Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Fui comer e acabei viciado em dar

Sou prestador de serviços e encaminhado para atender empresas. Sou casado, com filhos e bastante peludo. Em janeiro, fui prestar serviço em Campinas por 3 semanas. Embora receba ajuda de custos para ir de carro, optei por usar ônibus. Iniciei trabalho numa segunda feira, e o rapaz que me acompanhava informou que na sexta feira ele encerrava as atividades as 15h.

Pois bem, na sexta feira, conforme avisado, encerramos atividades e usei o transporte da própria empresa até o trevo da Bosch para pegar ônibus para SP. Junto comigo também desceu um rapaz negro, usando calça de moletom vermelha. Enquanto aguardávamos o ônibus, trocamos assuntos banais. Ele disse trabalhar na expedição e morar na Vila Carrão em SP. Quando o ônibus chegou, entramos e, como não tinha 2 assentos juntos, sentamos separados. Relaxei e a imagem do volume que aparecia no moletom dele me veio nos pensamentos. Já curti com alguns carinhas mas sempre ativo, mas confesso que, sinto maior tesão em ver um pau grandão.

Dei uma cochilada, com pau babado, e fui despertado pela pessoa do lado, pedindo licença para descer. Quando a pessoa saiu, sentei perto da janela. Em seguida, o rapaz do moletom vermelho sentou ao meu lado. Voltamos a conversar e ele, ao falar, tocava no meu braço, pernas e afim. Reparei que ele estava ficando com pau duro, o que me deixou no maior tesão. Fiquei sabendo que a mulher dele era enfermeira, e que trabalhava até as 22h. A medida que a conversa rolava, ele foi encostando a perna na minha e balançava. Quando percebeu que eu estava de pau duro, perguntou se eu "curtia" homem. Respondi que sim, mas que era muito complicado. Assim como ele, eu também sou casado e com filhos, o que atrapalha encontros. Ele deu risada e disse que sabia de tudo isso pois também viveu tudo isso mas que agora os filhos já estavam fora de casa.  Respondi que ele não aparentava ter filhos criados. Ele respondeu que tinha 48 anos e que teve o primeiro filho aos 17 anos.

Continuamos a conversar e ele me convidou para ir até o AP dele. Da rodoviária seria fácil pegar metro e teríamos bastante tempo para conversarmos, antes da mulher dele voltar para casa. Na hora fiquei em dúvida, mas o tesão falou mais alto e concordei. Chegamos no ap dele e, mal trancou a porta, foi me dizendo que desde que meu viu no trevo da Bosch tinha ficado no maior tesão, pensando como seria gostoso ter esse coroa brancão e peludo na cama dele. Respondi que também tinha reparado nele, principalmente por estar usando moletom vermelho e com um baita de volume a mostra. Ele deu risada, e disse que sabia que isso chamava a atenção das pessoas, mas que ele precisava muito chupar um cara peludão. Que tem muito tesão em se esfregar num cara branco coroa e peludo.

Já foi me abraçando e me alisando. Disse que me queria peladinho ,e suado na cama dele, que iria me lamber todinho. Fomos para o quarto dele, ele ficou só de moletom e pediu para deixar que ele iria me despir inteiro. Tirou meu sapato, depois a meia e começou a chupar meu pé. Nunca tinham feito isso em mim e achei delicioso. Depois de chupar os 2 pés, tirou minha camisa e beijava meu peito, chupava meus mamilos.  Eu já estava todo melado, ele percebeu e disse que já iria cuidar disso. Tirou minha calça, minha cueca e lambeu toda baba que estava na cueca. Disse que sentiria o maior prazer em me deixar só de cueca e morder meu pau, chupar meu saco, mas que sabia ser complicado pois eu ficaria com cueca toda babada e minha mulher iria perceber, mas que iria pensar numa solução.

Voltou a chupar meus pés, pernas, coxas, virilha, saco e pau. Uma delicia, o cara não parava de chupar. Chupou minha barriga, sovaco e perguntou se eu deixava ele cuspir em mim e chupar. Nunca tinham feito isso comigo mas concordei. Ele cuspia no meu pau, no saco, barriga e sempre chupava tudo. O tesão tomou conta e eu comecei a gemer. Ele pedia para eu não parar, para me liberar e gemer gostoso, pois iria me dar um trato que eu jamais esqueceria.

Continuou cuspindo no meu saco e lambendo tudo, levantou minhas pernas e mandou relaxar, começou a cuspir e lamber meu cuzinho. Nunca tinham feito isso em mim e fui a loucura. Ele pedia para eu abrir o cuzinho que iria enfiar a língua, que tesão. Estava com pau todo melado, ele lambia a baba e colocava no cuzinho, e voltava a chupar. Ele levantou e reparei que o moletom dele estava todo molhado de porra. Tirou o moletom e fiquei pasmo com o tamanho do pau dele.  Ele pegou algo numa gaveta. Não percebi o que era. Voltou, começou a chupar novamente e disse que eu teria momentos inesquecíveis. Disse que queria morder meu pau mas que iria colocar "roupa" em mim.

Pegou o que trouxe da gaveta e começou a me colocar. Mandou que eu ficasse deitado e relaxado e, quando percebi, estava me colocado uma calcinha da mulher dele Eu disse que não curtia esse lance. Quase implorando, ele pediu para eu deixar pois ele estava no maior tesão em morder meu pau por cima da calcinha e também chupar meu saco. Acabei deixando. Ele ajeitou a calcinha em mim e começou a brincar. No começo estava meio sem jeito mas fui relaxando. Ele mordia e beijava meu pau, pelo lado da calcinha enfiava a língua e chupava meu saco. O tesão foi tomando conta e quando percebi, ele ja tinha voltado e chupar meu cu, puxando a calcinha para o lado. Não parava de elogiar minha bunda peluda e disse que sempre sonhou em ter um macho peludão assim.

Continuou a chupar meu cu ,e pediu para eu virar para ele lamber minha bunda. Cuspia e lambia muito minha bunda e meu tesão estava nas alturas. Foi lambendo minhas costas e subindo ate o pescoço. Nunca tinha sentido tanto tesão assim e foi quando reparei que o pau dele estava grudado na minha bunda. Tentei disfarçar e mudar de posição mas ele pediu para eu deixar. Que não faria nada que eu não concordasse. Ele me abraçava, chupava meu pescoço e colocava aquele pauzão durasso no meio das minha coxas. Foi tirando a calcinha de mim e não parava de me encoxar. Nessa altura estava com tanto tesão que estava adorando.  Ele posicionou a cabeça do pauzão na porta do meu cú e disse para eu relaxar, que ele só iria colocar um pouco de baba para voltar a me chupar.

Senti aquele pauzão quente bem na entrada. Fiquei receoso, mas como percebi que ele não tentava me fuder, relaxei. Ele continuava a me beijar, me chupar o pescoço e me chamar de seu macho. Fui relaxando cada vez mais e comecei a perceber que o pau dele estava entrando. Tentava tirar e ele pedia para relaxar, que só estava brincando e que logo mais ele iria ser minha putinha. Que eu poderia abusar muito dele.

Me chamava de macho e que estava adorando ser minha putinha. Que há muito tempo sonhava com um momento desse. Quanto mais ele falava mais tesão eu ficava e ele colocando a vara em mim. Pediu para eu abrir o cuzinho e relaxar o tesão era tanto, que passei a fazer tudo o que ele pedia. Quando ele percebeu que eu estava relaxado, foi colocando cada vez mais. No inicio doeu bastante, mas ele me beijava e pedia para relaxar. Nunca imaginei em dar  e nem que iria aguentar uma vara daquele tamanho. Depois que entrou tudo, ele pediu para eu ficar quietinho. Começou a mexer bem devagarinho e perguntou se estava bom. Fiquei com vergonha de responder que estava gostando e pedi para ele tirar.  Ele pediu para eu deixar só mais um pouquinho. O cara era bom demais.

Quando percebeu que eu gostei, começou a bombar com mais força e meu tesão aumentou demais. Agora o jogo tinha mudado. Ele começou a dizer que seria nosso segredo, e que eu seria a putinha dele. Senti vergonha mas gostei. Ele pedia para eu chama-ló de macho, para que meu macho acabasse com cabaço da putinha dele. Sentia vergonha mas comecei a falar o que ele pedia.  O tesão dele aumentava, e resolveu me fuder de 4. Adorei. Dizia que agora eu ja era putinha dele, que iria me ensinar a ser uma vadia. Ele disse que desde que tinha me visto no trevo sabia que iria me fuder. Que tinha percebido como eu olhei para o pau dele. O cara não parava de me fuder. Me fudeu de frango assado, de 4, de bruços.

Depois me colocou na borda da cama e enfiava e tirava o pau do meu cu, que nessa altura ja estava acostumado com aquela vara enorme e deliciosa. Disse que já tinha acabado com todas minhas pregas, e que agora eu sempre iria querer vara. Pior que acertou. Já voltei 3 vezes no ap dele.

Naquele dia, o cara não gozava e eu já estava com o cu todo dolorido e sangrando. Quando eu menos esperava, mandou eu chupar o pau dele. Respondi que não queria e ele disse que quem mandava era ele. Eu tinha sujado o pau dele e que agora iria ter que limpar. Comecei a chupar meio sem jeito. Ele mandava eu abrir a boca e enfiava aquele pauzão na minha boca e me sufocava. Ele dava risada e dizia que eu iria aprender e sempre querer mais. Novamente acertou. Atualmente só de pensar nele já fico no maior tesão. 

Nas 3 vezes que voltei no ap dele, já me tratava como putinha dele. Fico constrangido mas gosto. Manda eu me comportar como vadia e cuidar do meu macho. Sinto maior vergonha e tesão. Não tem uma vez que não saio de lá com as pernas bambas. Agora ele disse que quer que eu conheça um primo dele. Que ele vai me ensinar a dar para os dois.  Tenho muito receio, mas também o maior tesão em saber que há dois machos a fim de me fuder muito. Nunca imaginei na vida que um dia eu iria gostar de ser tratado assim.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente