Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Do Estacionamento Para o Motel em Minutos

Estava eu chegando ao Shopping, em Contagem, MG, pois precisava comprar algumas coisas no Leroy e no Walmart, quando ouço alguém chamar meu nome, olho e logo vejo um antigo conhecido, cliente da loja onde eu trabalhei já havia algum tempo.

Apertamos a mão um do outro e percebi seu olhar direto nos meus olhos, o que me deixou meio constrangido pois sou bem tímido, falamos sobre amenidades, como estávamos, o que fazíamos, o que estava fazendo ali, sobre a coincidência do encontro e tal.

A certa altura da conversa ele me olhou direto nos olhos e não disse nada, mas percebi seu olhar descendo pelo meu corpo de urso, depois subiu e se ateve na abertura de minha camisa que mostrava meus pelos fartos, já ficando meio grisalhos.

Fiquei sem saber o que dizer, mas não precisei pois ele disse. Disse que estava excitado vendo meus pelos e que adoraria ter um lance, ele disse assim, ter um lance comigo. Não sabia o que dizer, devido a timidez e o teor da fala dele. Mas como ele era bem atraente e da forma como falou, fui ficando excitado na hora, ele falando, eu nem sabia mais o quê, mas ouvi as palavras "motel aqui perto".

Disse que tinha que comprar umas coisas e ele não se fez de rogado; falou que poderíamos ir ao motel e depois me traria de volta e eu faria as compras que precisava. Estávamos ao lado de seu carro e ele já deu a volta e entrou, sem saber o que fazer, entrei também e ele já foi dando a partida.

Saímos do estacionamento direto para um motel ali na Via expressa, onde parecia já saber todo o funcionamento; provavelmente já tinha ido ali outras vezes. Ele pagou à recepcionista que indicou a suíte e entregou a ele a chave.

Entramos no quarto, eu meio sem jeito, ele foi passando a mão pelo meu peito, enfiando por baixo da camisa, sentindo meus pelos. Desabotoou todos os botões deixando meu peito exposto, então me abraçou, e levou sua mão sobre meu pau, que já estava duro a esta altura, sentiu o volume apalpando e apertando, então foi descendo, ficando de joelhos, abriu o zíper de minha calça, a puxou para baixo junto com minha cueca, enfiou o nariz entre meus pelos, sentiu o meu cheiro de homem, passou a língua na cabeça do meu pau e logo o colocou na boca, o que me deu uma sensação maravilhosa, pois gosto demais de ter uma boca de macho sugando meu pau. Ele mamou, chupou, esfregou o pau em sua cara, voltou a mamar, me fazendo estremecer de prazer enquanto enfiava meu pau inteiro em sua boca, o que não é difícil (kkkkk), depois ia soltando devagar, apertando os lábios em torno da cabeça dura, babando, quase explodindo em gozo.

Percebendo que eu não aguentaria segurar por muito mais tempo, ele disse que eu poderia gozar em sua boca. Eu falei: me faça gozar, encher sua boca de porra! Ele acelerou os movimentos com sua boca, meu pau cada vez mais duro, segurei sua cabeça e meti em sua boca como meteria em seu cuzinho, até que explodi num gozo maravilhoso, meu corpo inteiro tremeu, minhas pernas ficaram bambas; eu apertava sua boca contra meu pau até que saiu a última gota, que ele limpou, porém não engoliu; quando relaxei as mãos em sua cabeça ele se levantou e foi ao banheiro, onde cuspiu na pia a porra quente que enchia sua boca.

Ao retornar do banheiro eu estava deitado na cama, ainda com as calças abaixadas; ele tirou meus sapatos, puxou as calças me deixando nu e mais uma vez abocanhou meu pau. Eu disse que levaria um tempinho para endurecer novamente, ele disse que o faria ficar duro, pronto para o trabalho outra vez. Foi chupando, chupando, até que ele endureceu novamente dentro de sua boca.

Ele se levantou, tirou sua roupa ficando nu, e disse que queria que eu metesse em seu cuzinho, Me levantei, peguei uma camisinha na carteira, empurrei ele para a beirada da cama, ficando com a bunda para cima, expondo aquele anel maravilhoso, coloquei a camisinha em meu pau e sem mesmo usar lubrificante ou qualquer outra coisa, encostei em seu rabinho e forcei, foi entrando devagar, ele gemendo, rebolando para que entrasse, comecei a bombar, sentindo seu calor, ele pedindo para meter, eu metendo, ele pedindo mais, gemendo como uma puta de filme pornô, o que me incomoda um pouco, mas vá lá, estava sentindo e dando prazer.

Retirei o pau de seu cu, forcei para que virasse e ficasse com as pernas pra cima, na tradicional posição de frango assado, enfiei novamente meu modesto pau em seu cu, agora mais relaxado e bombei, meti, ele gemendo, pedindo mais, quase chorando de prazer, não aguentando de tesão, o pau duro entrando e quase saindo, acelerei os movimentos e mais uma vez explodi. Jorrei porra. Ele relaxou as pernas, eu soltei meu corpo sobre ele e fiquei ali, parado dentro dele por um tempo, tremendo de prazer.

Sai de cima dele, que foi ao banheiro tomar banho, dizendo que não poderia demorar mais, pois sua mulher o esperava para fazerem alguma coisa, que não lembro o que era.

Também tomei um banho rápido e saímos do motel. Ele me deixou no estacionamento do shopping dizendo que tinha gostado muito e que queria repetir. Na verdade repetimos algumas vezes até que um dia não deu mais notícias, até hoje.

Estou aberto para contatos de homens casados ou compromissados com mulher e que não queiram se expor, como está tão na moda hoje em dia. Seu segredo, meu segredo e vice versa. Podem fazer contato através do perfil no site.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Ativoliberalbetim



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente