Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Amor de pica, Amor que fica

Já faz mais de ano que tive a primeira trepada e tudo começou com uma encoxada  no metrô. Não imaginava que seria tão bom e que iria repetir sempre.

O Léo, não é nada de anormal, tem 39 anos, moreno jambo, por volta de 1,75 m, pau tamanho médio e grosso, casado com um Homem. Metrô lotado, eu entro e ele para atrás de mim. Sinto que ele não ia se importa de ficar grudado na minha bunda e, a principio, aquilo me incomoda. Tento dar uma mudada de posição e lá está ele grudado novamente, agora de pau duro e aquilo até deu uma sensação gostosa. A medida que se aproxima da estação Ana Rosa, diminui o "aperto" do metrô e ele se afasta. Aproveito para dar uma olhada e ele dá um sorriso. Diz que descerá na Saúde.

Ao chegar no destino, desce e eu, sem pensar, desço atrás. Ele percebeu, dá uma parada para me esperar e pergunto se moro por ali. Meio sem jeito respondo que não, que ira até o terminal mas resolvi dar uma descida. Ele dá risada e pergunta: - Gostou ? Respondi que sim, e foi o que me fez descer. Continuamos a bater papo ali mesmo, mas ele diz que tem que ir embora, pois tem compromisso. Nos despedimos ,enquanto ele saia, fiquei aguardando o próximo trem. Quando vou entrar, SURPRESA. Ele vem rápido e também entra.

Disse que não tinha ficado com meu contato. Pede meu numero celular. Anotou e já deu uma chamada. Disse que agora tínhamos o numero do celular um do outro, mas para eu tomar cuidado em mensagens que o maridão é ciumento. Respondi que o mesmo vale para ele, pois minha mulher também é ciumenta.

Passaram alguns dias e nada dele chamar. Pensei em passar uma mensagem mas me contive. Em uma 6 Feira, voltando para casa de repente, mensagem dele: TUDO BEM ? Sumiu. Respondi: Você também. Disse que ele estava no metrô e que se eu topasse, ele iria até a estação São Judas onde conhece um local legal para trocarmos uma idéia. Concordei e combinamos o local para nos encontrarmos. Quando chegou, pediu para acompanhá-lo. Imaginei que iriamos bater papo num bar mas, ele foi direto para um motel ali próximo.

Fiquei muito constrangido, pois mal chegamos e ele já se dirigiu a recepção e pediu uma suite por 1h. Pediu meu documento e perguntou se iríamos dividir valor do motel. Dei o documento e o dinheiro. Ele pegou as chaves e fomos para o andar superior. Entramos no quarto, trancou a porta, me abraçou, disse: nada de beijos e já deu ordem: Fica peladinho para seu novo macho.

Ele ficou parado, olhando eu tirar a roupa. Quando estava peladinho ele disse: Assim que eu gosto : Viadinho obediente. Não gostei dos comentários, mas estava com puta tesão que fiquei quieto. Mandou que eu ajudasse a tirar a roupa dele. Comecei e ele apalpava minha bunda dizendo: hoje vai levar muita vara nessa bunda. Agora estávamos pelados e eu não sabia bem o que mais deveria fazer. Ele disse: Vamos tomar banho. Entramos no box, ele regulou a temperatura da água e mandou eu dar banho nele.

La estava eu, inexperiente com um macho debaixo da agua, morrendo de tesão e sem saber o que fazer. Ele pegou o sabonete, lavou o cabelo e o rosto e disse que o resto seria comigo. Peguei o sabonete e comecei a passar no peito dele, na barriga. Mandou eu lavar o pau e saco dele para depois eu aproveitar o material. Conforme ensaboava o saco, o pau dele ficou duro e vi aquela quantidade enorme de veias. Não era grande, mas grosso e uma cabeça pontuda. Percebi que ele estava adorando eu cuidando dele. Ele mesmo enxaguou, mandou eu abaixar e dar uma mamada.

Conforme coloquei na boca, mandou eu abrir bem a minha boca e não encostar dentes no pau dele. Me segurou pelos cabelos e começou a dar umas bombadas. Eu engasgava e retirava o pau dele da minha boca. Ele mandava eu continuar, e eu obedecia. De repente, achei que fosse gozar mas não, começou a mijar em mim. Tentei desviar, ele continuava a me segurar pelo cabelo, dizendo que estava marcando o viadinho dele. Deu um baita mijão, sorriu e disse para eu me levar e ir para cama levar vara. Saiu do box, se enxugou e foi para cama.

Tomei banho, me enxuguei e fui ficar com ele, que assistia um filme porno de uma casal hétero. Deitei ao lado dele e ele me disse que me faria a putinha dele. Já nem sabia se gostava ou não dos comentários dele, mas confesso que estava no maior tesão para dar a bunda. Ele mandou eu chupar o pau dele, mas queria que eu engolisse tudo, até a garganta. Comecei a mamá-lo e ele sempre mandava engolir mais, engolir até a garganta, quando pensava em parar, ele dizia que não, deveria continuar. Agora eu já enfiava a boca todinha no pau dele, quando começava a engasgar, ele mandava eu pegar a baba e passar no meu cu. Ficamos um tempão fazendo isso e foi quando ele disse : Vamos cuidar desse seu cu agora.

Mandou eu ficar de 4 e já começou a tentar me foder. Por mais que tentasse a vara dele não entrava. Mandou eu deitar, abriu minha bunda, cuspiu e deitou sobre mim e encaixou aquele cabeça pontuda bem na entrada do meu cu. Deu umas bombadas e comecei a gemer, mas não de tesão, mas de dor. Pedi para ele ir devagar. Respondeu que sabia que eu queria vara, e iria levar muita vara, para eu aguentar, e claro que iria doer, iria me arrombar mas eu depois sempre iria querer mais.

Continuo a forçar, mandou eu simular que iria cagar para o cu abrir. Fiz o que mandou e a cabeça entrou todinha. Ele disse: Aguenta que agora vou te arrombar, e senti aquela vara grossona entrando e me estourando por dentro. Sentia muita dor, mas ele nem se importava. Quando eu dizia alguma coisa ele respondia, que viado foi feito para levar vara.

Nem dava um tempo para meu cu se acostumar, me fodia sem dó. As dores foram diminuindo e agora eu já estava curtindo aquela vara bombando no meu cú. Ele arrancou aquela vara de dentro de mim. Sinto como se estivesse com um buraco enorme. Manda eu ir para beirada da cama, me ajeita e começa a me foder de frango assado. Agora eu estava adorando aquele vara me fudendo. Comecei a bater punheta para mim e ele mandou eu parar, que eu só poderia gozar quando ele deixasse. Estava num puta tesão e ele bombando direto, sem parar. Tirava todo o pau do meu cu e enfiava novamente com bastante força. Aquela sensação do pau saindo e depois entrando com tudo, aumentou meu tesão. Adorando sentir o saco dele batendo na minha bunda. Pedi para ele encher meu cu de leite.

Ele deu mais umas bombadas e mandou eu ficar de 4 novamente. Me disse que assim que ele gosta de foder. Fiquei como ele mandou, ele metia sem dó e brincava comigo: Te arrombei todinho, agora vai sempre querer vara nesse cuzão abertão. Disse que desde de que me viu e me encoxou no metrô, sabia que iria me foder muito, sentiu minha bunda rebolando no pau dele, e sabia que caras casados como eu, são loucos para levar vara de macho. Quanto mais me dizia essas coisas, mais me chamava de viadinho e me fodia, meu tesão aumentava. Senti aquela pulsação, sabia que agora viria o leitinho que eu tanto queria. Ele começou a gozar, ofegante mas não parava de bombar. Quando senti aquele jato de leite quente no meu cu, não aguentei e comecei a gozar sem encostar a mão no meu pau. Quando ele tirou a vara do meu cu, me senti arrombado mas satisfeito. Há muito tempo queria sentir uma vara dentro de mim.

Ele deitou na beirada na cama e disse: Não foi uma das melhores trepadas mas gostei. Você tem que se liberar mais, para merecer mais vara nesse cuzão arrombado. Respondi que tinha sido a minha primeira vez com um homem. Ele deu risada e disse que duvidava. Do jeito que meu cu aguentou, eu devia estar levando vara há tempos. Respondi que não, que ele tinha sido o primeiro macho que me fodeu. Disse que iria me foder novamente em outro dia, mas que eu teria que fazer as coisas sem ele ter que ficar mandando. Ele tinha certeza de que eu iria querer sempre mais. Concordei e disse que nas próximas vezes, eu iria fazer coisas que o deixassem no maior tesão. Ele deu risada e disse que tinha certeza que eu faria, que sabia que eu era um viadão enrustido e que sempre iria querer mais vara.

Se eu melhorasse meu desempenho, ele iria me oferecer para alguns amigos dele. Aquilo me aborreceu, não disse nada mas era ele que eu queria e não pessoas desconhecidas. Ele disse que precisava ir embora. Levantou, foi para o box e mandou eu cuidar dele. Agora fiz tudo sem ele ter que pedir nada. Perguntei se estava gostando do banho e ele simplesmente respondeu: Dá para o gasto. Saiu do banho e disse para eu não demorar. Me lavei rapidinho e voltei para o quarto com ele já quase vestido. Me disse que seu demorasse, ele ira embora e me deixaria por ali.

Essa forma de me tratar, não me agrada mas gosto de sentir que ele é o macho e que manda em tudo. Dei uma agilizada e saímos juntos. Já na rua me disse para eu não passar mensagem para ele. Quando ele desejasse me foder novamente, me avisaria.

Passaram 3 semanas e nenhum contato dele. Numa outra 6ªF, chega uma msg: Esteja às 19h na estação Saúde. Meu namorado vai te foder hoje. É um outro relato mas foi excelente ter 2 machos me fudendo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente