Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Café Delicioso

Perto do terminal Jabaquara do metro há um centro cultural onde são realizados vários eventos. Há uns 3 meses atrás, estive lá para assistir uma apresentação de capoeira. Durante a apresentação, fui ao banheiro e lá estavam pai e filho.O Pai um homem alto, corpo em forma, faixa de 40 anos, de bermuda, suas pernas eram peludas. O filho na faixa de uns 6 anos com jeito característico da idade.

Enquanto urinava num box, o pai veio até a porta, abaixou a bermuda e ficou ajeitando a cueca. Estranhei a postura mas fiz de conta que não tinha percebido nada. Sai e fui lavar as mãos. Ele veio, parou na pia ao lado e comentou que era uma delicia dar uma mijada quando estava apertado. Respondi que eu achava que era mais necessário do que delicioso. Não dei muita margem ao papo e voltei para apresentação.

Como estava quente e havia bastante gente assistindo a apresentação, parei na entrada e fiquei assistindo dali. Depois de um tempinho, ele parou ao meu lado e perguntou quem eu tinha ido assistir na apresentação. Respondi que conhecia algumas pessoas e em particular um Contra Mestre. Perguntou se eu jogava e respondi que não podia por ter uma prótese na perna. Indaguei se o filho dele já tinha jogado e ele respondeu que ainda não. O filho estava sentado próximo a roda e que a mulher dele e uma amiga estavam de olho nele. Perguntou se eu fumava e respondi que de vez em quando, mas que nem tinha cigarros. Ele respondeu que tinha e para irmos até a parte superior, na área aberta, fumar.

Topei e fomos. Subimos, sentamos num tipo banco de cimento, acendemos os cigarros e começamos a trocar papos fúteis tipo: onde mora, o que faz. Ele de repente colocou a mão na minha perna e disse que o apartamento dele ficava bem próximo. Estranhei o comentário e respondi que isso era bom, facilitava voltarem para casa. Então ele perguntou, se eu não estava a fim de tomar um café expresso e fumar outro cigarro no apartamento dele?! Respondi que não seria legal para ele, o filho iria se apresentar e ele perderia a apresentação. Disse que não tinha problemas, ele sempre assistia as rodas nos treinos.

Passou um monte de coisas por minha cabeça. O que ele estava a fim ? Como podia deixar mulher e filho para levar um desconhecido para casa? Mas aquela mão firme na minha perna, apertando meu joelho, aquelas pernas dele que eram bonitas e peludas aumentou meu tesão e resolvi aceitar. Disse que iríamos, mas não poderíamos demorar, tomar um café, fumar outro cigarro e voltar.

Saímos e fomos para o apartamento dele, realmente fica bem perto num conjunto de prédios. Entramos, ele perguntou como gostava de café, respondi que curto e forte. Colocou a capsula na máquina e me entregou o café. Ele disse que preferia claro e grande, mas não preparou para ele. Enquanto eu tomava o café, acendeu um cigarro e disse que seria para mim. Dava uma tragada e depois colocava o cigarro nos meus lábios para eu tragar. Estava achando comica a situação e entrei na brincadeira.

Quando terminei o café, ele pegou e colocou a canequinha na pia, voltou, se encostou em mim e disse: - Deixa eu sentir o cheirinho de café ? Se aproximou da minha boca, cheirou e já meteu a mão no meu pau. Eu já estava no maior tesão e apertei a bundinha dele. Foi então que reparei como ele era todo durinho e alto. Ele disse que quando escutou o barulho do meu mijão, deu a maior vontade nele. Queria ver meu pau, mas não conseguiu. Conforme eu balançava o pau, o tesão dele aumentava e ele ficou parado na porta arrumando o pau dele, que tinha ficado durasso.

Dei risada e disse que tinha sacado o lance. Disse que ele era maluco, curtir num banheiro e com o filho junto. Ele disse que o filho não percebeu, mas que ele sim tinha percebido que eu tinha examinado o corpo dele inteiro. Respondi que realmente ele tinha pernas e coxas deliciosas. Disse que realmente eu não tinha me enganado, que ele tem bundinha durinha do jeito que eu gosto. Foi o suficiente para ele abaixar a bermuda e a cueca e pedir para eu pegar. Dei umas alisadas nas coxas, peguei firme na bundinha e ele começou a soltar a minha calça. Meu pau já estava todo babado. Ele começou a alisar e disse que adorava pau babão. Me abraçou, beijou meu pescoço e reparou que eu gostava. Me deu um beijo e sem largar meu pau, começou a acariciar.

Se ajoelhou e começou a mamar bem gostoso. O cara mama muito bem, engole, enfia tudo na boca, tira e suga forte a cabeça do pau. Se virou, pediu para colocar a cabecinha na entrada do cu dele que é a forma que ele sente muito tesão e que estava a fim de gozar. Como ele é bem mais alto, o esquema não estava dando certo, ele tirou a bermuda e a cueca, abriu as pernas e se encostou em mim. Eu o abracei e coloquei a cabeça do meu pau no cuzinho dele. Ele pegou minha mão e levou até o pau dele, para batermos juntos uma punheta nele.

Foi quando reparei que tem um pau grande mas bem torto para baixo. Segurando minha mão junto a dele, punhetava o pau e pedia para eu dar uma forçada com o meu pau na entrada do cuzinho dele, mas para não penetrá-lo pois eu estava sem camisinha e ele estava sem higienização. A medida que batia punheta, o cuzinho dele piscava e ia puxando meu pau para dentro. Num movimento mais forte que fiz, o pau entrou e ele disse : Caralho, você tá me fudendo, pedi para não colocar, fiz menção de tirar mas ele colocou as mãos para trás e me puxou pela bunda e disse: Agora que começou, fode, fode gostoso esse rabo, e começou a rebolar aquele bunda linda. Pediu para eu não gozar no cu dele, para avisar quando fosse gozar. - Vai filho da puta, me fode, sabia que você iria me foder.Caralho, que delícia.

Esse tipo de conversa na trepada me excita e eu também dizia: Caralho, essa bunda merece muita vara. Vai putinho gostoso, rebola essa bunda para seu macho. E seguimos nesse tipo de conversa, até que avisei que estava para gozar, ele rapidamente foi a pia, pegou um copo, começou a me masturbar e quando fui gozar ele fez com que minha porra fosse para dentro do copo. Terminei de gozar, ele veio começou a chupar meu pau e a bater uma punheta. Começou a intensificar as chupadas e reparei que ele também iria gozar. Colocou o copo no pau dele e também gozou dentro. Imaginava que seria uma forma para não sujar o chão, estava enganado. Ele se levanta, sorridente e diz que estava precisando de uma brincadeira dessa com um macho safado e gostoso como eu.

Peladinho perguntou se eu queria outro café. Não aceitei e ele disse que iria preparar o dele. Colocou outra capsula na máquina e o copo com nossa porra para receber o café. Acendeu outro cigarro e disse que adora tomar café com leite. Tragava, tomava um gole de café com leite, colocava o cigarro na minha boca para eu dar uma tragada, e disse para eu experimentar o café com leite especial que ele tinha preparado. Dei risada e respondi que não curto café com leite.

Aquele puta macho bonito, gostoso, peladinho, saboreava o café com porra, me dava beijinhos e dizia que eu poderia voltar sempre que desejasse tomar café. Que ele trabalha a noite e sempre estava sozinho no período da manhã. A mulher sai para trabalhar e deixa o filho na escola.

Pediu o numero do meu cel, discou, meu celular tocou e ele disse: Agora meu macho putão já tem o numero do seu putinho. Sempre que puder, venha para tomarmos café juntos. Dei risada e disse que iria sim, queria foder direito e gostoso aquele bunda linda que ele tem.

Voltamos para o Centro Cultural, ele foi ao encontro da família e depois de um tempo fui para casa. Quando fui olhar o celular la estava a mensagem dele: - Precisamos combinar outro café.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente