Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Como é bom ter Seguro de Casa

Acionei a seguradora residencial para verificar um vazamento em uma válvula hydra no banheiro social de casa. Agendado data e horário, fiquei aguardando. Como estava um dia quente, estava de shorts, chinelos e sem camiseta. Resolvi tomar uma ducha e escuto o interfone tocar. Dei uma enxugada rápida e atendi. Era o rapaz da seguradora que havia chegado antes do horário. Coloquei rapidamente shorts e fui atendê-lo ainda bem molhado.

Ele entrou e comentou que eu ainda estava todo molhado. Dei risada e disse que o aguardava um pouco mais tarde. Eu o conduzi até o local para verificar o problema, ele deu uma olhada, uma regulada na válvula e disse que o melhor seria trocar o reparo. Disse que poderia fazer mas ele respondeu que eu deveria adquirir, pois a seguradora não fornece. Para eu comprar e ele retornaria para troca.

Pensando em ficar novamente aguardando, comentei que bem próximo de casa há um local de venda e se ele não se importaria de esperar 5 minutos que iria comprar e ele já trocaria. Pensou um pouco, pediu água. Trouxe a garrafa e copo e fomos para sala. Disse para ficar a vontade que já voltaria. Iria comprar o reparo.

Ele deu risada e perguntou: - Posso tirar a camisa ? Na  hora respondi que sim, não havia mais ninguém em casa. Ele tirou a camisa, colocou na poltrona, sentou na outra e começou a beber água. Tenho peito bem peludo mas o dele não perde em nada.

Disse que já estava indo. Voltei rapidamente e lá estava ele sentado na poltrona, relaxado, sem camisa, manuseando o celular e com pau duraço. Brinquei com ele: - Não demorei nada e pelo jeito esta vendo coisas boas. Deu risada e disse que tinha recebido uns vídeos de um amigo e que tinham mexido com ele. Perguntei que tipo de vídeo. Respondeu que talvez eu não curtisse, pedi para ver. Era um video de 1 garoto trepando com 2 coroas. Tentou parar o vídeo mas pedi para continuar. Comentei que não curtia lance com garoto novo, prefiro os mais maduros. São mais experientes e não grudam na gente. Perguntou que idade eu curtia, respondi: - Na sua faixa etária, mas assim como você, macho que não dá pinta.

Ele deu risada, disse que também era casado como eu e que realmente não grudava em ninguém. Só brincadeiras sem compromisso. Foi passando a mão áspera pelo meu peito e colocou minha mão no peito dele. Tirei a camiseta e começamos a nos abraçar. Ele me apertou firme e gostoso, senti aquele pau duro roçar em mim e disse que ele estava em "ponto de bala". Ele pegou meu pau e respondeu que eu também estava. Tirou minha camiseta, começou a beijar meus mamilos e foi descendo até chegar no meu pau, que começou a beijar e mordiscar por cima do shorts.

Disse: - Que delicia, a baba está vazando pelo shorts, adoro, e lambia mais. Abaixou meu shorts e disse: Vamos limpar esse garotão, começou a revezar entre lamber e engolir meu pau. Meu tesão estava nas alturas. Pedi para que tirasse toda roupa. Fez na hora. Reparei que tinha um corpo legal e um pau gostoso e pequeno. Pediu para fazermos um 69 e, no tesão que estava, começamos no mesmo instante. Aquele pau, mesmo pequeno, era bonito e cheio de veias, o que me dá muito tesão.

Disse que queria que me mamasse mas que virasse a bunda para mim, pois adoro chupar bundinha e ver cuzinho piscando. Respondeu que não estava preparado, que estava sem higiene, falei  que não tinha problema, que ficasse de 4 me mamando com a bunda na minha cara, que queria ver a bundinha dele e dar uma dedilhada. Ele fez o que pedi e lá estava aquela bunda peluda perto do meu rosto.

Comecei a alisar, dar uns tapinhas leves, reparei que cada tapinha que dava ele gemia e chupava forte meu pau. Brinquei com ele: - Meu viadinho lindo curte levar uns tapas? Ele respondeu que adora, para bater mais e com mais força. Não deu outra, comecei a dar uns tapas revezando os lados, ele gemia e dizia: Vai meu macho, bate no seu viadinho, essa bunda precisa apanhar muito. Intensifiquei os tapas e ele gemia e chupava sem parar.

Falei que estava adorando, ele parecia uma putinha que adora levar vara de macho. Respondeu que sim, que era minha putinha, para o macho dele acabar com ele. Levantei e o abracei: - Minha putinha tá querendo vara ? Respondeu que sim, há muito tempo estava sem levar vara. Fui no quarto, peguei o preservativo e creme e retornei, mandei ele chupar gostoso e depois colocar a camisinha que eu iria fudê-lo. Respondeu: - Sim meu macho, se ajoelhou e mamava deliciosamente.

Mandei colocar a camisinha, quando ele colocou, empurrei a mesinha de centro, deitei no tapete e mandei ele sentar na minha vara, mas bem devagarinho. Queria sentir o cuzinho dele engolindo minha vara até entrar tudo. Ele fez direitinho, quando já tinha entrado tudo, disse: Vai minha putinha, rebola gostoso essa bundinha.

Ele começou os movimentos bem devagarinho e foi intensificando. Pequei aquele pau pequeno dele e disse para não parar de mexer, queria que ele gozasse gostoso e despejasse toda porra no meu peito. Ele gemia e me perguntava: Meu macho tá gostando da sua putinha? Respondia que estava amando. Quanto mais ele dizia, sentia que o tesão dele aumentava e não demorou veio aquela gozada dele que foi direto no meu rosto. Ele ficou sentado no meu pau, ofegante, dizendo que há muito tempo não gozava gostoso assim.

Pedi para levantar e limpar meu rosto com minha camiseta. Ele pegou minha camiseta, cheirou, disse que tinha cheiro de macho. Veio até mim e disse que não iria sujar minha camiseta. Começou a lamber a própria porra que estava no meu rosto e a me beijar. Diferente da minha porra, a dele era bem doce. Depois retirou a camisinha que estava suja, foi até o Banheiro social, jogou no vaso e voltou. Falou que agora iria ver o macho dele gozar gostoso, começou a me punhetar com a boca próxima da cabeça do meu pau. Quando comecei a gozar, ele enfiou a boca e começou a beber todo leite.

Depois que terminei de gozar, ele lambeu bem meu pau e disse que agora estava limpinho. Dei risada e disse que o pau estava limpinho, mas que nós 2 estávamos todos suados. Disse que precisávamos dar uma acelerada no reparo, pois logo mais o pessoal começaria a chegar em casa. Ele colocou a cueca e disse que já ia cuidar da troca do reparo. Foi só de cueca e eu o segui pelado.

A troca foi muito rápida, ele disse que era para eu testar e assim ja nos livraríamos da camisinha que estava no vaso. Claro que deu tudo certo. Voltamos para sala, colocamos a roupa e ele pediu para eu dar um visto na ordem de serviço. Também avisou que a seguradora iria entrar em contato para avaliar o atendimento. Respondi que poderia ficar tranquilo. O serviço foi nota DEZ.

Antes de sair, ajudou a dar uma ajeitada na sala. Pegou o creme que eu havia levado e me entregou. Brinquei com ele que até tinha esquecido de usar. Ele respondeu que, antes de sentar no meu pau, lembrou da vaselina  que usa na troca de reparo e usou para passar no cu. Dei risada e disse que era bem espertinho. Pediu para mantermos tudo em sigilo e me passou o numero do celular pessoal caso eu precisasse dele novamente. Guardei o número e em breve vou acioná-lo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente