Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Apartamento Colado

Moro em apartamento, em um condomínio de vários blocos e minha sacada permite ver quase de frente o interior de outros 3 apartamentos, a privacidade só existe de cortina fechada. No apartamento em frente e um andar abaixo tenho uma vista tão ampla, que sentado no sofá vejo toda sala do mesmo, mora lá um casal, e fazia dias não via, uma mulher muito vistosa morena e simpática estava sempre cumprimentando todos, coisa rara em cidade grande. O marido dela era um gostoso, pernas grossas, barriga sarada, cara de safado e sempre com um volume que não fazia questão de esconder.

Certo dia estou eu entrando no condomínio, peguei a correspondência e o porteiro disse: - Podia levar a correspondência pra mim no bloco 2, Apto 304, chegou umas cartas urgentes, põe por baixo da porta, não posso largar a portaria pois agora é horário de movimento nas garagens e pode ser urgente e dona Márcia é tão gente boa.

- Verdade ela trata todo mundo muito bem, eu disse.

- Coitada esta com um problemão cuidando de uma irmã doente quase um mês e seu Bernardo quase nunca passa por aqui, sempre chega e sai de carro.

- Passa pra cá que levo, afinal não custa nada fazer um favor às vezes.



O porteiro abriu a porta do térreo pelo interfone e subi até o apartamento, deviam ter umas 10 cartas, fui colocando por baixo da porta e até que alguém mexeu na chave e parei, logo o vizinho abriu a porta só de cueca e disse: - E aí vizinho, trouxe minha correspondência? Muito obrigado mesmo, sou meio desorganizado, quem cuida disso é minha mulher e ela esta viajando, entra aí. Entreguei o resto das cartas na mão dele e entrei uns metros, ele fechou a porta a chave, baixou e pegou as outras cartas, passou por mim de lado no corredor, como eu tava parado no meio do nada, ele deu uma encostada em mim, eu tava todo acesso em ver aquela cena, ele percebeu meu interesse e disse: - Ia tomar um banho. - Claro! Já to indo! - Imagina! Espera um pouco aí, preciso falar com alguém, sabe como é muitos dias sozinho estou ficando maluco, já estou conversando com a geladeira.

Dei mais uma olhada para aquele macho e meu tesão subiu muito, era moreno tinha uma marca de sunga na barriga que a cueca deixava, de um lado mostrar, um belo pinto pendurado de uns 12 cm e umas bolas bem embaixo, no final do pau, um peito com alguns pelos envolta dos mamilos e uma perna trabalhada, e mais alguns pelos, só que mais ralos, além de braços e barriga tudo muito bem definidos.

Mal conseguia olhar pra tudo aquilo, era um macho que chamava muita atenção, pra ajudar ele ainda dá um aperto no volume sobre uma cueca preta lisa e brilhante e diz: - Desculpe os trajes, mas como estou na seca há quase um mês chego em casa e fico mais a vontade. - Nada! A casa é sua. Foi pro banho e voltou com um aroma muito bom, perguntei: - Que perfume é esse, parece muito bom? Ele veio de toalha até onde eu estava sentado, no braço do sofá, pra conversar e colou na minha frente e disse: - Sabe que eu nem sei o nome? - Coisas da minha mulher, ela disse que quando uso consigo tudo o que quero e deu uma risadinha safada.

Tava totalmente sem jeito com o sujeito só de toalha em minha frente, ele percebeu meu interesse e ficava me provocando, deu um jeito de derrubar a toalha, e fiquei de frente com o pintão que tava meio duro, ele demorou um pouco e pegou a toalha se explicando: - Desculpe de novo! Sou muito atrapalhado, veja o perfume no banheiro vou colocar uma cueca, senão daqui a pouco as janelas vão ficar cheias de vizinhos curiosos.

- Também! Fica exibindo esse corpão!

- Sabe como é, o que é bonito é pra mostrar.

- Mas sua mulher não fica grilada?

- Quando ela esta em casa logo ponho uma bermuda, sem cueca e deixo ele um pouco solto, afinal já passa o dia todo preso.



Enquanto o vizinho foi até o quarto eu fui ao banheiro ver o perfume, encontrei aquela cueca e tive de sentir o cheiro do pau, quase não tinha cheiro um leve aroma. Ele passou no corredor e não percebi se tinha visto ou não eu com sua cueca. Quando voltei ele estava na sala com um calção de futebol branco quase transparente e curto, onde pelas laterais dava pra ver seus pentelhos e saco. - Senta aí! Sentei numa poltrona individual e ele disse, senta aqui do meu lado, essa poltrona aí é bonita mas muito desconfortável. Então gostou do que viu? - Hãã! - Do perfume? - Claro é bem interessante, não conhecia, deve ser caro?! - O melhor é quando passo no peito fica um cheiro bom, mas logo sai, vou passar pra você ver, levantou e balançava tudo no meio do calção tava subindo pelas paredes de tesão. Logo sentou do meu lado e disse: - Chega mais e sente aqui no meu peito. Aquela sedução toda tava me matando, a sorte que tava com camiseta grande e tampava o volume que tava fazendo. Ele pegou na minha cabeça e levou até seu peito me causando o maior constrangimento.

- Relaxa cara! Aqui só tem macho, ninguém tá vendo nada, na puxada acabei deslizando a mão que esbarrou no volume e ele diz: - Xiii! Se passar a mão aí vai ter que resolver o problema depois. Me afastei um pouco e ele coçava e falava muito de tudo, futebol, trabalho, etc. Certa hora levantou a perna me deixando aquela visão do saco saindo do calção, peludo e escorrido.

Vi que ele achava tudo muito natural e nada demais, então disse:

- Acho que preciso ir, esta na minha hora.

- Pena tava gostando muito do nosso papo. Desculpe qualquer coisa!

- Nada! Sempre é bom conhecer a vizinhança.

- Podia vir mais aqui, eu e minha esposa somos do interior e por aqui ainda não temos muitos amigos. - Pode deixar sempre que der apareço, mas aviso no interfone antes. - Não precisa! Isso é bobagem, de surpresa é melhor. Achei o cara muito simpático e totalmente hétero logo não tinha chance, mesmo assim resolvi arriscar e baixei na frente dele pra amarrar melhor meus tênis, fiz questão de amarrar os dois, ele logo mexeu no volume, olhei pra trás e ele tava apertando, acho que pra não ficar duro. Resolvi provocar um pouco: - O que foi ficou calado do nada?

- É que essa visão tá me judiando.

- Que visão? - Esse seu rabinho levantado.

- Então gosta de um cu?

-Quem não gosta, ainda mais sendo de homem que leva ferro e aguenta toda foda.

- Opa! Não sabia que era comedor. Então levantei e o volume tava armando o calção. Ele riu um pouco e disse:

- Assim você me mata, vou me acabar na punheta. Como ele não tomava a iniciativa resolvi ir embora, afinal estava muito perto de casa pra ficar conhecido como viado e também gosto de sigilo.

Chegando em casa estava sozinho os colegas tinham saído para ver um filme, então fiquei pensando será que não rola? Será? Acho que não, o sujeito é muito machão, etc. Fui até a sacada e fiquei olhando pra ver se via o vizinho, logo ele percebeu, fez um sinal de positivo e sentou no sofá vendo televisão, mesmo de longe era uma visão de encher os olhos, ele mexia no volume, até tirou o cacete pela lateral e deu umas alisadas, o safado estava me provocando. Eu hipnotizado pela sedução dele nem percebi que levantou e veio até a sacada e disse:

- OÔO! Vizinho trás logo as cervejas o jogo esta quase começando! Abriu um sorriso e apertou o mastro. Pensei em fazer que não ouvi e ele completou:

- Vai ficar aí no zero a zero, se demorar vai perder o primeiro tempo. Resolvi encarar e voltar ao vizinho, logo toquei a campainha ele atendeu e perguntei:

- É aqui que tem jogo? - Entra logo! Entrei e ele diz: - Já vou avisando esse jogo vai ser de goleada, 1 x 0 no seu, 2 x 0 e assim por diante, pois eu sou artilheiro e não goleiro, só sei meter no gol. Combinado? Então vou ter que ficar no gol levando boladas?

- É isso ou não tem jogo. Topa?

- Tranqüilo, mas vê se não judia muito do goleiro.

- Que isso? Quer jogar e esta com medinho de levar boladas?

- É que não levo há muito tempo. Ele me abraçou e disse no ouvido:

- Fique tranqüilo! Vai ser a primeira vez que entro num rabinho de homem, e o atraso esta grande, mas vou tentar não te arrombar todo, mas sabe que futebol é coisa de homem, então tem que sofrer, suar e aguentar o tranco.

Ele fechou as cortinas e mandou que tirasse seu calção que tava armado, logo vi uma pica de uns 15cm com um cabeção enorme, acho que a maior que já vi. Tentei descer e chupar, mas não entrava na boca, então deslizei pelas laterais, ele logo me puxou pra cima e disse:

- Preciso meter no gol, to explodindo de tesão, fica de quatro aí no braço do sofá. Comecei a tirar a roupa e ele ajudando a tirar de qualquer jeito, logo tava pelado e ele diz:

- Cuzinho peludo hein!

- Ehh! Cu de homem.

- Hoje vou conhecer você por dentro, peludinho ainda melhor lembra mais uma xãna. Pedi pra ele encapar e ele disse deixa primeiro eu sentir suas pregas rasgando depois encapo, não pude resistir, ele passou um gel na minha bunda e foi tentando meter, aquele cabeção entrava um pouquinho e logo escorregava fora, ele me puxava tanto que meu quadril estava ficando doído.

- ETA! Cuzinho difícil de entrar! O Jogo esta difícil, o goleiro é bom demais, não deixa entrar nada. Então lembrei que não tinha feito a higiene antes de ir até o apartamento dele, naquela conquista nem lembrei.

Pedi: _ Cara deixa eu ir no seu banheiro? - Mas agora? No meio do jogo?

- Vou tentar lubrificar um pouco pra entrar. - Tá bom! Mas não vai abrir muito, quero sentir esse cuzinho rasgando no meu pau.

- Com um cabeção destes, nunca iria conseguir chegar nem perto disso. Ele deu um tapinha na bunda e disse: - Não demora o intervalo é só pra uma substituição rápida. - Posso usar o chuveiro? - Claro! Fui lá e em menos de 2 minutos ele entrou e disse:

- Tá com medinho de novo, né! Por isso a demora. - Não, é que preciso limpar direito, esqueci de esvaziar antes de vir aqui, senão vai ser merda pra todo lado quando isso entrar.

_ Putz! Não sabia dessa. Mas o goleiro tem mesmo uma preparação diferente, artilheiro só entra em campo e mete pro gol o goleiro que se foda. Continua...

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente