Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Fui atropelado, e fodido que delícia

Sempre morei no Tatuapé, tenho 2 filhos já criados e casados. Em função de doença, minha esposa faleceu e fiquei sozinho num sobradão antigo, que dava muito trabalho na manutenção. Optei por vendê-lo e comprei um pequeno apartamento próximo ao metro Jabaquara. Rapidamente me acostumei a região, e tudo tinha ficado mais tranquilo até que um dia fui atropelado próximo ao super-mercado Carrefour. Tive a perna fraturada e fiquei 2 dias internado no hospital São Luiz. Quando tive alta, meu filho me levou para apartamento e contratou um auxiliar de enfermeiro que vinha 2 vezes ao dia verificar das minhas necessidades.

Era um mulato jovem, musculoso, cabelo cortado por máquina zero para disfarçar calvície precoce. Foi de grande valia. Vinha na hora do almoço, ajudava no banho e alimentação. No final da tarde aparecia por volta das 20h quando meu filho mais velho já estava comigo. Reparei que os 2 se davam bem e, depois de me auxiliar a trocar de roupas, deitava-me na cama e meu filho o acompanhava na saída. Estranha a demora para meu filho retornar e ele dizia que estava verificando com o auxiliar, a minha evolução.

Assim aconteceu por uns dias, mas meu filho começou a demorar cada vez mais para retornar para meu quarto. Algumas vezes eu dormia e nem via ele ir embora. Num determinado dia, após ter sido colocado na cama, o auxiliar estava indo embora e lembre que precisa pedir para que ele trouxesse analgésico. Com calma, peguei as muletas e fui vagarosamente até a sala e foi quando vi meu filho totalmente pelado, deitado no sofá e o auxiliar, sem camisa, mamando o pau dele. Na hora fiquei chocado, parado e observando. Vi que o auxiliar engolia todo pau do meu filho, depois chupava o saco, engolia as bolas. Aquela cena inusitada e inesperada, foi me dando muito tesão e não podia parar de assistir.

Nisso o auxiliar tira a calça e cueca e vejo um pau não tão grande mas grossão, bem durasso. Ele coloca meu filho de frango assado e começa a fuder aquele cu lindo que meu filhos tem. Meu filho gemia bem baixinho e pedia para ele socar forte. O auxiliar fudendo meu filho, se abaixa e beijava meu meninão. Passado uns momentos, vejo aquele mulatão gemendo e enchendo o cu do meu filho de leite. Deitou-se sobre meu filho, beijou gostoso. Tirou aquele pauzão do cu dele. O leite escorria. O morenão meteu a boca, pegou o leite e levou para a boca do meu filho. Percebi que estavam terminando e retornei todo melado para meu quarto para eles não perceberem que eu tinha assistido aquela trepada deliciosa.

Depois de uns 15 minutos, meu filho foi até o quarto e eu fingi que já estava dormindo. Assim que ele foi embora, bati uma punheta gostosa relembrando o que tinha visto. Dormi com aquela porra e no dia seguinte quando o morenão veio no horário do almoço para me ajudar, reparou que eu tinha gozado e brincou comigo. Na hora nem pensei e já fui dizendo que tinha assistido tudo o que eles fizeram na sala e fiquei no maior tesão. O jeito foi bater uma punheta.

Ele perguntou se eu curtia também e respondi que nunca tinha feito nada com homem. Ele brincou e disse que iria me ensinar. Mal acabou de falar, começou a beijar e mamar meu pau. Fiquei no maior tesão. Ele disse que a partir de agora eu iria adorar. Chupou muito meu pau, meu saco e, em função da perna engessada, me colocou de lado e começou a chupar meu cú. Eu delirava de tesão. Nunca tinha me sentido assim. Ele ficou peladinho e deitou na cama, me abraçou e disse para eu ficar bem relaxado, que ele iria cuidar muito bem do paciente dele.

Beijava meu pescoço, me chamava de coroa gostoso e ficava brincando com a vara na portinha do meu cú. Nunca imaginei dar a bunda e aquilo estava sendo algo inédito e delicioso. O cara sabia cuidar mesmo de um cú. Foi brincando bastante e colocando a cabeça. Sempre me dizendo: meu coroa gostoso, está sentindo a vara do seu macho ?

Respondia que sim e ele dizia que logo mais eu iria gemer de prazer, foi colocando aquela vara grossona, até entrar tudo. Falava para eu ficar quietinho e relaxar que logo mais estaria delirando de tesão. O cara estava certo. Começou a bombar lentamente e foi aumentando. Depois de um tempo, tirava totalmente e enfiava novamente no meu cú, sempre dizendo que agora o coroa dele já estava acostumado e iria levar muita vara.

Senti algo quente dentro do meu cú e ele ofegando. Ele disse que tinha me enchido de leitinho e que agora viria uma parte boa. chupou meu cu e o leite que escorria, me beijou e mando eu engolir a porra que tinha colocado na minha boca. Nunca pensei que o gosto de porra fosse tão bom. Deu banho em mim, me trocou e disse que retornaria a noite mas que iria cuidar do cu do meu filho, para eu ficar quietinho no quarto e não ir vê-los.

Durante 2 semanas ele fez isso, alternando em me fuder no horário do almoço e meu filho à noite. Depois disse que o serviço dele tinha terminado e que não viria mais. Fiquei aborrecido mas anotei o celular dele para qualquer emergência. Passado alguns dias, estou na janela da sala e o vejo saindo do prédio. Estranhei mas pensei que estivesse com novo paciente. Passei mensagem para ele, dizendo que o tinha visto. Ele retornou e avisou que viria no dia seguinte me visitar.

Promessa feita e cumprida. Mal chegou e ja foi brincando: Amor de pica, amor que fica, meu coroa tá com vontade ? respondi que muita. Sem hesitar, tirou a roupa e já começou a cuidar de mim. Perguntei se estava cuidando de outra pessoa no prédio. Deu risada e disse que estava cuidando do porteiro da noite. Disse que tinha sido o porteiro que o indicou para meu filho, mas que ele ja comia o porteiro noturno antes de fuder meu filho e eu. Disse que combinaria com o porteiro para vir para meu ap depois do expediente, que passaria cedo para cuidar dos viadinhos dele.

Respondi que seria perigoso, que poderiam perceber e respondeu para eu ficar tranquilo que iria dar tudo certo. No dia seguinte, assim que terminou o expediente, o porteiro noturno tocou a campainha do meu ap. Ao abrir, me cumprimentou e já foi entrando. Disse que tinha ordens para me ajudar no banho, que logo mais nós dois teríamos visita. Me levou para o banheiro, tirou toda minha roupa e me ajudou no banho. Depois de me enxugar, disse para eu ficar pelado, que o auxiliar já iria chegar e queria os dois peladinhos esperando por ele.

Depois de uns 30 min, o mulato chegou, o porteiro o recebeu e o levou para meu quarto. Colocou nós dois deitado na cama e chupava os paus e sacos dos dois. Brincava e dizia que agora nós iríamos aprender a ser os viadinhos dele. Que iria nos fuder muito e que iria ensinar a nós dois fazermos putaria para o dia em que ele não pudesse vir. Foi um excelente mestre. Atualmente não vem mais nos fuder, mas sempre eu e o porteiro fazemos todas putarias que ele nos ensinou. Pelo jeito, esse porteiro nunca pedirá demissão, Assim espero.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente