheiro de pôrra! Eu percebi que tinha vazado mais um pouco e o cu tava melado, então inventei:
- Nada! Só punheta mesmo, tava difícil segurar. O safado brincou:
- Podia me dar uma ajuda também, toca uma? Eu aceitei a brincadeira e disse:
- Claro, mostra aí esse pintinho. Ele só de cueca endureceu um pouco e diz:
- Pensando bem melhor uma mamada?
- E essa coisinha aí vai ficar dura?
- Vai provocando, vai, vai acordar com a boca cheia de leite! Eu tava gostando de ver meu amigo assim todo macho e resolvi ir mais a frente:
- Agora que disse isso, soube que no acampamento do mês passado aconteceu isso. Ele ficou ainda mais curioso e o pau já mostrava volume na cueca e perguntou:
- Me conta isso! Não sabia dessa.
- Vou te falar mas é segredo, quem me contou foi o sujeito que fudeu a boca do outro, mas se souber que falei por aí, vai ficar ruim pra mim.
- Sem problemas, morre aqui.

Bom parece que se a pessoa alisar atrás da orelha um cara dormindo ele fica relaxado e acaba abrindo a boca, aí é só meter enquanto alisa envolta da orelha, o sujeito vai achar que é uma mamadeira do tempo de bebê e chupa gostoso, só não pode forçar muito, tem que deixar ele engolir o que quer, diz que foi assim, aí quando gozou ele limpou com um pano molhado envolta e foi dormir. No outro dia o mamador acordou com uma sede e disse que tinha um gosto amargo na boca, mas não lembrou de nada. O safado fudeu a boca dele mais duas noites assim. Meu amigo estranhou e diz:
- Isso é mentira, a pessoa iria notar!
- Bom aí já não sei, mas falei com o sujeito que mamou e ele confirmou que acordava sempre com sede e um gosto azedo na boca, achou que estavam fazendo sacanagem de noite com ele por que ele roncava ou coisa assim.
- Sério! Mas e se tiver bêbado então deve ser mais fácil ainda? Acabou chegando o terceiro amigo e foi cada um dormir.

No outro dia o Breno só alisava o pau e me disse umas vezes, que não esquecia o que tinha contado pra ele, eu disse:
- Relaxa um dia desses você descobre se é verdade?
- Mas será que vou ter coragem?
- Pelo tesão que está guardando aí parece que tá precisando? Ele riu e disse:
- Mas se você acordasse com a boca cheia de leite o que iria fazer?
- Iria ficar meio puto, mas depois iria ter de me acalmar, afinal como iria saber de quem era, só aqui no acampamento devem ter uns 30 homens, qualquer um pode ser e não iria sair pedindo. Ele riu de novo e disse, é verdade e depois não tem nada demais nisso.
- O pior é gostar e querer chupar de novo, aí teria de dar leite todo dia?
- Pra mim não seria problema, o saco tá sempre cheio, posso tocar umas duas por dia e ainda tem leite.
- Mas é uma vaquinha leiteira mesmo! Ele riu e foi dar uma volta. Apareceu o sujeito da foda de noite e sentou no lado e disse:
- Ué sozinho de novo?
- Pois é foi cada um pra um lado e aí como passou a noite?
- Aliviado, dormi muito bem, a esposa até estranhou não costumo dormir muito e acordei tarde. Queria mais hoje a noite, mas vem meu sobrinho e uns amigos aí vão ficar a noite toda me vigiando.
- Então é comedor, vive pulando a cerca?
- Nada, só poucas vezes, nunca tinha comido um cu, já tinha pagado para fazer uns boquetes, mas só isso. Acabou chegando mais gente e paramos o papo.

Percebi que o Breno estava explodindo de tesão e com tanta gente em volta não tinha onde se aliviar, ele veio com um barco até onde estava e disse:
- Entra aí, o pessoal tá todo do outro lado!
- Melhor não, não dormi bem ontem e estou todo mole, acho que vou tirar um cochilo senão a noite vou estar quebrado. Fui pra barraca e pensei, será que o safado do Breno vem aqui de dia tentar algo? Acho que não ele não tem coragem pra isso. Deitei mais no fundo da barraca, cochilei um pouco e acabei escutando passos, era o Breno, fingi que dormia profundo. Pude ver que ele ficou peladão, ele era bem tesudo, logo imaginei que ele viria pra cima, ele ficou acariciando as orelhas e eu entrei no jogo, abri a boca e lambi um pouco os lábios, logo encostou a cabeça e fui sugando, quando engoli a cabeça o safado enterrou mais um pouco e mamei com vontade ele gemia baixinho, ficamos assim uns 10 minutos até ele gozar, saiu muito leite e me lambuzei todo, ele logo limpou e saiu. Dormi um pouco e fui pro rio, ele estava lá todo animado, outro amigo chegou e disse:
- O Breno se deu bem, está numa alegria só! Mas não quer dizer nada pra gente, vê se convence ele a falar? Fui até eles, falei umas besteiras e nada dele dizer, quando ficamos a sós perguntei direto:
- Safado! Então foi você que fudeu minha boca? Ele riu e disse:
- Ninguém mandou ensinar! Agora não reclama!

Eu fiquei na minha mas com vontade de mais, mas estragaria a amizade ele era bem machão e preconceituoso. Ficamos só nas olhadas mesmo, queria mais, mas ele não chegava nem perto, a noite fui no ouvido dele e disse:
_ Quero mais será que ainda tem? Ele riu e diz:
_ Tá louco! Foi só uma vez e deu. Acabou não rolando mais muita coisa.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente